Audiências à Lupa

Audiências à Lupa: ano de 2013

Audiências à Lupa

2013 foi o ano de consolidação do sistema de medição de audiências da GfK e foi também o ano em que a TVI consolidou a sua liderança e, assim, voltou a confiar nas audiências da GfK em detrimento das da Marktest.

Nestes 365 dias houve algumas estreias na televisão portuguesa muito aguardadas, assim como regressos que cativaram os portugueses. Na ficção e no entretenimento, muitos foram os formatos que fizeram deste ano um conjunto de momentos para recordar aqui.

Olhemos, então, as Audiências à Lupa do ano de 2013.

audiências mensais 2013

Vemos que a TVI consolidou a sua liderança, mas não sem antes estar muito próxima da SIC, mas, efetivamente, o último trimestre de 2013 não trouxe tréguas a Carnaxide, que com as galas de Factor X, perdeu audiência aos domingos. Se perdeu, Casa dos Segredos 4 ganhou, mas liderou aos domingos e, por conseguinte, o interesse, a semente já estava depositada e, também nos dias úteis, arrebatou os portugueses.

A RTP1 teve igualmente uma tendência crescente ao longo do ano, terminando o mês de dezembro com uma média próxima dos 15%. Realmente está aberto o fosso entre as generalistas que ronda os 5% e isso é claramente visível. Se a SIC iniciou o ano perto, muito perto, dos 25%, a queda foi grande até dezembro, tendo mesmo ficado abaixo dos 20% em agosto e no último trimestre.

E o que mais pesou nesta evolução? No início de 2013 a liderança absoluta na ficção nacional era da SIC – com Dancin’ Days, Avenida Brasil e Gabriela. As suas substitutas – Sol de Inverno, Amor à Vida e A Guerreira, conseguiram manter-se líderes, mas a TVI, essa, apostou e ganhou, com Belmonte que trouxe de volta a estação para o topo dos programas mais vistos (usufruindo, naturalmente do impulso de Casa dos Segredos). Embora seja regular a perda para a ficção de Carnaxide, o fosso entre ambas já não é tão grande, na verdade é mesmo uma luta renhida, pelo que foi essa, no meu entender, a principal mudança que levou a TVI a afastar-se da SIC.

O daytime, esse, mantém-se, regra geral, inalterado ao longo do ano e, por muitas invenções (sim!) que Carnaxide use, não é, neste momento, nada provável que se aproxime da TVI e, muitas vezes da RTP1. É necessário mais. Trata-se de um problema de resistência dos portugueses que é estrutural e que veremos se em 2014 irá ser alterado com João Paulo Rodrigues a fazer companhia a Júlia Pinheiro. Tenho muitas dúvidas.

Outro ponto que é curioso observar é que o Cabo teve um crescimento no verão. Com as férias na escola e no trabalho, muitos optam por diversificar, por ver algo diferente e que fuja à rotina das generalistas, pelo que a tendência de quebra quer da TVI, SIC e RTP1 foi visível.

Por sua vez, a RTP2 mantém-se dentro daqueles que são os seus valores habituais, que ronda os 2,5% durante o ano, tendo uma ligeira subida no verão devido às competições de atletismo.

Vejamos, então, os números globais do ano.

ano 2013_1

A TVI termina o ano com uma média de 24,6%, destacada da SIC que alcançou uma média de 21,2% e ficando na segunda posição das generalistas. A estação pública termina 2013 com uma média abaixo dos 15% – 13,2%, assim como o canal dois que surge com 2,5%. Por fim, o Cabo foi visto em média por 38,6% dos telespectadores.

Podemos constatar que apenas a TVI e Cabo têm melhor média aos fins de semana do que durante os dias úteis, contrariando a tendência da RTP1, RTP2 e SIC que conseguem alcançar melhores valores de segunda a sexta-feira. Isto deve-se, essencialmente, a dois fatores: a TVI tem os grandes formatos de entretenimento de sucesso – Casa dos Segredos: O Desafio Final, Big Brother VIP, A Tua Cara Não Me É Estranha, Dança com as Estrelas, Casa dos Segredos 4, … – enquanto o Cabo é aquele que oferece maior diversidade – especialmente procurada aos sábados e domingos.

Quer a RTP1, a SIC e RTP2 têm, no geral, os seus melhores formatos nos dias úteis, embora tentem ter grandes apostas no entretenimento, a verdade é que os portugueses procuram a TVI para lhes dar essas ofertas e não as outras generalistas. As polémicas e intrigas são presença constante nos reality shows e outros formatos de Queluz de Baixo que consegue muito bem colocá-las a funcionar a favor das suas audiências.

Observe-se, ainda, os valores máximos e mínimos do ano. A RTP1 fez por diversas ocasiões valores inferiores a 10%, tendo registado os seus máximos nos dias em que exibiu as partidas da seleção nacional de futebol e que foram dos programas mais vistos do ano. Mas também a SIC teve um mínimo terrível abaixo dos 15% no dia 29 de setembro, domingo, com a estreia de Casa dos Segredos 4 e de eleições autárquicas. Contudo, o seu máximo foi aceitável, com 32% de audiência média, no dia da final da Liga Europa – 15 de Maio – que o Chelsea venceu frente ao Benfica.

Por fim, a TVI alcançou o seu pior resultado no sábado, dia 21 de setembro, e, pelo contrário, o seu máximo foi registado no último dia do ano, com Casa dos Segredos 4 a arrasar a concorrência.

Para 2014, perspetiva-se uma manutenção destas tendências de afastamento entre as generalistas, se considerarmos as apostas que têm sido anunciadas. Contudo, cá estaremos para as analisar neste novo ano. Mas até lá, ainda haverá mais um Audiências à Lupa, em breve. Fique atento.

Recorde os Audiências à Lupa do ano de 2013:

Janeiro | Fevereiro | Março | Abril | Maio | Junho | Julho |

Agosto | Setembro | Outubro | Novembro | Dezembro

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close