fbpx
Resumos SIC

Por Ti: resumo dos próximos episódios

Resumo de 27 de junho a 1 de julho

Por Ti

 

Episódio 88

 

 

Destaques

Bernardo e Constança encontram o dinheiro da agiota.

Carlos confronta Renata sobre a omissão de falha geológica.

 

Nuno pergunta a Renata se ainda está a pensar no que Eugénio disse. Renata manda-o calar, quer ouvir com quem está Rui a falar. Afonso fala com Rui, diz que foi a Lisboa porque tinha coisas a tratar. Afonso e Mia mandam Carlos se calar. Rui diz que ele foi atrás de Mia, diz-lhe para ter cuidado com ela pois tem o mesmo sangue de Paulo. Nuno e Renata continuam a ouvir a chamada, atentos. Ficam tensos com rumo da conversa quando Rui volta a perguntar a Afonso se vai contar o que foi lá fazer ou não.

Helena diz a Miguel e Isabel que está tudo bem com ele. Helena sai e Isabel avisa Miguel que só o deixou voltar porque Simão pediu. Lara pergunta se ele tomou alguma coisa e propósito para se sentir mal, Miguel nega, diz que não faria isso, mas se calhar, devia aprender a fingir desmaiar para o caso de Isabel se arrepender de o ter ali.

Afonso mente a Rui sobre o motivo de ter ido até Lisboa e diz que foi fechar um contrato com um fornecedor para as bicicletas. Rui diz que esses trilhos em breve vão acabar. Afonso desliga chamada e lança um olhar cúmplice a Carlos e a Mia.

Nuno e Renata acabaram de ouvir a chamada, ficam frustrados por não terem descoberto nada. Nuno diz que também não esperava que Afonso falasse sobre Carlos e o estudo de impacto ambiental. Comentam que a esta hora ele bebe uma caipirinha em Copacabana.

Bernardo reclama de Orlando, quando encontra a bolsa perdida da agiota debaixo da cama. Constança abre-a e vê vários maços de notas de 500 euros lá dentro. Bernardo reconhece a fannypack à cintura da agiota e quer entregar a bolsa à guarda. Constança diz-lhe para não o fazer, diz que achado não é roubado.

Isabel diz a Orlando que não fez as pazes com Miguel, só o aceitou lá em casa por causa da cara de sofrimento que Simão fez. Não quer dar falsas esperanças a Miguel. quando este entra animado com o cheiro dos cozinhados e Isabel diz-lhe que vai dormir no sofá, Miguel fica em choque, mas disfarça.

Mia entrega lençóis a Carlos para fazer cama no sofá. Afonso pergunta se quer rever o plano e Carlos diz-lhe que sabe o que terá de fazer amanhã, falar com a Renata e conduzir a conversa até que ela explique o seu verdadeiro plano.

Mia recebe sms da mãe, falam sobre a coragem de Mónica e como é a primeira vez que Mia a vê entusiasmada desde a separação. Mia questiona-se se este constrangimento entre os pais vai desaparecer, imagina como será no futuro caso casem, os Natais e outros eventos de família. Afonso beija-a.

Entretanto, Carlos faz a sua cama improvisada, olha na direção dos quartos e de seguida para a porta da rua.

Na manhã seguinte, Mia grita por Afonso, ao chegar à sala e não vê Carlos, pensa que Carlos fugiu, mas este aparece vindo do pátio, diz que está pronto para pôr em prática o plano.

Nuno abre a porta do quarto a Carlos, que diz que ia embarcar, mas ficou surpreso ao saber que as obras da barragem avançaram. Diz que pode haver um problema grave e é o nome dele que está em risco. Nuno acha que ele vem pedir dinheiro. Carlos tenta que Renata diga a verdade para incriminá-la, diz que ela o mandou omitir a falha no estudo de impacte ambiental e ele só aceitou porque Renata garantiu com todas as letras que a barragem não ia ser construída ali. Renata apreensiva finge não saber da fenda. Carlos fica em choque.

Mia e Afonso esperam cá fora, Afonso está confiante que o plano vai dar certo, mas começam a ficar tensos com a demora de Carlos.

Carlos estupefacto, perde as estribeiras e avança para Renata. Nuno segura-o e Carlos nunca lhe chega a tocar, mas Renata age como tal e começa a gritar para Carlos a largar. Nuno agarra Carlos e Renata retira o telemóvel dele que tem estado a gravar toda a conversa. Renata diz-lhe que não ia deixar-se apanhar por ele. Carlos fica em pânico.

Luísa tem uns chás para ajudar na alergia de Nuno e comenta com Rita que vai deixá-los à porta do quarto dele. Rita pergunta à irmã se ela acha que Nuno e Renata dormem juntos, pois estão sempre fechados no quarto. Luísa diz-lhe que não tem nada a ver com a vida dos hóspedes.

Renata agarra Carlos pelos colarinhos, furiosa. Nuno assiste, apreensivo com vontade de intervir. Renata pergunta como ele tem coragem de atramar depois de tudo o que fez por ele. Calos não olha nos olhos de Renata e ela obriga-o. Ele diz que não quer ficar com as mãos sujas de sangue. Renata tem a certeza de que isto não saiu da consciência pesada dele e que foi Afonso que o mandou ali.

Afonso olha tenso para Mia. Estão ambos do lado oposto à entrada do turismo, junto ao carro, ele quer ir ter com Carlos, mas Mia impede e segura-lhe o braço, diz-lhe que vão esperar.

Renata diz a Carlos que vai sair dali com Nuno e vão diretamente para o aeroporto. Carlos não quer deixar a sua família, Renata diz-lhe que não tem escolha e a família dele vai lá ter depois. Diz-lhe que se ele voltar a falhar com ela vai sofrer as consequências. Nuno leva Carlos pelo braço, puxando-o com brusquidão e saem pelas traseiras do Turismo Rural.

Mia encostada ao seu carro do lado oposto à entrada do turismo, espera, tensa, que Afonso regresse. Nesse momento, o som de outro carro chama-lhe à atenção. É o carro de Renata que se afasta, ao longe. Mia ainda troca um olhar com Carlos, que segue no lugar do pendura, Nuno vai a conduzir e não a vê. Mia, aflita, começa a escrever uma mensagem para Afonso. Vê o carro de Renata a ir embora e troca um olhar com Carlos, envia mensagem para Afonso.

Renata e Afonso estão frente a frente sentados numa mesa da sala do Turismo Rural. Renata desliga uma chamada e encara Afonso numa postura dissimulada. Já Afonso, analisa-a apreensivo. A tensão entre os dois, apesar de disfarçada, é evidente. Afonso mente sobre o porquê de estar ali e fala sobre o seu negócio dos passeios de bicicleta, controla-se para não confrontar Renata com a verdade sobre o estudo ambiental. Afonso levanta-se, tira um cartão da empresa do bolso e atira-o para a frente de Renata com desdém. Diz que lhe fazia bem conhecer a terra que ela quer afundar e sai. Renata desfaz o falso sorriso.

Tó “decora” uma bicicleta para um passeio com motivos cor-de-rosa enquanto Xana limpa a mesa de trabalho do filho, Tó mente para quem é a bicicleta que ele está a preparar e diz que é para a namorada de um cliente. Xana acha que um passeio de bicicleta é pouco para agradar a uma mulher. Tó fica inseguro com a conversa de Xana e diz que a seguir vão jantar, ela diz que é bom que seja um restaurante de 5 estrelas. Orlando chega e Tó entrega-lhe o seu capacete, vai fazer o trilho intermédio e espera estar à altura. Xana diz para ele ter cuidado com as más línguas.

(conclusão)

Por Ti

 

Episódio 87

 

 

Destaques

Afonso é apanhado por Carlos a vasculhar a casa dele.

Estudo ambiental esconde falha geológica.

 

Tó Calhau faz abdominais e Neca vem em seu auxilio a brincar. Diz que a mãe está angustiada com o táxi e Tó diz que há coisas que nãos e controlam. É deixar ir.

Lara serve café a Mary e fica irritada com postura de Mary Louise, diz-lhe que está cansada das opiniões dela sobre a sua relação com Dieter. Mary acha que Lara devia ouvi-la porque conhece Dieter há mais tempo. Lara acha que ela quer voltar para ele, mas Mary Louise diz que o Dieter já não é o mesmo, no tempo dela, ele não aturaria o tipo de relação que tem com Lara. Fala do tipo de liberdade que tinham juntos e Lara fica furiosa.

Bernardo está na capela a agradecer a Deus por não estar preso e poder ver as filhas crescer. Apercebe-se de Miguel no chão, que continua desmaiado. Vê que ele não reage, mesmo depois de lhe levantar um braço. Coloca um cálice frente ao nariz dele e aflito, diz que não respira. Pensa em não ser acusado de homicídio e atira o cálice para o lado. Miguel abre os olhos e vira-se, recuperando os sentidos, lentamente, mas sem se conseguir levantar, ainda. Bernardo agarra-se à barriga, reprimindo uma cólica.

Mia diz ao pai que a presença de Helena lá em casa é inexplicável, aquela casa ainda é de Mónica. Paulo só quer falar com a filha e recuperar a sua relação com ela, vai estar sempre à sua espera. Mia diz que vai ser difícil, não lhe apetece ver o pai bem, já tem Helena e a mãe sofre em Lisboa.

Mónica toca a campainha do prédio onde vive Carlos, finge ter uma carta registada para ele, a mulher diz pelo intercomunicador que o marido está a viajar e depois passa nos correios para levantar a carta. Mónica diz a Afonso que a mulher de Carlos nem abriu a porta, disse que o marido está fora. Afonso desconfia que tenha sido Renata que o ajudou a desaparecer.

Rui agradece convite de Renata, diz que o almoço foi muito agradável. Rui diz-lhe que vão falando, e depois de ele sair de perto dela, ela, com sorriso gélido, diz que pode crer que vão.

Renata quer saber se Nuno já tem tudo pronto, liga a Rui e Nuno testa a escuta. Percebem que gravaram tudo, Renata quer ouvir tudo o que Rui falar ao telefone. Já sente pena dele.

Afonso prepara-se para sair da vigia, quando Mónica vê a mulher de Carlos a sair, decide segui-la. Afonso diz que fica, para tentar encontrar outras pistas. Afonso avança pelas traseiras e entra na sala de casa de Carlos pelo jardim, está desconfortável por entrar em propriedade alheia, começa a vasculhar tudo até pisar um peluche que faz barulho e apanha um susto.

Paulo não gosta de saber que Helena foi falar com Rui. Conta-lhe também que Mia perguntou se achava que ia ser feliz com Helena. Ela espera a resposta e Paulo diz-lhe que já é feliz, mas têm de parar de se recriminar por se amarem.

Afonso surge do interior a mandar um áudio a Mónica. Durante o tempo que Afonso leva a gravar o áudio, vemos que Carlos entra em casa, aproxima-se dele pelas costas e agarra-o. debate-se e consegue virar Carlos por cima de si imobilizando-o contra o chão. Afonso diz que não sai dali sem saber o que se passa com o estudo ambiental. Carlos, aflito, diz-lhe que o estudo é falso.

Miguel bebe da água benta que Bernardo lhe dá. Queixa-se de estar tonto e Bernardo dá-lhe hóstias para comer. Miguel diz que não pode beber água benta nem comer hóstias, vai parar ao inferno. Simão aparece e fica preocupado com o pai.

Carlos conta a Afonso o que foi omitido no estudo da barragem: uma falha geológica. Nunca pensou que Renata avançasse com a obra e não quer ser incriminado por uma tragédia que possa acontecer. Afonso não compreende como Renata avançou sabendo dos riscos que corria. Fica ainda mais determinado.

Eugénio diz a Renata que há alguma coisa que não está certa quanto à construção da barragem, diz que sente e lembra-se da visão que teve. Renata garante que está tudo controlado, Eugénio sai perturbado e ofegante.

Na capela, Isabel mostra uma atitude maternal com Miguel, veste-lhe uma camisa lavada e Simão entrega-lhe uma salada para ele comer. Isabel diz que, apesar de separados, não deixa de ser da família. Orlando não deixa Bernardo escapar ao serviço comunitário. Simão, com pena do pai, pergunta se Miguel pode voltar para casa, Isabel hesita em aceitar.

Zé tenta de tudo para chamar a atenção de Dulce seduzindo-a. Ela ri e fala sobre o táxi de Xana, diz que está com pena de Xana. Zé diz-lhe que ainda não o quer devolver a Xana, tem a indeminização dos terrenos em banho-maria por causa dela.

Xana continua a dizer que não vende os terrenos no valor que a empresa Jones oferece. Neca alerta-a para a compra de um táxi novo, Xana diz que não quer aceitar o que Renata está a oferecer pois sabe que ela irá pagar mais pelos terrenos.

Afonso fala com Mia sobre o que Carlos lhe contou. Não percebem como Renata quer avançar com a obra sabendo da fenda que existe no local, porque se surgir algum problema ela é obrigada a parar. Acha que há mais qualquer coisa que lhes escapa. Afonso tem uma ideia e pede a Mia para ir com ele.

Mia e Afonso entram vindos da rua na casa de Mia, acompanhados por Carlos. Cada um traz um pequeno saco de viagem. Mia vem com o semblante preocupado, espera que Carlos não os traia. Carlos diz que só quer tirar o peso de cima das costas que sente e não ser responsável pela morte de ninguém. Afonso está determinado.

Tó, deprimido, vinga-se a fazer exercício com pesos enquanto come donuts e grita o nome de Armanda em lágrimas. Recebe uma sms e pensa que é ela, mas é uma cliente a marcar a revisão do carro.

 

(conclusão)

Tags

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

ATV News

<>