fbpx
SIC

Lourenço Ortigão recorda mortes de Filipe Duarte e Pedro Lima: “Ele vai estar sempre presente”

Lourenço Ortigão
Instagram

Lourenço Ortigão esteve à conversa com Daniel Oliveira, numa entrevista que foi emitida este sábado, na SIC.

Lourenço Ortigão é o convidado deste sábado, 9 de outubro, do ‘Alta Definição’. Recém-chegado à SIC, o ator falou com Daniel Oliveira sobre momentos e pessoas que marcaram a sua vida, e o seu primeiro desafio no canal, a série da OPTO ‘O Clube’.

Lourenço Ortigão começa por afirmar: “Durante muito tempo senti que tinha mais capacidade do que aquilo que as pessoas sabiam“.

Nós nunca sabemos tudo, pelo contrário, sabemos cada vez menos“, destaca ainda o artista.

Lourenco-Ortigao-Filipe-Duarte

A amizade com Filipe Duarte, que faleceu no ano passado, também foi abordada. “Nós passávamos muitos momentos juntos, só os dois. Eu queria ser como ele, e dizia-lhe“, recorda o ator, com ternura.

Não tenhas medo de arriscar. Às vezes temos medo. Custa muito mais desligar e tentar outro caminho do que seguir numa onda que sabemos que vai continuar“, acrescenta Lourenço Ortigão.

O Pipo disse para não ter medo de arriscar”

O Pipo [nome como trata carinhosamente Flipe] disse para não ter medo de arriscar e isso deu-me muita força. Desde que ele foi, consigo que ele esteja mais presente na minha cabeça. Lembro-me dele todos os dias“, continua.

Questionado por Daniel Oliveira de como é que tomou conhecimento da morte de Filipe Duarte, o ator contou que foi através de um telefonema do pai. “O Pipo fez parte da minha vida de uma forma mais íntima do que as pessoas pensam. Passávamos muitos momentos juntos, só os dois, e era, a par do meu irmão, o meu principal confidente e nesta área o meu principal conselheiro“, disse.

Queria ser como ele”

Idolatrava-o. Queria ser como ele. Dava valor à forma como ele geria a carreira dele, como era bom profissional, bom colega, bom ser humano, bom amigo, bom marido. Sugava tudo dele. (…) Ele vai estar sempre presente. Quando entro num projeto novo penso sempre nele“, remata Lourenço Ortigão.

Recorde-se que Filipe Duarte faleceu no dia 17 de abril de 2020, com apenas 46 anos, na sequência de um enfarte.

Pedro-Lima-6
Instagram

A morte de Pedro Lima

A data altura, Lourenço Ortigão falou sobre Pedro Lima, que perdeu a vida no dia 20 de junho de 2020.

Choro muitas vezes quando sinto falta de alguma coisa. Diria há uma semana, numa noite“, desabafa o ator a Daniel Oliveira, confessando ainda que gostaria de saber se havia algo que pudesse ter feito para mudar a trágica partida do artista. “Quando perdemos alguém há sinais que são óbvios e nós não ligamos. Gostava de saber se podia ter mudado isso“, afirma.

Ele ligou-me poucos dias antes, três dias, para aí, só para falar. Às vezes penso: podia ter mudado alguma coisa?“, questiona, terminando: “Não me soou a despedida em nada. Depois pensei e repensei e não tenho resposta. Dava tudo para poder ter mudado isso“.

Namoro com Kelly Bailey

A data altura da conversa com Daniel Oliveira, Lourenço Ortigão falou sobre o seu relacionamento com Kelly Bailey, também atriz. Questionado pelo apresentador se sentia a prisão dos dois serem considerados o “casal perfeito”, o ator respondeu afirmativamente.

Somos só um casal, mais nada. Há muita pressão nesse sentido, mas tentamos ao máximo aliviá-la. Não somos um casal perfeito, nenhum casal é perfeito. O que nos motiva a continuar é irmos mudando. Damo-nos muito bem e cada vez melhor“, garante.

De seguida, deixou inúmeros elogios à namorada: “A Kelly é o prolongamento de mim. Somos parecidos a todos os níveis. É focada, objetiva, ambiciosa, muito boa. (…) Tem a vantagem de se identificar comigo e eu com ela. Vendo o exemplo um do outro acabamos por aprender e decidir“.

Leia também: Lourenço Ortigão sobre ‘O Clube’: “Foi complicado abraçar o tema da intimidade com tanta naturalidade”

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

ATV News