fbpx

“Era o que faltava, após 49 anos de democracia, censurar a liberdade em Portugal”

Duarte Costa
2 min leitura

Ricardo Araújo Pereira (RAP) “brincou” com Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República de Portugal, no programa Isto É Gozar Com Quem Trabalha, da SIC, e foi alvo de uma denúncia no Ministério Público.

Em causa, o facto de o humorista e da equipa com a qual trabalha terem pegado em dois vídeos do Chefe de Estado e de os terem manobrado à sua maneira. Em um deles, Marcelo pergunta a uma mulher em Viana do Alentejo, no distrito de Évora, se a cadeira que lhe está a oferecer vai aguentar com ela.

Numa outro vídeo, no Canadá, o Presidente da República diz a duas pessoas que a filha é mais bonita do que a mãe, mas que pode apanhar uma gripe, devido ao decote.

As brincadeiras efetuadas por RAP, na opinião do queixoso, tratam-se de “crimes de ofensa à honra do Presidente da República” e “ultraje de símbolos nacionais e regionais“.

Paulo Abreu, chefe de redação da revista TV Guia, já veio defender Ricardo Araújo Pereira. “Era o que faltava agora, após 49 anos de democracia, censurar a liberdade e a criatividade artísticas em Portugal“, referiu.

Leia também: Diretor da CMTV sai em defesa de Ricardo Araújo Pereira