fbpx

Mário Augusto revela episódio com o marido de Fátima Campos Ferreira: “Nunca me perdoou”

Duarte Costa
3 min leitura
Instagram

Na sequência da morte de Manuel Rocha, antigo diretor de Informação da RTP e marido de Fátima Campos Ferreira, Mário Augusto utilizou a rede social Facebook para recordar os primórdios da sua própria carreira e de um episódio muito particular vivido com Manuel Rocha.

Fui o rapazito mais novo da RTP Porto durante uns tempos, muitas peripécias, uma camaradagem de que tenho saudades. Poderia aqui falar de muita gente já retirada das lides da televisão. A Ivone Ferreira, a Fátima Torres, Zé Cruz, a Zé Azevedo, a Judite Sousa, o Carlos Ribeiro e muitos outros que, nos bastidores da televisão, me foram empurrando para dentro desta profissão sem que obedecesse a um plano, apenas querer fazer e eles a deixarem os mais novos fazerem“, contou.

Houve um nome essencial que hoje recordo com tristeza porque partiu, o Manel Rocha. A ele devo a oportunidade de começar a fazer reportagens na redação da RTP Porto, eu já andava por lá a falar de cinema na produção dos programas. Ao Manel devo a oportunidade de ter começado a fazer reportagens, a apresentar o Bom Dia, em 1989…“, lembrou.

Por exemplo, ainda me lembro de, em 1991, lhe ter entrado pelo gabinete dentro a sugerir que me deixasse ir a Los Angeles fazer a entrega dos Óscares. Ele não só deixou como disse: Boa ideia. Trate disso, falo já com o Zé Eduardo (Moniz). E lá fui. Não me desabituei mais dessas andanças“, confidenciou.

Mário Augusto relatou ainda que “foram anos importantes” e que o Manel Rocha reconheceu no seu entusiasmo a vontade de fazer disto a sua vida e a apoiou, sem cunhas e sem pressão, só por acreditar nessa sua vontade.

Poderia aqui contar muitas histórias, fomo-nos separando, mas com grande respeito e estima mútua que lhe dava orgulho. Ele não perdoou a minha saída para fundar a SIC, em 92, mas sempre que nos encontrávamos era um abraço sentido que dávamos e ele dizia-me sempre a rir: não se esqueça que fui eu que lhe dei oportunidade de ser quem é…“, recordou.

E nunca mais se esqueceu. “É verdade. Devo-lhe isso, a ele e à equipa dele da altura, onde estava a Judite Sousa, o Zé Cruz, Marques Rocha, entre outros. Bem vistas as coisas, o Manel Rocha teve olho e agradeço. Agradeço eu e mais uns quanto, amigos que hoje o celebramos já com saudade de quem partiu“, acrescentou ainda Mário Augusto.

Mário Augusto de luto pela morte da mãe: “Partiu muito digna e serena…”

A foto procurei-a por aí. Talvez tivesse alguma onde estamos juntos na RTP nos meus primórdios, mas optei por esta mais…

Posted by Mário Augusto on Monday, February 13, 2023