fbpx
Famosos

Francisco Moita Flores faz relato arrepiante após sofrer ataque cardíaco: “Histórias que vivi enquanto estava morto”

Francisco Moita Flores
Facebook

Francisco Moita Flores sofreu um ataque cardíaco quando se preparava para dar autógrafos na Feira do Livro, no domingo, dia 11.

Francisco Moita Flores sofreu um ataque cardíaco há quinze dias. O antigo inspetor da PJ e escritor, de 69 anos, decidiu recordar o momento em que tudo aconteceu, quando se preparava para dar autógrafos na Feira do Livro, em Lisboa.

O escritor teve de ser levado de urgência para o hospital e foi sujeito a uma intervenção complexa no hospital de Santa Marta. Esta segunda-feira, dia 26 de setembro, recorreu às redes socais para falar sobre estes últimos dias.

A vida passa depressa e, por vezes, regressa lentamente. Já passaram quinze dias. Cheguei à Feira do Livro para começar a minha sessão de autógrafos. Entrei no pavilhão da Leya, bem disposto, que esta Feira é uma Festa, cumprimentei a Francisca, construtora de livros, e… pronto! Acabou-se. Como se fosse atingido por um raio negro de uma trovoada. Sem trovão, silencioso e rápido, como se gostam de apresentar os enfartes mais assassinos”, começou por dizer Francisco Moita Flores.

O escritor aproveitou o tempo que esteve no hospital para ouvir as histórias que “viveu enquanto estava morto”. “Dei por mim, quase uma semana depois, no Hospital de Santa Marta. Espantado ao escutar as histórias que vivi enquanto estava morto. – Saiu-lhe o Euromilhões. – Tem de ir a Fátima por uma velinha. Esteve do lado de lá e regressou. – Ponha umas velinhas a Santa Marta quando sair daqui”, acrescentou.

De seguida, Francisco Moita Flores revela o rebuliço que aconteceu no parque quando sofreu o ataque cardíaco.

“Contaram-me que foi um rebuliço no Parque. Socorristas, médicos que estavam por perto, desataram aos sopapos à morte, espantando-a dali, arrancando-a do meu peito à bruta, mas com precisão.
Em Santa Marta, o Professor Fragata e a sua equipa, com a experiência dos sábios, cortaram, costuraram, tiraram daqui e puseram ali, e, por fim declarou: – Está vivo!”, continuou.

“Eu não sei se ele disse isto, mas contaram-me que o tinha dito. Quando ganhei consciência, ainda meio pateta, fotografei a ressaca e coloquei nesta página para agradecer à multidão de amigos, enquanto prometia que não daria tréguas àquele Diabo que entra traiçoeiramente pelo coração, que o agarra e quer levá-lo desta para melhor”, disse Francisco Moita Flores, deixando um profundo agradecimento a todos os profissionais do hospital Santa Marta.

“Hoje publico nova foto, depois dessa refrega infernal. A coisa vai, meus amigos. A coisa vai. Perdi o juízo por uns dias, mas não perdi a memória. Nela guardo os espantosos profissionais de Santa Marta. Formidáveis na sua humanidade e dedicação. Custa saber que esta gente, por vezes, é maltratada. São grandes demais para ofensas medíocres. Que Santa Marta os proteja para sempre!”, agradeceu.

“E eu resisto. Ainda frágil, mas sabendo que existe mais caminho para andar. O mais fraterno abraço a todos quantos se preocuparam e quiseram saber. Bem Hajam!”, rematou Francisco Moita Flores.

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

ATV News