«Destinos Cruzados»: resumo de 6 a 12 de maio

Episódio 86

Laura vê na televisão as notícias sobre o julgamento e fica muito nervosa. Inácio chega a casa com claros sinais de não estar a ver bem e pergunta o que se passa. Laura diz-lhe que tem de arranjar uma maneira de ele ser operado, pois já não aguenta aquela situação. Inácio não percebe o duplo alcance das palavras da suposta filha e fica emocionado com a determinação dela.

Raimundo dá o presente a Teté, confiante de que ela vai adorar. Quando a mulher abre o embrulho fica chocada com o que vê e perde a cabeça com o marido. Assim, Raimundo percebe que trocou os embrulhos e deu à esposa uma medalha que diz “rainha da Piedade”. Enquanto Teté descarrega a sua fúria no padeiro, Emília está absolutamente deslumbrada com o colar que Raimundo lhe deu por engano.

Eduardo testa Beatriz para avaliar se pode ou não colocar o seu plano em prática. O fotógrafo diz à esposa que está bastante confuso e não sabe se foi, de facto, Laura quem o mandou matar. Beatriz assume que as dúvidas do marido são falsas e que ele só está a dizer aquilo para que ela se sinta melhor, pois tem vindo a aproximar-se da mãe. Embora Beatriz se revele agradecida com a atitude do marido, afirma que apenas pretende saber a verdade, ainda que esta a magoe. Eduardo não esperava esta reação da mulher e fica pensativo.

Emília preparou uma grande festa em sua casa para comemorar o seu aniversário e todos estão presentes. Moisés e Guida mal conseguem disfarçar a atrapalhação que sentem sempre que se olham e afastam-se imediatamente. Já Rufino não consegue tirar os olhos de Érica, que também o olha envergonhada e apaixonada, para logo desviar o olhar. Tobias oferece ajuda a Rufino, mas este sente que a oferta do rapaz traz segundas intenções e recusa a ajuda. Luana diz a Tobias que ele já não consegue disfarçar o que sente por Rufino. Emília chega à festa deslumbrando todos com a sua elegância e com o seu colar valioso.

Raimundo refugia-se na padaria para ter alguma paz e Noémia vai lá perguntar-lhe se está tudo bem, atraída pela luz. Raimundo conta-lhe o que se passou e Noémia sente-se culpada. Assim, a empregada convida-o para ir a casa de Emília para não estar ali sozinho. Sem muitas soluções, Raimundo aceita. Emília fica deslumbrada quando o vê. Os dois conversam e Emília agradece-lhe o presente, afirmando que é um presente com muito amor. O padeiro tenta desvalorizar a questão, mas Emília tenta beija-lo descaradamente. Raimundo rejeita-a, deixando-a confusa. Emília afasta-se para ir buscar o bolo e Rufino e Érica aproveitam a oportunidade para ir ao quarto buscar a prenda para Emília.

Depois do jantar, Isadora simula dar por falta da estatueta, propositadamente. Todos acham estranho faltar uma peça que estava à vista de toda a gente e a designer pergunta dissimuladamente a Alzira que esteve alguém lá em casa que não fosse da família. Alzira aponta Bárbara, que é imediatamente excluída por ser rica e depois refere Fernanda. Isadora insinua que Fernanda está a precisar de dinheiro urgentemente, deixando Sílvia e Lourenço revoltados. Sílvia defende a filha com unhas de dentes e é apoiada por Jaime e Lourenço que acreditam no caráter da mecânica.

Sem conseguirem resistir mais, Rufino e Érica beijam-se apaixonadamente e são apanhados por Emília que deixa escapar que eles são primos. Perante o choque geral, Emília é obrigada a admitir que é mãe de Érica. A rapariga sente-se enganada e revoltada com o que descobriu e Guida é a única que apoia Emília, que se tenta justificar. Érica sai de casa pedindo que não a sigam e Guida fica a reconfortar uma chorosa Emília, abandonada por todos.

O inspetor Machado vai à mansão e afirma não ter descoberto nada de relevante sobre quem enviou as joias, senão que foi uma mulher. Jaime fica pensativo e pede ao inspetor que investigue a história ao máximo.