O Protagonista

O Protagonista do Ano (agosto)

OProtagonistadoano

No auge do verão televisivo era o Cabo quem mais dava que falar. Com uma mudança no método de medição audimétrica, agosto marcou radicalmente os números e o peso dos canais temáticos nas audiências. De um momento para o outro, o Cabo começou a somar vitórias consecutivas face às generalistas, acabando o mês de agosto líder de audiências, pela primeira vez na história da televisão em Portugal.

Mas enquanto isso, os canais abertos já preparavam por esta altura, e em força, a rentrée que se aproximava. E é aqui que uma cara televisiva ganha um especial destaque, tornando-se numa das maiores transferências televisivas do ano, ao trocar a TVI pela RTP. Falo-vos, claro de Pedro Granger, o protagonista do mês de agosto.

Foi na sua página do Facebook que o conhecido ator e apresentador surpreendeu todos, no final do mês de julho. Num comunicado emitido nesta mesma rede social, Pedro Granger comunicava a todos os seus fãs que, depois de uma exaustiva reflexão e passados vários meses de “conversas, negociações, dúvidas e indecisões”, abandonava a TVI, 11 anos depois de ter começado a colaborar com a estação de Queluz de Baixo na novela Jardins Proibidos.

Era um ponto final na especulação que se levantava, semanas antes, na imprensa escrita. Pedro Granger esclarecia, finalmente, a sua saída da TVI também que não tinha recebido qualquer convite para ingressar na SIC. Versão claramente desmentida na imprensa escrita que, garantia que Pedro estava já de malas aviadas para Carnaxide, onde Gabriela Sobral e Júlia Pinheiro teriam, supostamente, uma mão cheia de novos projetos para o jovem, tais como, a apresentação da adaptação portuguesa de X-Factor ou até mesmo um lugar no elenco da nova novela, Rosa Fogo. Era, de certa forma, a causa evidente para esta saída abrupta da TVI.

Mas em meados de agosto, Pedro Granger voltou a surpreender. Com o regresso anunciado do Elo Mais Fraco aos serões da RTP, a dúvida sobre quem iria conduzir esta nova edição surgia. Foi neste mês que, para surpresa de quase todos, Pedro Granger foi apresentado oficialmente como a nova aposta da RTP para o seu horário nobre, mantendo-se, desde 19 de setembro, todas as noites à frente do concurso de cultural geral, contra todas as vozes que o davam como certo em Carnaxide.

Curiosamente, o programa que marcou o mês de agosto esteve para ser apresentado por Pedro Granger, ainda na TVI. Talvez por isso não se ter vindo a concretizar, Canta Comigo revelou-se um autêntico fracasso nas mãos de uma Rita Pereira muitíssimo inexperiente. Derrotas sucessivas e humilhantes contra os apanhados da SIC, afundaram a TVI em muitos serões de domingos.

Canta Comigo marcou, pelas piores razões, o ano da estação de Queluz, tornando-se num símbolo da deriva da televisão generalista, parca em ideias e com produtos ocos como este, contra um Cabo cada vez mais forte e em ascensão.

  • Anónimo

    Para mim, não foi só culpa de Rita Pereira o fracasso de “Canta Comigo”. Aquele programa não trouxe nada de novo, contudo, se Pedro Granger tivesse ficado na TVI e tivesse apresentado com a Rita o programa referido, poderia vencer o programa da concorrência, ou não, pois, como disse,aquele programa era mais do mesmo. Mas teria sido diferente a vários níveis e até a performance da Rita teria sido diferente se o tivesse como ajudante e ela teria melhorado como apresentadora. E é por esta e outras coisas que acho que o Pedro fez a pior escolha, na minha opinião. Isto porque ele teria inúmeros projectos pela frente na TVI, embora eu bem saiba que na SIC também os tinha, mas nem aproveito nem um nem outro canal. Na TVI poderia apresentar muito provavelmente : “Canta Comigo”, Diários de “Secret Story 2 – Casa dos Segredos”, novos projectos na ficção como telenovelas e telefilmes. E outros no futuro! Na SIC também poderia apresentar o “X-Factor” e entrava em novos projectos na ficção do canal! E outros no futuro! Acho que ele deveria de ter ficado na TVI, mas ele fez outra escolha, que na minha opinião, foi uma má escolha, porém, fê-la! 

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close