TVI

Teresa Guilherme «entrou» na casa e deixou Fanny em lágrimas

Fanny Rodrigues deu a novidade após ter entrado na Casa dos Segredos – O Reencontro.belle portugaise, aproveitou a partipação no reality show para lançar um livro e recebeu uma cópia na Casa.

A Voz pediu a Fanny para ler o prefácio, escrito por Teresa Guilherme. «Ainda não tinha lido», afirma em lágrimas. Finalmente conseguiu começar a ler, com a Casa em silêncio para ouvir.

«A Fanny é pequena, mas é um mundo cheio de cores, sons e sentimentos. Brilha porque ri muito, chora fácil e ama sem bebida. Tudo à flor da pele, nenhum filtro e sem medos. Era e é uma menina corajosa, que quer viver os seus sonhos de vitória e não cai com as derrotas por mais duras que elas sejam. A Fanny entrou em várias Casas e apesar de ser uma figura central, nunca ganhou. Foi um dos principais motores da Casa dos Segredos 2, onde Portugal a conheceu nos seus apaixonados 19 anos. Bateu forte lá dentro, de quem gostava dela e de quem não gostava. Ela é assim, não deixa ninguém indiferente. Lembro-me da primeira vez que a vi, numa foto toda sorridente, boca de mimo, olhos de desafio e pose vaidosa, tirada no primeiro casting em Lisboa. Uma Fanny gordinha, alegre, única. Deixei-me conquistar pela ingenuidade dos lacinhos que ela tinha tatuado nos tornozelos, só a Fanny para inventar, o que podia ser um disparate noutra pessoa, mas nela fazia todo o sentido. Lembro-me de rir e dizer “Olha os lacinhos, que fofa”, mal eu sonhava que estava ali uma lutadora rija, que por mais que eu insistisse, ia dar tudo no confessionário, para negar que o seu ex mais que tudo Dioguinho, no seu coração, já tinha ido andar de mota. Não resisti a repetir este trocadilho. A Fanny não baixou a guarda e manteve o não se passou nada com o João. Afinal não se tinha passado nada com ele. Mas com ela tudo, e há volta dela também. Cá fora lutava com bravura, o grande homem da vida da Fanny, o seu inabalável e inesquecível pai. O grande Srº Fernando que de bigode e dedo defendia tudo e contra todos, a inocência da sua menina. Gostei dele desde o primeiro minuto em que falamos. Um papa protetor, com um amor incondicional, e uma força sem fim, como em sonhos são todos os pais. O Srº Fernando esteve em todas as galas, doesse a quem doesse, mesmo quando a ele também doía. Aguentou tudo o que se disse, inventou e comentou sobre a sua princesa, até ao dia em que ela deixou o jogo, já perto do fim. Para lhe secar as lagrimas de saudade e esmagar as desilusões amorosas. Num abraço que tudo conseguia apagar. Sempre penso no Srº Fernando como um concorrente querido, apesar do seu segredo ser “Eu nunca estive na Casa”. A Fanny saiu do jogo, mas nunca do meu coração. Gostei de a ver, agarrar a vida como podia e sabia e com a experiência que foi podendo e sabendo sempre mais, porque não parou de acreditar. Tem o direito de ser feliz, amada e vencedora. E por mais medo que tenha de um desafio, nunca se fica. A Fanny é lutadora. E eu aqui estou para lhe dizer “Tu vais conseguir minha Fanny. Fica aqui a palavra da tua Teresa, como gostas e eu gosto que me chames”. Este livro conta mais um episódio da história da vida real da sempre belle portugaise, Fanny. Minha Teresa, um grande beijinho».

Ao longo da leitura prefácio, os concorrentes não contiveram as lágrimas. Os restantes finalistas receberam um livro. Por breves momentos pareceu que Teresa Guilherme estava na casa mais vigiada do país.

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close