TVI

Teresa Guilherme considera que «Big Brother» foi o seu melhor e pior

Numa conversa de ‘amigos’ e sem qualquer tipo de rodeios, Teresa Guilherme falou, em resposta a um dos seguidores de Maluco Beleza, o programa online de Rui Unas, sobre o que fez de melhor e pior em televisão.

Teresa Guilherme considerou que o seu melhor e pior foi, sem sombra para dúvidas, a primeira edição de Big Brother, emitida há 18 anos. Para a apresentadora, o programa marcou-a positivamente por “ter sido eu mesma. Fiz do programa, um programa familiar, tornando-se uma ‘curtição’. O que fiz foi ser exatamente eu: interessada, curiosa, coscuvilheira, casamenteira e não se falava para o confessionário. Considero que fui inovadora”.

Já o lado negativo, assume, “foi ter soltado um monstro que nunca mais voltar para dentro da sua toca”, dada a invasão da privacidade que o tipo de programas traz consigo, tendo envolvido anónimos em situações de stress atípicas.

Um dos fenómenos que, muito rapidamente associa ao Big Brother, passa pela febre das revistas cor-de-rosa, que, aproveitando a porta aberta pelo reality show, “se tornou impossível. Tudo se pode fazer, tudo se pode dizer”.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

ATV News


Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close