fbpx
TVI Big Brother

Queixas de Bruno Almeida do ‘Big Brother’ por discriminação foram arquivadas

Bruno Almeida, Big Brother

As queixas de Bruno Almeida, concorrente do ‘Big Brother’ por discriminação foram arquivadas.

Bruno Almeida, o concorrente do ‘Big Brother’ foi impedido de dar sangue no início do ano, por ser homossexual. A sua denúncia chegou à Assembleia da República e mexeu com as normas da DGS. Mas, agora, o IPST decidiu outra coisa nos inquéritos internos.

Fechado na casa mais vigiada do país, Bruno Almeida “viu” recentemente a sua queixa contra os profissionais do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST), alegando discriminação dos homossexuais na doação do sangue, ser arquivada. Segundo a Agência Lusa, foram arquivados os três processos das alegadas práticas discriminatórias: um deles visava um médico que, numa resposta por e-mail/, escreveu que “os homens que tem sexo com homens estão impedidos de dar sangue“; os outros dois eram referentes aos profissionais que fizeram a triagem ao arquiteto.

No início do ano, a diretora do IPST, Maria Antónia Martins, defendeu-se: “Os nossos profissionais não são pessoas discriminatórias, são pessoas inclusivas, são funcionários públicos que tudo dão a esta Instituição.

Bruno Almeida tornou-se conhecido em janeiro, quando revelou ter sido impedido de dar sangue por ser homossexual. As normas foram reavaliadas, numa discussão em São Bento, e em seguida o Questionário para o dador de sangue foi atualizado.

Leia também: ‘Big Brother’. Bruno arrasa Rita: “Ela é maluquinha… É uma falta de carácter gigante”

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

ATV News