fbpx

Pedro Carvalho: “Um estrangeiro fazer carreira lá fora é três vezes mais difícil”

Ana Ramos
4 min leitura
Facebook

Pedro Carvalho esteve, esta quinta-feira, no programa de Manuel Luís Goucha, na TVI, e falou sobre a carreira que está a construir no Brasil.

“As pessoas, às vezes, não têm noção, mas um estrangeiro fazer carreira lá fora é três vezes mais difícil”, afirmou o ator, referindo que um dos primeiros obstáculos que encontrou foi a língua.

“Quando fui contratado, eu tinha contrato nesta casa, estava a acabar e eu já ia fazer uma novela a seguir e ligam-me do Brasil a dizer: ‘Olha, o diretor e o autor viram, estamos a fazer um scouting há muito tempo e gostámos muito do teu trabalho e encaixas-te perfeitamente naquilo que é o personagem’”, recordou Pedro Carvalho.

Na altura, disseram-lhe que, caso aceitasse, teria de estar no Brasil duas semanas depois para ser apresentado à empresa: “Aquilo foi assim… o que é que eu faço?”.

“Eu estive quase para não ir mesmo, porque, é assim, largar tudo aqui, as pessoas, a minha família e os amigos, tudo… Na altura, tive pessoas assim que me apertaram os calços ‘tu vais e vais mesmo’, pessoas de muita confiança minha e eu fui”, contou Pedro Carvalho, referindo que a novela que foi integrar foi “Escrava Mãe” (2016) e interpretou Miguel Sales, pai da Escrava Isaura.

“Fui para o Brasil, cheguei lá e ninguém entendia o que eu falava. Eu ia no supermercado e tinha de falar muito soletrado, porque, realmente, nós fechamos muito as vogais”, relatou Pedro Carvalho, recordando que, nos primeiros cinco anos, investiu do seu “bolso em aulas de fonoaudiologia”. “Hoje em dia, já consigo fazer um personagem brasileiro, tanto que os meus últimos três personagens já são brasileiros e isso, para mim, foi uma conquista”, considerou.

“Foi um trabalho em que eu fui extremamente feliz, dos projetos que eu mais gostei de fazer! A maquinaria, as cidades cenográficas… aquilo, para mim, era uma coisa ‘hollwyodesca’ completamente e foi um trabalho muito feliz que teve uma repercussão incrível”, disse Pedro Carvalho.

Atualmente, Pedro Carvalho participa na nova novela da TV Globo “Fuzuê”, interpretando Rui Sodré, um agente português, no sexto projeto que integra no Brasil.

Já na rádio Mega Hits, também esta quinta-feira, Pedro Carvalho explicou quais as diferenças que encontrou entre a indústria de telenovelas brasileira e a portuguesa: “Primeiro de tudo, é o orçamento que se tem para fazer lá e cá. Isso nota-se bastante”.

“Eu acho que nós aqui em Portugal somos muito bons. A primeira novela que eu gravei foi a ‘Escrava Mãe’, que eu fui fazer o protagonista, era uma novela das 19h. Eu lembro que, numa das cenas, eu fiquei ‘eu não estou a acreditar nisto’. Era um estúdio todo em croma gigantesco e era um navio antigo de 1803 que abanava, que tinha água, coisa de Hollywood mesmo. Agora, nós aqui em Portugal fazemos milagres, porque, com os orçamentos que têm… mas, é assim, já se fazem coisas muito boas”, comentou Pedro Carvalho.

Veja aqui e aqui uma parte da conversa.

Relacionado: