fbpx
TVI

Multidão na Nazaré choca celebridades! Goucha está revoltado

Cláudio Ramos, Multidão Na Nazaré
Instagram Cláudio Ramos

Goucha está revoltado com a multidão na Nazaré. Para ele, as várias centenas de indivíduos que se aglomeraram para ver as ondas gigantes são uns autênticos “imbecis e criminosos”.

Acho isto inadmissível, criminoso. As pessoas se se quiserem infetar, que se infetem, mas não infetem os outros. Isto é inadmissível“, disse Goucha, furioso, durante o programa desta sexta-feira do ‘Você na TV’, na TVI.

Com ele, tinha a psicóloga Vera de Melo. A profissional explicou que tal aglomerado poderá vir a ter consequências económicas e na saúde, nos próximos dias, e Goucha completou. “E na vida de outras pessoas que não estavam ali e não tinham nada a ver com isto“, sublinhou.

Manuel Luís Goucha acrescentou ainda que a crítica não serve para as pessoas que até estavam afastadas e a cumprir as regras de segurança, mas sim para as outras “centenas” que se juntaram, sem qualquer distância e até mesmo sem máscara de proteção individual. “Eu tenho vergonha disto“, lamentou.

Mais tarde, com Joana Araújo em estúdio, Goucha lançou mais um ataque à multidão da Nazaré. “Mais do que parvalhões, são imbecis e criminosos“, atirou.

Cláudio Ramos também ficou furioso.

Era agarrar um a um, metê-los dentro de uma sala e explicar que, enquanto eles fazem esta estupidez, há avós que não abraçam os netos. Há pais que estão afastados dos filhos. Há profissionais de saúde esgotados. Há professores a fazerem de pais e pais a fazerem de professores. Há crianças que não podem ser crianças como eles foram”, escreveu na legenda de uma fotografia que publicou no Instagram e que é referente à multidão.

Temos a nossa terceira idade sem perceber o que se passa, em muitos lares, à espera de dias melhores, e os seus colaboradores correm riscos todos os dias. Há gente sem trabalhar. Há gente sem ganhar dinheiro. Há uma economia a estagnar e se fosse preciso era fazer-lhes um desenho onde eles entendam que há gente a morrer, caramba”, acrescentou.

Mas pensando bem, se eles acham mais importante que tudo isto irem ver ondas gigantes, não sei se entenderiam. Posso ser só eu a pensar assim, mas palpita-me que, além de egoístas, a imaturidade, a ignorância e a irresponsabilidade destas almas é bem maior do que as ondas da Nazaré”, lamentou ainda Cláudio Ramos.

Por fim, o profissional de televisão lembrou ainda que é por causa de situações destas que as restrições acabam por ser necessárias. “Depois restringimos a circulação para que as pessoas não possam visitar os seus no cemitério e vamos juntos repensar o Natal. Enfim! Façam tudo para terem uma quinta-feira segura. Por vocês e pelos outros, que andamos todos cá para ser felizes”, concluiu.

E Jorge Gabriel…

Alguém me diz, por favor, se a pandemia acabou? O que é que me escapou? Estarei baralhado ou esta foto é de hoje na Nazaré? Será mesmo verdade que não se pode exigir que a multidão saia daquele local por motivos de saúde pública? Terei ouvido um regozijo do Presidente da Câmara por estar tanta gente junta a admirar as ondas? Assim, isto vai acabar mal”, escreveu na rede social Facebook.

Leia também: COVID rebenta hospitais: “Há pessoas que vão morrer e não precisavam de morrer”

Multidão Na Nazaré
Facebook Jorge Gabriel
Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

ATV News