fbpx

Moisés Figueira sobre Sara Sistelo: “Vai ser uma amizade especial durante muito tempo”

Ana Ramos
4 min leitura

Moisés Figueira foi um dos entrevistados de Manuel Luís Goucha, esta sexta-feira, na TVI, e falou da ligação com Sara Sistelo.

“Vai ser uma amizade especial durante muito tempo e, se aparecer alguém na minha vida que eu me apaixone, passará a ser só uma amizade especial, com uma história muito especial… ou, então, na vida dela, porque ela também se pode apaixonar”, disse o ex-concorrente de “O Triângulo”.

Questionado por Manuel Luís Goucha se o facto de dizer que é uma pessoa leal é compatível com o ser “mulherengo”, Moisés Figueira confirmou: “Eu sei da minha história e, por acaso, houve uma amiga minha que me disse assim ‘Eu sei como ele é, porque, quando ele estava com a mãe do filho, ele nem sequer um café foi tomar comigo’. E eu tive outra relação e eu sei como é que eu era”. “Eu fecho-me muito. As tentações que eu tenho, meto-as de lado. Eu só tenho uma relação se eu gostar”, afirmou.

“Eu gosto da Sara – e eu já lhe disse -, mas não é o suficiente para a gente se atirar numa relação, para eu sofrer de alguma maneira, para tu sofreres de alguma maneira. E, ainda para mais, há aqui uma distância gigante. Há relações que funcionam, mas, pela pessoa que eu sou, não vai dar”, comentou Moisés Figueira.

Sara Sistelo deixou ainda uma pergunta ao colega da casa, lida por Manuel Luís Goucha: “Até que ponto é que você usou o vosso envolvimento como jogo?”. “Não usei em ponto nenhum”, garantiu.

“Muito para o final, foi-nos muito apontado que tínhamos noção, que fazíamos aquilo propositado para jogo e eu só me irritava e dizia: ‘Minha gente, isto aqui não é tudo jogo. Eu entendo que estamos num jogo, entendo as pessoas estarem a acusar-me daquilo ou a questionar aquilo, mas eu ficava chateado, porque eu não estou aqui para jogar”, explicou Moisés Figueira.

O ex-concorrente, que ficou em quinto lugar, referiu que o programa “é um jogo e é para ser jogado nas alturas em que é para ser jogado e mesmo a pessoa não jogando pode marcar golo”: “Mesmo não fazendo estrategicamente as nomeações, ou seja lá o que for que o jogo nos propõe, posso acertar, mesmo sem querer, só sendo eu. E foi o que foi acontecendo”.

Moisés Figueira confessou ainda que, por vezes, falava ao Mestre: “Eu sei que o Mestre gosta muito de mim, mas, ao mesmo tempo, não deve gostar, porque há muitos momentos em que eu devo ser um concorrente complicado”. “Muitas pessoas diziam: ‘Temos de criar conteúdo’. E iam, cheias de vontade, para as cadeiras quentes e eu estava lá: ‘Ó pá, chatear-me outra vez’”, continuou.

“Daí, eu dizer também que não fiz nada propositado, senão, tinha feito noutras alturas, não só em relação a isso”, rematou.

Moisés Figueira garantiu ainda: “Neste momento, não espero companheira de vida”. Contudo, descreveu as qualidades que uma companheira tem de ter: “Tem de ser amiga, a minha melhor amiga; tem de gostar muito de carinho, todo o tipo de carinho; tem de querer mais, eu tenho de ver que a pessoa que está ao meu lado quer mais para ela e quer mais para mim. Eu sou esse companheiro”.

Veja aqui uma parte da conversa.