fbpx
TVI Big Brother

“Gorilas” de André Ventura protegeram Joana do ‘Big Brother’ em operação de alto risco

Big Brother, Joana Albuquerque
Instagram

A vencedora do ‘Big Brother – Duplo’, Joana Albuquerque viu-se envolvida numa aparatosa operação de segurança após a gala final do reality show da TVI.

Após a gala final do ‘Big Brother’ foi necessária uma aparatosa operação de segurança de Joana Albuquerque, a vencedora do reality show da TVI. Esta operação de segurança pôs em risco a vida do deputado e presidente do Chega, André Ventura e da sua mulher, Dina Marques Nunes, apurou a TV Guia.

A informação foi confirmada à referida publicação por Luís Rocha Branco, primo direito da mãe da “beta de Cascais” e dono da empresa LB Segurança Privada, Unipessoal, Lda., que protegeu a jovem e o pai na madrugada em que esta venceu o ‘Big Brother – Duplo Impacto’ e nos dias que se seguiram. “Avaliámos, com os pais da Joana, que havia um elevado risco de segurança após a saída dela dos estúdios da Venda do Pinheiro“, confirma.

E explica as razões por que foi tomada a decisão de proteger Joana Albuquerque: “Depois das ameaças do ex-colega Rui Pedro no reality show anterior, e de termos feito três transportes com segurança, decidimos, à saída do BB Duplo Impacto, deslocar uma equipa de seguranças, que temos alocada a um deputado, para fazer o transporte em segurança da Joana até à sua casa em Cascais.

Apesar de Luís Rocha Branco não revelar para que deputado efetua serviços, as imagens televisivas documentam que o protegido foi, e é, o líder do Chega, André Ventura.

Perigo real após gala

Certo, é que durante a viagem dos estúdios da Venda do Pinheiro até Alcabideche, em Cascais, a vencedora do ‘Big Brother’ foi perseguida por uma viatura, que obrigou a equipa de segurança a fazer manobras de diversão. Luís Rocha Branco revela tudo o que aconteceu.

Luís Rocha Branco conta tudo: “O chefe da nossa equipa de segurança suspeitou de que a comitiva estava a ser seguida e fez várias manobras de segurança, com várias voltas para despistar o condutor e confirmar a perseguição. O chefe da equipa ligou para a GNR de Alcabideche, deu indicação da matrícula da viatura Toyota Yaris com três elementos no seu interior, mas, infelizmente, quando chegaram ao posto desta força de segurança, o condutor da viatura, que sabemos ter sido alugada na Leaseplan, fez marcha atrás e desapareceu.

Dois dias depois, a 30 de março, quando Joana Albuquerque se deslocou às instalações da TVI para ser entrevistada por Maria Botelho Moniz e Cláudio Ramos no programa ‘Dois às 10’, outra viatura Toyota Yaris alugada, com apenas uma pessoa no interior, voltou a seguir a comitiva de Joana e dos seus seguranças. “Seguiu-nos discretamente na autoestrada, entrámos pelo nó do Estoril, andámos às voltas e depois teve um comportamento mais profissional e discreto. E acabou por desaparecer“, diz.

Luís Rocha Branco assume que Joana Albuquerque, a vencedora do ‘Big Brother – Duplo Impacto’, não inventou questões de insegurança. “A Joana não inventou nada. Houve uma perseguição efetiva, testemunhada pela minha equipa. Tivemos realmente de tomar medidas de segurança. Como o grau de ameaça era subjetivo, tivemos de cumprir todos os procedimentos de segurança, pois lendo os ataques contra a Joana que têm sido escritos nas redes sociais, não sabíamos se seria um fã de outra fação mais incendiado que não distingue programa da realidade“, remata.

Leia também: Cláudio Ramos ganha o dobro de Maria Botelho Moniz na TVI

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

1 Comentário

Clique aqui para comentar

ATV News