fbpx
TVI

Debate na TVI24 sobre reportagem de Ana Leal é abandonado por dois convidados

Ana Leal Debate Na Tvi24 Sobre Reportagem De Ana Leal É Abandonado Por Dois Convidados

A TVI emitiu esta quinta-feira uma reportagem de investigação assinada por Ana Leal sobre um grupo secreto de psicólogos, psiquiatras e padres da igreja católica que tentam a conversão de indivíduos homossexuais.

A reportagem polémica, com parte das imagens recolhidas através de uma câmara oculta, foi depois do Jornal das 8 debatida na TVI24. O debate contou com a presença de Ana Matos Pires (psiquiatra), Manuel Esteves (do colégio de Psiquiatria da Ordem dos Médicos), Abel Matos Santos (psicólogo clínico) e Maria José Vilaça (psicóloga envolvida diretamente na reportagem), tendo sido conduzido por Ana Leal.

Todavia, a discussão ficou marcada pelo abandono do espaço de debate por parte de Abel Matos Santos, que criticou os métodos da TVI para conseguir as provas que sustentam a reportagem, considerando-os perigosos e “um dos maiores atentados à defesa dos homossexuais em Portugal e das pessoas em geral”.

Maria José Vilaça acabou também por abandonar o debate por considerar que a jornalista Ana Leal fez a grande reportagem com base em mentiras, tendo manipulado a informação e agindo de má fé.

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

6 Comentários

Clique aqui para comentar

    • Sinceramente…tenho mesmo pena da parte da população que pensa desta forma nojenta.
      Se ‘está na moda’ se calhar é porque mais pessoas se sentem à vontade em se exporem de uma forma livre e não condicionada por uma ‘moda presente numa sociedade’ (que nunca foi o caso). É absurdo pensar que a orientação sexual de pessoas seja baseada em ‘modas’, coisa que por definição vai e volta dependendo do uso que a sociedade lhe dá, descartando todo o processo psicológico de dor e medo que pessoas homosexuais sentem num país onde tal tópico é considerado taboo em grande parte do território.
      É preocupante que um tema como a homosexualidade, devido ao facto de estar em minoria com o resto do país, seja vista como algo tão menosprezante que ‘vai e vem’ porque uma certa parte triste da população se recusa a aceitar como normal sem nenhum motivo aparentemente sólido para além do ‘ah mas sempre foi assim, uma mulher e um homem’.
      Essas pessoas é que são verdadeiramente umas tristes, tal como você.
      enfim… ainda há uma looooonga viagem pela frente em termos de mudar a mentalidade de portugal

      • Ninguém normal acha a homosexualidade normal… toda a gente pressente que é errado, e a explicação é simples: se nasce em corpo masculino é porque tem qualidades masculinas a desenvolver, se nasce num corpo feminino é porque tem qualidades femininas a desenvolver… se decidir contrariar tal necessidade de desenvolvimento e aperfeiçoamento está a opor-se ao seu próprio desenvolvimento e logo a prejudicar-se e aos outros em seu redor. Só apoia quem não entende nada de assuntos espirituais… a desgraça é que a maioria não entende nada de nada, às vezes nem o mais básico.

        • Gostava de saber quem é o ‘toda a gente’ quando se refere a ‘ toda a gente pressente que é errado’, porque certamente que essa afirmação está totalmente incorreta felizmente!! Claro que como a homosexualidade não é algo comum na nossa sociedade, é normal que se estranhe à primeira, agora achar errado só mesmo pessoas que não têm um pingo de empatia e que se recusam a aceitar o facto de que a homosexualidade de uma pessoa não lhe dizer o mínimo respeito mas mesmo assim decidem apontar defeitos negativos sem ponta por onde pegar, e muitas vezes desenvolver ódio e fobia irracional, tudo isto porque ‘não é algo comum de acontecer’..grande argumento!!!
          Gostar do mesmo sexo não deve trazer consequências negativas para ninguém, é apenas uma orientação, uma preferência amorosa, que, outra vez, a ninguem diz respeito para além do indivíduo homosexual, não percebi quando disse ‘prejudicar-se aos outros em seu redor’…absurdo! só fica prejudicado quem não tolerar, quem não apoiar, homofóbicos, portanto.
          O facto de possuirmos um corpo masculino ou feminino não acrescenta informação rigorosamente nenhuma à nossa preferência sexual. De facto, biologicamente, se nascemos com ‘qualidades masculinas’, o que está programado é o desenvolvimento de um corpo desse mesmo sexo, agora isso está a quilómetros de distância de quem esse indivíduo se sinta atraído, nada mesmo nada a haver.
          A homosexualidade está loooonge de ser um ‘tema atual’ há milhares e milhares de anos que o ser humano tem relações sexuais homosexuais, na época romana então nem se fala! Mas entretanto o ódio a estas práticas foi crescendo até a este ponto, enfim.
          A tal desgraça de que fala, vejo-a mil vezes mais em pessoas que geralmente apoiam uma atitude negativa e tóxica em relação a qq tipo de orientação sexual para além da heterosexualidade que é tão estimada e perpetuamente protegida pelo povo português.

ATV News