fbpx
TVI Big Brother

Cláudio Ramos sem medo de Teresa Guilherme: “Eu sou o Cláudio, não sou outra pessoa”

Cláudio Ramos, Teresa Guilherme
Instagram / TVI

Cláudio Ramos e Teresa Guilherme vão conduzir juntos, em janeiro, o ‘Big Brother – Duplo Impacto’.

O desafio será grande, dado que tem apenas um reality-show no currículo e terá de dividir o palco com a mais experiente apresentadora de conteúdos do género em Portugal. Ainda assim, Cláudio Ramos não se sente nervoso. Num texto que escreveu e publicou no blogue pessoal, afirmou que fará tudo aquilo que lhe apetecer.

Vou gritar? Se me apetecer, grito. Vou cantar? Se me apetecer, canto. Vou falar inglês mal? Se me apetecer, falo“, garantiu. “Será um desafio encontrar a dinâmica certa com a Teresa? Claro que sim. Mas o maior desafio é prender cada um dos espectadores ao ecrã. Esse é o maior desafio“.

No texto, que pode ler já de seguida, Cláudio Ramos explicou ainda que ficou surpreendido com o convite de Cristina Ferreira, embora esta lhe tivesse dito, no mesmo momento em que o tirou do ‘Big Brother – A Revolução’, que ainda haveria de dar a cara por outro reality-show. “O regresso ao grande formato de domingo agradou-me bastante em todos os aspetos“, confessou.

Leia tudo aqui:

O que já se disse e escreveu sobre a minha vida na TVI foi mais do que se escreveu de mim em vinte anos de televisão. Pode ser um reflexo bom, mas escrevem-se e dizem-se tantos disparates que às vezes apetece explicar tudo «tim tim por tim tim», como se tivéssemos todos sete anos de idade.

Não vale a pena! Aprendi que não vale a pena. Eu estou feliz. Isso é o que importa para sossegar quem realmente me segue porque gosta de mim. Há coisas que sei que não posso contar e há coisas que não sei, mesmo que imaginando. Não somos crianças de sete anos, obviamente que a televisão está a mexer e isso entendemos todos, e também entendemos todos que eu fiquei surpreso quando a Cristina me convidou para fazer o ‘Duplo Impacto’ com a Teresa Guilherme.

Confesso! Fiquei surpreso e feliz. Fui apanhado de forma inesperada. Pensava que a reunião seria para outra coisa e, de repente, um reality. O regresso ao palco do BB com a Teresa. Uau! Liguei logo a uma amiga minha e disse-lhe: «Vês, quem nos haveria de dizer isto quando, sentados num banco da praça, imaginamos o meu futuro? Isto não imaginamos nunca, porque nunca pensamos ser possível!».

Esta é a verdade… Verdade também é que depois de me ter sido explicado porque não faria o ‘BB Revolução’ entendi e segui em frente. Eu sou de seguir e não de ficar a bater em teclas gastas. Não me levam a lado nenhum, mas também é verdade que, na mesma reunião, a Cristina e o Patrício me disseram «não quer isto dizer que não voltes ao realitys». Pensei que estariam a dizer só porque sim, mas a verdade é que não e, por isso, o regresso ao grande formato de domingo agradou-me bastante em todos os aspetos.

Volto mais cedo do que imaginava! É um desafio? Enorme! Estou ali com a responsabilidade de dividir palco com a Teresa, com quem já trabalhei há muitíssimos anos em outros moldes. Estamos todos diferentes. Estamos, agora, de igual para igual, num programa que todos querem ver. «Vamos divertir-nos e entreter as pessoas» foi a primeira coisa que eu e a Teresa dissemos um ao outro e é o que farei.

Existirão dificuldades? Claro que sim, eu também as tive – e grandes – no ‘BB2020’, mas entro neste projeto com o corpo inteiro mergulhado e cheio de orgulho de estar dentro dele. Não chorei como se disse e escreveu. Nem chorei de desespero – que absurdo – nem de felicidade. Fiquei surpreso! Já chorei naquele gabinete mas por outras razões boas. Eu sou um chorão.

Não vos posso dizer que o futuro é amanhã. Nem sequer que o futuro é bom, porque do meu futuro sei pouco. Mas posso dizer que confio na equipa onde estou e que quem me segue não ficará desiludido. A televisão tem esta alma mutante de nos surpreender e querer sempre dar mais. Os tempos são outros. Nós somos outras pessoas.

Na minha cabeça está o mesmo entusiasmo que estava quando o Nuno Santos teve a coragem de olhar para mim e ver-me capaz. Agarrei entusiasmado. Agarrei com erros e acertos o começo de um caminho que tem tudo para dar certo e que será muito importante para mim. Continuarei a acertar muitas vezes e a errar umas tantas. Vou gritar? Se me apetecer, grito. Vou cantar? Se me apetecer, canto. Vou falar inglês mal? Se me apetecer, falo.

Eu sou o Cláudio, não sou outra pessoa. E esta imagem que tenho pública e que é muito colada à real só passa verdade se for verdade quando estou no ecrã. Atenção, não se iludam nem se enganem. Para mim, é desafiante fazer o ‘BB Duplo Impacto’, claro que sim.

Será um desafio encontrar a dinâmica certa com a Teresa? Claro que sim. Mas o maior desafio é prender cada um dos espectadores ao ecrã. Esse é o maior desafio. E é para cumprir esse desafio e não dececionar quem apostou a sério que me levanto a cada manhã e entrarei em estúdio a cada noite de domingo. Não sei ser de outra maneira.

Leia também: Cláudio Ramos não vê o ‘BB’ e fala sobre Cristina: “Faço o luto desta maneira”

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

ATV News