TVI

Altice corta salários na TVI e leva a recusas de atores

A Altice, que anunciou oficialmente a compra do grupo Media Capital por 440 milhões de euros em julho, já está a interferir na gestão da TVI, em particular na Plural, a produtora de novelas do canal de Queluz.

De acordo com a revista TV7 Dias, uma das primeiras medidas foi cortar nos ordenados de grande parte dos atores. «Eles estão a cortar 50% no ordenado nos atores mais jovens, de segunda linha, e 25% nos atores veteranos, de primeira linha», afirmou uma fonte ligada à Plural. Este corte nos salários foi o principal motivo para a TVI ter dificuldade em formar o elenco da nova novela A Herdeira.

Diogo Amaral, por exemplo, foi um dos atores que esteve para participar na novela, mas recusou por causa da redução de 50% no valor do ordenado. Também Fernanda Serrano recusou entrar no projeto pelo mesmo motivo.

Além disso, «as viagens para o estrangeiro vão ser muito selecionadas e reduzidas», acrescenta a mesma fonte ligada à Plural, que sublinha ainda que os contratos de exclusividade vão ser outra matéria a repensar pois «a tendência é acabarem com estes contratos».

Até ao fim do ano, a Altice planeia ainda fazer alterações em mais áreas do grupo Media Capital, como a informação e o entretenimento.