fbpx
SIC TVI

SIC e TVI reagem aos casos de assédio na televisão

Daniel Oliveira, Sic, Nuno Santos, Tvi

É o assunto do momento desde que Sofia Arruda assumiu, no Alta Definição do passado sábado, dia 17, ter sido vítima de assédio sexual por parte de um produtor de televisão.

Desde que Sofia Arruda assumiu ter sido vítima de assédio sexual por parte de um produtor de televisão, que o assunto tem estado na atualidade. SIC e TVI reagiram ao tema que tem mercado a semana.

TVI não tolera nenhum comportamento abusivo

“A TVI/ Media Capital condena veementemente e não tolera nenhum comportamento abusivo. O Grupo tem como principio investigar qualquer tipo de queixa, independentemente da sua natureza e não a comentar publicamente. Um dos valores do Grupo é a intolerância ao assédio e o seu combate um dos princípios de conduta. Neste plano de ação está presente a criação de um comité de executivos seniores para analisar quaisquer queixas denunciadas. Caso o comité descubra alguma violação ao código, a empresa compromete-se imediatamente a agir”, comunicou à TV 7 Dias.

SIC condena qualquer caso dessa natureza

A estação de Paço de Arcos também reagiu à referida publicação. “A SIC condena qualquer caso dessa natureza, preservando princípios que protegem os colaboradores e permitem investigar qualquer queixa que seja feita. O grupo onde a SIC se insere tem procedimentos para a apresentação formal de uma qualquer queixa.”

Recorde-se que no passado sábado, Sofia Arruda abriu o coração no programa ‘Alta Definição’, da SIC. A atriz revelou que sofreu de assédio por parte de uma “pessoa com poder” em televisão.

Tudo aconteceu durante as gravações de uma novela. “De repente puxam-te o tapete e deixas de ter trabalho. Aconteceu comigo. Estive dois anos sem trabalhar. No meu caso em específico foi uma situação muito delicada. Eu sabia porque não estava a ser escolhida”, começa por explicar.

Nunca falei disto. Foi uma aproximação menos profissional por parte de uma pessoa com muito poder dentro de uma estação de televisão, de uma produtora, que queria uma atenção que não era profissional da minha parte. Tentou que houvesse ali mais alguma coisa. No início não percebi o que é que se estava a passar, achei que era uma questão profissional porque a primeira abordagem foi essa, vamos almoçar e falar do projeto. Esse almoço nunca chegou a acontecer, e ainda bem, porque claramente não era essa a intenção, falar do projeto”, frisa.

Sofia Arruda diz que tentou sempre “manter as coisas o mais profissional possível”, explicando que a referida pessoa tinha alguns gestos que não eram os mais adequados. “Uma mão, um cumprimento que ficava no sítio que não era suposto. Um beijo que me deixava um bocadinho constrangida, mas às tantas tu pensas que se calhar a pessoa é assim, muito afetuosa, e ficas a sorrir timidamente e afastas-te. Mas depois disso ia passando para intervenções mais diretas, de dizer que estava bonita, que me tinha visto não sei onde”, refere.

A atriz vai mais longe e revela que a pessoa em questão tentou por diversas vezes marcar jantares que não eram de trabalho, que sempre recusou. Num dia, enquanto estava a ser maquilhada para as gravações de uma novela, o assédio subiu de tom e foi alvo de um ultimato. “Eu estava na maquilhagem, e a pessoa chegou, agarrou-me no braço e disse: ‘É a tua última decisão?’, e eu disse sim, e ele respondeu-me: ‘Então tu nunca mais vais trabalhar aqui”, revela Sofia Arruda.

“Não sei quanto tempo fiquei ali sentada, mas a maquilhadora começou-me a maquilhar o braço porque fiquei com os dedos dele marcados, mas a verdade é que assim que o projeto acabou, o meu nome era proposto [para outros projetos] e eu estive 5, 6, 7 anos sem trabalhar naquela estação”, diz ainda a jovem atriz.

Leia também: Marco Horácio encostado na TVI

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

ATV News