fbpx
Resumos SIC

Por Ti: resumo dos próximos episódios

Por Ti

 

Episódio 44

 

 

Destaques

Mia recebe um ramo de flores com um bilhete a ameaçá-la.

Rui não percebe o aparato todo em volta de Mia, era uma sorte que ela tivesse voltado para Lisboa. Helena chega a casa a reclamar de Eugénio, diz que é teimoso como Amélia, conta que teve de obrigá-lo a ir ao hospital.

Lara e Simão estão de saída para o cinema, mas na verdade Lara vai ter com Dieter e Simão tem o concerto. Miguel diz que hoje não os deixa sair por causa do desaparecimento de Mia, diz que anda uma rede de tráfico de órgãos por aí e podem ser raptados. Simão implora, mas ele tranca a porta e diz que ninguém sai de casa. Miguel coloca a chave em cima da mesa e manda-os buscar a bíblia e irem para o quarto rezar pela paz no mundo e o fim da criminalidade. Eles ficam a olhar a chave.

Estão a organizar-se para irem procurar Mia. Tó quer fazer equipa com Armanda, mas Xana diz-lhe que vai com ela e com o pai. Tó Calhau diz que Afonso também vai ajudar nas buscas.

Rita está no lobby do turismo rural, furiosa a ver que Simão não chega. Simão entra apressado, diz que o pai o trancou em casa e Lara já não vem porque ficou a dar-lhe cobertura. Ficam sem a boleia de Lara, mas Dieter chega para levá-los a Vilar de Passos, foi Lara que lhe pediu.

No posto, Zé finge que procura os walkie-talkies, lembra-se que estão na cela e pede a Dulce para os ir buscar. Dulce segue para a cela e vê a caixa onde estão os walkie-talkies. Zé aproxima-se e empurra a porta da cela com o pé batendo com estrondo. Dulce vira-se e vai para abrir a porta da cela, mas Zé diz que a fechadura não está boa e usa a chave para trancá-la fingindo que está a tentar abrir. Dulce percebe que ele o fez de propósito e diz-lhe para abrir a cela. Zé diz que vai chamar Tó que ele deve conseguir. Dulce grita para não a deixar ali, mas Zé sai.

Renata liga a Eugénio para saber o estado dele, pede desculpas por ter sido bruta com ele, diz que de todas as pessoas que a enfrentam ele não merecia que ela lhe tivesse falado mal. Eugénio diz que o lunático está bem e pergunta por Mia, sabe que foi ela que a fez desaparecer. Renata desliga sem lhe responder onde está Mia.

Mia começa a despertar. Permanece trémula de frio e desidratada, com a boca seca. Quando tenta levantar-se e caminhar, percebe que não vai conseguir pois está sem forças. Deixa-se cair de novo no chão e encolhe-se, agarrando os joelhos para junto de si para se aquecer.

Em casa de Eugénio, Helena mede-lhe a tensão. Ele pergunta por Mia e Helena diz que pensava que estavam a exagerar com a teoria do desaparecimento, mas já passou uma noite e a verdade é que ela continua sem dizer nada. Eugénio lembra-se que Renata disse que o que fez a Mia não podia ser remediado.

Rita e Simão estão felizes com o concerto, Rita beija-o e Simão corresponde. Miguel apanha-o, Simão finge que vai buscar pão.

Afonso está exausto de ter passado a noite nas buscas, continua a caminhar e decide virar para um caminho de terra batida. Ao fundo, repara na parte de trás de um carro escondido no meio da vegetação e percebe que é o carro dela. Corre para na direção do carro. Abre a porta, mas a única coisa que encontra é a mala e o telemóvel de Mia pousados no lugar do pendura. Começa a gritar o seu nome na esperança de ela estar ali perto. Olha aflito para o rio, enquanto caminha e grita cada vez mais alto, repara numa pulseira perdida junto à margem e olha impotente o rio, não quer acreditar no pior.

Mia fraca, quase a perder novamente os sentidos, começa a ouvir a voz de Afonso ao longe, muito leve, como um eco fraco. Reconhece a voz de Afonso, abre os olhos, mas não tem forças para reagir.

Dulce está sentada no interior da cela, irritada por ter passado ali a noite. Zé e Neca entram, vindos do exterior. Zé traz uma caixa de pastelaria, com bolos e mostra-se admirado por Tó não ter aparecido. Olha para o telemóvel e diz que se enganou e mandou a mensagem a outro Tó. Neca olha nervoso e incomodado para Zé percebendo que ele está a mentir e que fez de propósito. Dulce perde a paciência e atira com os bolos ao ar, quer que arranje maneira de a tirar rapidamente dali.

Afonso segue na parte da frente do barco de Ulisses que se aproxima da margem. Salta do barco e vai gritando, enquanto procura pelo meio da vegetação. Mia, caída no chão, ouve cada vez com mais clareza a voz de Afonso, que está mais próximo dela. Fraca, tenta chamá-lo, mas ele não a ouve. Cada vez mais próximos, mas Afonso não a ouve porque ela está tapada pela vegetação. Afonso já está a desistir e a seguir para o barco de Ulisses quando Mia ao perceber o silencio e que ele possa estar a afastar-se, encontra força para gritar mais alto. Afonso ouve e começa a correr ao seu encontro, encontra-a caída no chão e corre para ela, que ao vê-lo tem uma descarga emocional e desata a chorar ao mesmo tempo que treme de frio. Afonso ampara-a e abraça-a, diz-lhe que não ia desistir de procurá-la e leva-a ao colo para o barco.

Afonso deita Mia no sofá de sua casa e tapa-a com uma manta. Ela pede que ligue aos pais. Afonso diz que volta já e sai, desnorteado, deixa a porta entreaberta. Mia fecha os olhos por instantes e quando os abre assusta-se com Eugénio que diz que tinha de ver se ela estava bem, diz que o que lhe aconteceu não foi mero acaso, e que ela corre risco de vida em Rio Meandro. Mia quer saber porque ele diz isso, mas Eugénio sai sem explicar.

Mónica adormeceu de exaustão. Paulo acorda-a e diz que Mia apareceu, Afonso encontrou-a e está na casa dele a ser vista por Helena. Mónica assimila a informação e sai com Paulo atrás dela.

Eugénio diz a Mia que o mais importante é que esteja alerta e que tenha cuidado, o resto não interessa e ao sair cruza-se com Helena e Afonso. Helena pensa que ele se sentiu mal, mas ele diz que veio agradecer-lhe a atenção que teve com ele. Helena estranha porque esteve em casa dele de manhã. Eugénio sai, Helena e Afonso entreolham-se, confusos e aproximam-se de Mia, que ainda está atordoada com a conversa com Eugénio. Mia conta-lhes o que Eugénio lhe disse, mas Helena desvaloriza. Mia achou certo do que dizia. Helena examina-a e diz que está desidratada. Vai dar-lhe uma roupa quente e diz que os pais já estão a chegar.

Rita está feliz com o concerto. Bernardo e Constança mais preocupados com o que se passou com Mia, não sabiam que ela ia atuar e não querem que ela saia mais sem avisar. Luísa fica irritada quando sabe que foi Afonso que encontrou Mia.

Simão conta a Adelaide que o concerto foi um êxito. Adelaide tem pena de não ter ido. Simão conta-lhe que a noite acabou bem porque Rita o beijou e Adelaide fica em choque. Tosso aparece nesse momento e Adelaide vira-se para o avô e diz que vai lavar o chão da cozinha para que Simão não a veja chorar. Tosso fica agradado com a proatividade da neta.

Zé está a abrir a porta da cela, Dulce está à espera, furiosa, mas a tentar manter-se calma. ZÉ está sem o casaco da farda, que está pendurado numa cadeira. Dulce imobiliza-o com uma chave de braço e o movimento faz Zé deixar cair as chaves ao chão. Dulce entra com ele para a cela e fala-lhe ao ouvido que sabe que fez de propósito e que foi ele e Xana que tentaram assaltar o posto, diz que tentou ser paciente com ele, mas chegou ao limite e dali vai fazer queixa dele ao comando. Irritada, Dulce pressiona Zé contra as grades e com o impulso, a porta começa a fechar, cala-se com o barulho da porta da cela a fechar. Ela pergunta pelas chaves e Zé aponta para o chão, fora da cela, onde estão as chaves. Dulce faz um esgar de irritação e tenta forçar a porta, percebem que ficaram fechados na cela e sem telemóvel.

Afonso recebe Mónica e Paulo que abraçam Mia aliviados. Ela pede desculpa, diz-lhes que não sabe o que aconteceu. Helena acha melhor levá-la ao hospital para ver os níveis de glucose. Mónica e Paulo acedem e levam Mia. Rui está visivelmente incomodado com a disponibilidade de Helena em ajudar. Afonso atende chamada de Luísa, que tenta saber como ela a encontrou, ele diz que encontrou Mia perto de onde Luísa o levou a almoçar, quando a encontrou só pensou em levá-la para casa para a mãe examiná-la. Luísa fica enciumada ao saber que Afonso levou Mia para casa dele, mas diz que fez bem porque Helena é médica.

Eugénio caminha no largo a pensar na conversa que teve com Mia, sente-se observado, mas não vê ninguém. Renata acelera o carro, pára junto dele e pergunta como ele está. Eugénio diz que esteve com Mia e que ela está inteira. Avisa-a que se Renata der mais um passo em falso seja com quem for acaba com o seu disfarce. Renata sente-se ameaçada.

Mary faz as unhas com Armanda que conta sobre a relação que Mia e Afonso tiveram. Amélia tem pena do que Mia passou. Falam da sereia e Armanda lança o boato de que a sereia é Xana quando esta entra e Armanda disfarça.

Dieter sente-se cansado da noitada, Lara agradece-lhe por ter levado o irmão e Rita ao concerto. Dieter diz que eles tocam mesmo bem e até podiam tocar no bar, mas Lara não acha boa ideia por causa de Miguel, que não sabe nem autoriza que Simão toque música.

Eugénio está na tasca à espera de Tosso, percebe que Adelaide está triste e ela conta-lhe que Rita e Simão namoram, ele coloca a sua mão na dela e consola-a. Tosso aparece e repreende Adelaide, diz a Eugénio para largar a neta. Eugénio agradece a Tosso ter-lhe salvo a vida e ter chamado Helena, Tosso hesita, mas Tó interfere e diz que não se deixa um homem de braço esticado, ele estica-lhe o braço para retribuir o cumprimento, mas manda-o embora de seguida.

Mónica e Paulo tentam perceber o que Mia fez nesse dia e se tomou algo para acalmar porque a quantidade de sedativo que apresentava nos exames não é normal. Ela garante que não tomou nada. Paulo diz que ninguém atende do posto da guarda, mas Mónica diz que têm de apresentar queixa. Mia recebe flores e fica chocada com o bilhete que acompanha a ameaçá-la que para a próxima é engolida pelo Rio Meandro.

 

(conclusão)

Resumo de 9 a 13 de maio

Por Ti

 

Episódio 43

 

 

Destaques

Mia desaparece.

Eugénio vai para o hospital.

Armanda fez alergia ao colar que Tó lhe deu, Helena manda-a tirá-lo porque é a causa de ter o pescoço vermelho. Armanda fica furiosa com Tó por este lhe ter oferecido um colar de pechisbeque.

Tó e Tosso ouvem a podcast de Orlando onde Giuseppe diz mal do Turismo e Constança a dizer-lhe que vai dizer que é bom. Os dois riem-se. Afonso entra na tasca e vai direito a Tó pedir satisfações por ter enganado a mãe, quer que Tó devolva o dinheiro que a mãe pagou pela reparação da moto quatro. Tó admite que inflacionou um bocado o orçamento, tira notas do seu bolso das calças e entrega-as a Afonso.

Isabel está desiludida com Giuseppe queima todas as lembranças que guardou dele na caixa. Lara aparece e questiona-a sobre a necessidade de fantasiar com um desconhecido, diz à mãe que devia falar com o pai e dizer que não está feliz, dá a entender que pode separar-se. Isabel olha Lara e percebe que não quer ter esta conversa com a filha. Miguel entra atraído pelo cheiro a queimado, dá os parabéns a Lara por deixar de ser fã do ator. Diz que agora só falta livrarem-se de Orlando.

Nuno senta-se junto a Mia e pede a Dieter um sumo igual ao dela, bebe de maneira a ficar ao mesmo nível do sumo dela e liga para o telefone da loja para a afastar da mesa. Dissolve uma saqueta de sedativo no sumo e troca os sumos. Mia depois de desligar a chamada, senta-se, debruça-se de novo sobre o portátil e dá um gole no copo de sumo, sem se aperceber que foi trocado.

Neca conta a Zé que desconfia que Xana seja a sereia, conta que na noite anterior estava lua cheia e Xana chegou a casa com o cabelo e roupas molhadas tendo dado uma desculpa esfarrapada. Lembra que no último avistamento da sereia, a sargento encontrou um elástico de cabelo em crochet que podia muito bem ser da Xana. Pede a Zé para não comentar com ninguém.

Mia está muito ensonada, diz a Dieter que já volta para pagar o sumo. Mia coloca o carro em andamento e uns metros à frente pára-o. Nuno está uns metros atrás do carro e fica atento. Mia tenta concentrar-se na condução, mas não consegue. Deixa-se cair para o lugar do pendura, adormecida. Nuno olha à sua volta e não vê ninguém. Avança rapidamente para o carro dela e abre a porta do condutor, com algum esforço, põe Mia no lugar do pendura e senta-se ao volante. Olha pelo retrovisor e arranca rapidamente.

Zé conta a Tó que Neca acha que Xana é a sereia, mas Tó não acredita. Armanda entra na oficina, furiosa, com um pequeno saco da farmácia na mão, mostra a alergia que o colar lhe causou. Tó diz que ela tem uma pele sensível porque o fio é de ouro. Armanda pede-lhe trinta euros pela farmácia mais vinte euros pelos danos morais e psicológicos. Tó queixa-se que é o dia oficial de lhe pedirem dinheiro e tira uma nota de cinquenta euros da caixa para entregar a Armanda.

Mónica e Paulo estão preocupados porque não sabem onde está Mia. Lara irritada com a intimidade de Dieter e Mary que acabaram de fazer yoga. Paulo pergunta-lhes se viram Mia, Dieter diz que só a viu de manhã.

Constança comenta com Rita que Mónica está preocupada com Mia porque não almoçou e não atende o telemóvel. Luísa e Afonso aproximam-se e ele também fica preocupado, mas Rita e Luísa desvalorizam que há muitos motivos para colocar um telemóvel em silencio.

Adelaide não encara Simão, sente-se envergonhada pelo que se passou na tasca frente a ele, este diz-lhe que ela estava muito bonita. Adelaide mente-lhe quando ele pergunta se foi por causa de alguma ocasião especial, diz que foi para cortar o cabelo, mas Armanda entusiasmou-se. Simão pergunta se ela sempre quer ir ao seu concerto hoje. Fica feliz quando ele diz que gostava muito que ela fosse, mas desfaz o sorriso quando ele diz que são amigos.

Eugénio quer saber o que Renata fez a Mia, ameaça-a e diz que se fizer alguma coisa de mal a Mia, todos vão saber que ela é a Joana. Renata maltrata-o, diz que ele é lunático e ninguém vai acreditar nele. Pede a Eugénio para não comprar uma guerra com ela, mas Eugénio enfrenta-a e diz que já comprou. Ele começa a sentir a respiração acelerada, pergunta onde está Mia, mas Renata continua a tratá-lo mal e diz que o enfia num manicómio antes de ele fazer algo contra ela. Irada, Renata empurra Eugénio que não chega a cair. Luz aproxima-se do dono num impulso de proteção. Renata sai e fecha a porta atrás de si. Eugénio quer ir atrás dela, mas não se sente capaz. Leva a mão ao peito com dificuldades em respirar.

Mia está deitada à beira-rio, junto à linha de água. A ondulação, ligeira, já lhe molhou parte da roupa que tem vestida. Ela permanece inconsciente e indefesa.

Paulo diz a Mónica, Afonso e Luísa que falou com o fornecedor e Mia não foi buscar os iogurtes que ia entregar a Constança. Afonso insiste em ir procurá-la, Luísa fica incomodada com a preocupação dele. Mónica diz que vai à guarda se ela não aparecer até ao anoitecer.

Eugénio, junto à porta, continua agarrado ao peito com dificuldades em respirar. Tenta alcançar o telemóvel, segurando-se a uma cadeira, mas a mão falha e ele cai de joelhos no chão. Luz anda de volta dele a ganir, percebendo que algo não está bem com o dono.

Mia sente a água molhar o rosto e começa a recuperar os sentidos. Primeiro abre os olhos, depois começa a dar sinal de se querer levantar, mas sente-se fraca. Confusa sobre o local onde está, de roupas molhadas, percebe que está sozinha e fica assustada. Procura o telemóvel no bolso, sem sucesso. Olha em redor e caminha uns metros, mas perde as forças e cai no chão de novo. Chama por ajuda, mas ninguém responde. Percebe o quão isolada está.

Renata quer saber se Nuno fez tudo como ela mandou e se deixou pontas soltas. Nuno assegura que sim e conta como se passou. Ela diz que agora está na hora de incriminar Rui e acha que já tratou dele. Espalhou umas pequenas pinturas pela aldeia e é esperar que a dúvida da autoria se espalhe.

Armanda traz um cartaz da campanha de Mia vandalizado. No cartaz, desenharam bigodes de gato, uma “monocelha” e pintaram um dente no rosto de Mia, com a frase “Fora daqui!” Amélia fica a pensar se foi Rui. Tó diz que Tosso também era capaz de o fazer. Tó atende o tio e volta a dizer que a mãe não é a sereia. Tó quer levar Armanda a jantar para a compensar da alergia e diz que lhe conta a teoria do tio sobre a sereia ao jantar. Armanda fica intrigada.

Adelaide bate à porta, Eugénio quer falar, aflito, com medo de que ela se vá embora, mas sem se conseguir mexer. Luz começa a ladrar e Adelaide percebe que Eugénio está em casa. consegue abrir a porta a Adelaide que fica aflita ao vê-lo suar, com dificuldades em respirar e com a mão no peito. Pega no telemóvel e vai para ligar para o 112, mas Eugénio não quer ir para o hospital. Adelaide não tem o contacto de Helena e decide ligar ao avô a pedir ajuda.

Tosso quer saber o que ela está a fazer com Eugénio, Adelaide pede que esqueça isso agora e que ajude ligando a Helena para socorrer Eugénio.

Constança faz scroll no ecrã do telemóvel e fica arrasada ao ver que Giuseppe fez o post mas a dizer mal do hotel e ainda por cima Orlando não cortou a parte em que eu coagia o Giuseppe a mentir e a dizer bem do turismo no podcast.

Afonso não consegue deixar de estar preocupado com Mia, Luísa está a falar com ele e percebe, sugere-lhe ir procurá-la, mas Afonso diz para aguardarem mais um bocado enquanto disfarça com um sorriso uma preocupação maior do que quer transparecer.

Adelaide carinhosa, faz festas no rosto e no cabelo de Eugénio, que continua estendido no chão. Tosso entra a reclamar, Adelaide chora de raiva ao ver que Helena não entrou com ele. Helena entra de seguida, examina-o e diz que têm de ir já para o hospital. Tosso diz a Adelaide que já podem ir embora e Adelaide diz que só vai quando souber que Eugénio fica bem. Tosso diz que ela vai ficar de castigo.

Mia está gelada, está de soutien e recolhe a t-shirt que tentou secar num ramo de árvore. A t-shirt continua húmida, mas ela veste-a e aninha-se numa tentativa frustrada de se aquecer. Observa o rio e fecha os olhos, cansada. Mia lembra-se do beijo com Afonso.

Mónica e Paulo dão conta do desaparecimento de Mia. Zé comenta que pode ter ido para os copos com uma amiga, o que desagrada a Paulo. Dulce diz que vai pedir ajuda a Vilar de Passos e vão procurá-la.

Nuno reclama dos petiscos da tasca, quer ir embora. Renata quer estar ali para que os vejam enquanto Mia estiver desaparecida. Tosso fala com Adelaide ao telemóvel para se certificar que não volta a procurar Eugénio, Renata ouve que Eugénio sentiu-se mal e fica apreensiva.

(conclusão)

 

Tags
Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

ATV News

<>