SIC

Pêpê Rapazote confessa que chegou a pegar fogo a sua casa

Pêpê Rapazote foi o convidado desta semana de Daniel Oliveira no programa Alta Definição. Durante a conversa com o apresentador da SIC, o ator português recordou a educação rígida que o seu pai lhe deu e partilhou algumas das suas aventuras com a família que construiu.

O ator, que quase incendiou a casa onde vivia com os pais, contou que a educação que o seu progenitor tentava impor era à base “do cinto e da chibata”. No entanto, a sua relação com o pai nunca ficou poluída e “hoje, ele elogia-me por tudo e por nada. A besta foi domesticada!”, disse.

“Peguei fogo à casa umas duas vezes e outras duas vezes à escola”. Como? “Agarrava em caixas de fósforos e em papel e pronto! Matei periquitos do meu irmão porque peguei fogo na cozinha lá de casa. Gostava de fogo. Hoje em dia estaria preso”, contou o ator que tentou justificar o tipo de educação que o pai lhe ia impondo.

Pêpê revelou ainda que sofreu de espinha bífida, o que fez com que, os primeiros anos da sua vida fossem marcados por momentos que o constrangiam. “Isto nunca contei, mas fiz xixi na cama até aos 12 anos e 9 meses. Metia as minhas próprias fraldas. Não havia das descartáveis, eram das turcas”, recordou o ator de 48 anos.

A trabalhar no estrangeiro, Pêpê Rapazote tem estado separado da sua família. Vale a tecnologia. Casado desde 2003 com Mafalda Vilhena, o ator confessa que “falo com a Mafalda por Whatsapp como se ela estivesse a meu lado. Há muita solidão. (…) Não me chega os Facetime e afins. Às vezes, elas [filhas] não querem falar comigo porque vão sentir mais saudades. E eu compreendo. Mas é a parte que mais me custa”.

Mafalda é, tal como admitiu o ator a trabalhar nos Estados Unidos, a peça fundamental para que a família não se desmorone. ““Somos um dominó de duas peças, extremamente complexas. E ela veio a ser a minha cara metade. Foi a que se moldou mais. Não só nos encaixamos muito bem, como sempre alguém que sai do encaixe sou eu. Cobriu todas as saídas de emergência. O segredo é gostar e enquanto se gostar não há esforço nenhum. Eu sou o granito e ela a cola mágica. Eu tenho mais dificuldade em adaptar-me. Ela cobriu todos os buracos”, contou. “A Mafalda é um gajo sem… coiso! Se eu quero ir beber uma imperial a um café, é com ela”, sublinha.

Pêpê Rapazote e Mafalda Vilhena são pais de duas meninas, Júlia e Leonor, de treze e nove anos respetivamente.

ATV News


Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close