SIC

Maria Leal em entrevista: “O dinheiro era dos dois, ponto final parágrafo”

Maria Leal, esteve esta sexta-feira, dia 19 no Jornal da Noite, da SIC, para responder às acusações de que foi alvo por parte do ex-marido, Francisco d’Eça Leal. Segundo ele, a cantora terá gasto mais de um milhão de euros, obtidos de uma herança, deixando-o na miséria.

«Não tem sido nada fácil mesmo. Estes quatro dias têm sido para mim, sabe Deus… Estou aqui exatamente para dizer a verdade, porque estou a ser julgada em praça pública. Com ameaças em telemóvel de que me vão matar, coisas escritas na rua. Quero a verdade acima de tudo», começa por dizer Maria, acrescentando «porque eu vivo da minha carreira, eu construí a minha carreira sozinha, sem nunca espezinhar ninguém e neste momento estão a destruir-me».

Questionada pela jornalista sobre o momento em que conheceu, Maria Leal conta: «Lembro-me perfeitamente como conheci. Eu cantava em karaoke por brincadeira num estabelecimento em Campo de Ourique e o Francisco foi lá ter com uma amiga. Eu ao princípio era muito amiga do Francisco, ele dizia-me que estava sempre sozinho e tivemos os dois uma ligação muito bonita de amizade (…) Ao princípio houve um carinho muito grande entre mim e o Francisco. Achei que havia ali uma falta de carência, houve uma grande amizade. Depois disso gostei muito do Francisco. Gostámos muito um do outro (…) Eu amei aquela pessoa».

De seguida, a cantora comenta as despesas elevadas durante o casamento: «Nós os dois, se foram gastos exagerados por nós os dois? Claro que foram, sem sombra de dúvidas. O dinheiro gasta-se. Se um Francisco não trabalha e uma Maria não trabalha é óbvio que o dinheiro tem de ser gasto».

Sobre a acusação do ex-marido, de ter sido apenas a Maria Leal a gastar o dinheiro, e dos registos de transferências bancárias a seu favor. «É a palavra do Srº Francisco, vai ter que provar perante o tribunal, que realmente fui eu. Como eu também tenho as minhas provas, que não fui eu». «Não foi para mim própria. O Francisco herdou, e depois do Francisco herdar, ele disse-me “Maria, a conta a partir de agora é dos dois, está no meu nome e no teu”».

«Nós os dois fomos exagerados nos gastos, sem sombra de dúvidas», afirma a artista. «O dinheiro era dos dois, ponto final parágrafo. Aqui não há percentagens. Nunca fiz nada sem o consentimento do Francisco e ele esteve sempre presente e disse sempre que sim», garante.

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close