SIC

Maria Botelho Moniz recorda morte de namorado: “Ficar viúva aos 29 anos é muito violento”

Maria Botelho Moniz foi convidada da Júlia Pinheiro, esta terça-feira, e em lágrimas recordou dois homens muito especiais na sua vida: o namorado e o pai. A apresentadora das tardes da SIC mostrou-lhe duas caixinhas e pediu para falar nelas. Numa tinha um anel dado pelo pai, na outra tinha um anel dado pelo namorado.

O pai da comentadora do ‘Passadeira Vermelha’, da SIC, faleceu em 2018 e foi com emoção que Maria falou nele e na importância do anel “É um anel dado pelo meu pai à minha mãe, como uma espécie de anel de noivado. Cresci a ver a minha mãe com esse anel”, recorda.

Hoje, é ela que o usa na altura que precisa de “colo” e de “força”, tal como o anel que usa em homenagem ao namorado. “Esse é um anel complicado. Era da minha sogra”, começa por contar.

Maria namorou com Salvador durante 10 anos. Em março deste ano fez cinco anos que faleceu. Em vida, Salvador dizia sempre que “o anel da cobra era para a Maria, depois de ele morrer a minha sogra ofereceu-me o anel que estava destinado por ele para um dia ser para mim”, recorda.

Foram 10 anos de vida em comum. “Não casei por acaso. Estava a planear um casamento para setembro, 6 meses depois de ele ter morrido”. Em lágrimas, a profissional da estação de Paço Arcos recordou a dor de perder Salvador.

“Perdê-lo foi ficar viúva… e ficar viúva aos 29 anos é muito violento. E é tirar-nos não só o presente como é tirar-nos o futuro. Como é que vai ser o meu dia amanhã? Eu não sabia, eu não conseguia imaginar o que é que a minha vida ia ser”, afirma, lembrando os tempos em que trabalha e andava pelos corredores da SIC “a tentar à força sorrir”. “Eu era um farrapinho andante”, recorda.

Reprodução Instagram

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

ATV News