SIC

Luísa Castel-Branco: “Não fui feliz nem na infância nem na adolescência”

Instagram

Luísa Castel-Branco foi entrevistada por Cláudio Ramos para a revista Cristina. Já são amigos de muitos anos e conversaram sobre a infância da comentadora.

Cláudio Ramos conduziu a entrevista e um dos temas abordados foi a infância e adolescência de Luísa. O apresentador questionou o motivo de não haver muita informação sobre o passado da amiga e ela respondeu: “Evito falar nela. Não fui feliz na infância nem na adolescência. Foi muito difícil e marcou-me para o resto da vida. Mas também fez de mim uma lutadora”.

Aos 65 anos, a mãe de Inês Castel-Branco, confessou que aos 11 anos tomava calmantes porque vomitava tudo o que comia por ter ganho uma aversão total à comida.

Cláudio Ramos perguntou se sofria de algum distúrbio alimentar como a bulimia ao que a apresentadora explicou: “Não. Não comia e o que comia vomitava. Era uma aversão total. Uma vez, li um livro e nunca mais esqueci: ‘O meu pai e a minha mãe abriram guerra entre eles e só fizeram três prisioneiros – os filhos.’ Foi isto. Eu, que era a mais velha, tomei conta dos outros dois”.

O vizinho de Cristina Ferreira questionou: “Alguma vez fizeste terapia?”. Luísa respondeu: “Claro que sim. Por causa de tudo. A minha própria infância dava uma ótima história. Já disse isto trinta vezes e as pessoas continuam a achar que tenho um ar de dondoca, de tia e do raio que me parta”.

ATV News