SIC

Joana Ribeiro: «A SIC era a minha casa»

Joana Ribeiro deu os primeiros passos na representação na ficção da SIC e foi no final do verão que deu a conhecer ao público a sua participação em A Teia, a ficção policial que a TVI prepara. Em declarações à revista Maria, a atriz comenta a sua saída da estação que a viu nascer.

Sobre o contrato que a unia a Carnaxide, a atriz revela que este «entretanto acabou e surgiu este convite [da TVI]» e admite que lhe «pareceu interessante trabalhar com pessoas com quem nunca tinha trabalhado e com quem queria muito trabalhar».

Sobre a sua saída da estação liderada por Daniel Oliveira, Joana garante que «não aconteceu nada de mal» e justifica a sua decisão: «Simplesmente acho importante mudar». «Acho que nós só crescemos quando saímos da nossa zona de conforto e a SIC era a minha casa».

Sobre esta sua participação na ficção de Queluz, a atriz é perentória: «Não foi uma troca da SIC para a TVI. (…) Não tenho um contrato com a TVI, sou uma atriz livre. Já trabalhei na SIC, na RTP e estou neste momento na TVI. Quero trabalhar onde o trabalho me chamar e onde os projetos forem interessantes, assim como as personagens. No fundo, é isso que importa.»

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close