SIC

Depois da Plural, Sindicato denuncia «situação muito mais grave» na SP Televisão

A SP Televisão prepara-se para aumentar as suas instalações ©audiodesigner.pt

O comentário de Ana Sofia Martins sobre a «exploração» de que entendia serem alvo os trabalhadores e técnicos da Plural Entertainment foi a primeira pedra lançada para agitar as águas, tendo vindo posteriormente o CENA-STE, anunciar greve na produtora, reivindicando melhores condições de trabalho para quem opera pela empresa.

Agora, depois de as negociações entre o sindicato e a administração da empresa se terem revelado frutíferas e de, assim, se ter retirado o segundo pré aviso de greve, que a prolongava até ao final do ano, André Albuquerque, representante do Sindicato dos Trabalhadores dos Espetáculos, Audiovisual e Meios, veio a público denunciar a situação vivida também na SP Televisão, que produz, sobretudo, a ficção da SIC.

«O que está a acontecer na Plural acontece porque é a maior empresa do setor, com mais trabalhadores e, por conseguinte, mais força», garante o sindicalista que acrescenta que «a SP, por exemplo, tem uma situação muito mais grave a nível de precariedade.». «A Plural tem trabalhadores no quadro, tem freelancers, muitas vezes contratados à produção, e tem alguns recibos verdes. A percentagem de recibos verdes é muito maior na SP.», garante.

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close