SIC

Cristina Ferreira: “Exijo a perfeição”

Cristina Ferreira diz que há duas Cristinas: a que aparece na televisão, exposta, comunicativa e extrovertida, e a de casa, em que prefere estar no seu canto, sem maquilhagem e em silêncio. Apesar de gostar do carinho do público, tem momentos em que gostaria de se tornar invisível.

Exigente em tudo, a si mesma exige nada mais, nada menos que “a perfeição”. “[De mim] Exijo a perfeição. Talvez seja defeito. Há quem entenda como qualidade. Analiso tudo muito ao pormenor. E isso às vezes não é possível. Eu sou a controladora, mas já era assim em miúda”, afirmou a comunicadora, que passou os 14 anos da sua vida profissional na TVI, protagonizando no final do verão a transferência mais mediática da televisão nos últimos anos.

Sobre a sua vida amorosa, e reafirmando o amor eterno que tem por António Casinhas, a apresentadora diz que “não sei se é difícil apaixonar-me. Até hoje nunca mais aconteceu”, afirmou, sublinhando que não sente necessidade de voltar a apaixonar-se. “Não procuro, não fecho portas. Às vezes penso que devia investir. Mas investir em quê? Vou andar na rua, a olhar para os lados, para ver se vejo alguém? Isso não se procura, vem ao teu encontro sempre”.

Sobre se é difícil ser a “Cristina Ferreira”, a apresentadora disse que sim, que é difícil, acrescentando que não perdoa “a alguns jornalistas” que lhe fizeram “muito mal”. “Escreveu-se muita coisa, disse-me muita mentira”.

Uma ida ao shopping, que é uma coisa quase banal, passa a ser uma coisa quase proibitiva na tua vida”, diz. E exemplifica: “Uma vez tentei fazer isso. O Tiago queria uma mochila da Disney que só havia no Colombo, e eu não andei dez metros. Parei 20 vezes porque as pessoas queriam tirar fotografias. Cada vez que tinha de tirar uma fotografia, eu afastava-me dele. E aquilo começou a criar-me uma ansiedade e fomos embora.”

A apresentadora diz que “adorava que, quando a televisão se desliga, houvesse um botãozinho que me desligasse também. Tornar-me invisível em alguns momentos. O que não quer dizer que eu não adore o carinho das pessoas. Sempre que se aproximam de mim e que manifestam esse amor por mim, fico muito envergonhada. Sem saber o que fazer. Então quando chegam ao pé de mim e me abraçam ou vêm a chorar, sem me conhecer, isso tenho alguma dificuldade”.”

Natural da Malveira, onde ainda mora, Cristina Ferreira não escondeu a Daniel Oliveira o orgulho nas suas raízes. “As minhas raízes são tudo no meu percurso. Elas são os meus pés na terra. Voltar lá todos os dias é ter a certeza de onde venho. No dia em que eu me tornar parva, chamem-me à razão, porque há momentos em que nos tornamos parvos e não temos noção disso”.”

“No dia em que me achar mais do que aquilo que realmente sou, haja alguém que me puxe, se faz favor. E eu ainda não precisei disso, porque todos os dias a terra puxa-me. E eu sei de onde é que vim e eu sei que é lá que eu existo”, concluiu.

Cristina Ferreira estreia esta segunda-feira de manhã na SIC, com O Programa da Cristina. “Estou preparada para ganhar e para perder, estou preparada para todos os cenários. É evidente que não quero perder, mas todos os dias alguém tem de perder. Quero fazer um grande programa de televisão”, prometeu.

ATV News


Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close