SIC

Cristina Ferreira: “Exijo a perfeição”

Cristina Ferreira diz que há duas Cristinas: a que aparece na televisão, exposta, comunicativa e extrovertida, e a de casa, em que prefere estar no seu canto, sem maquilhagem e em silêncio. Apesar de gostar do carinho do público, tem momentos em que gostaria de se tornar invisível.

Exigente em tudo, a si mesma exige nada mais, nada menos que “a perfeição”. “[De mim] Exijo a perfeição. Talvez seja defeito. Há quem entenda como qualidade. Analiso tudo muito ao pormenor. E isso às vezes não é possível. Eu sou a controladora, mas já era assim em miúda”, afirmou a comunicadora, que passou os 14 anos da sua vida profissional na TVI, protagonizando no final do verão a transferência mais mediática da televisão nos últimos anos.

Sobre a sua vida amorosa, e reafirmando o amor eterno que tem por António Casinhas, a apresentadora diz que “não sei se é difícil apaixonar-me. Até hoje nunca mais aconteceu”, afirmou, sublinhando que não sente necessidade de voltar a apaixonar-se. “Não procuro, não fecho portas. Às vezes penso que devia investir. Mas investir em quê? Vou andar na rua, a olhar para os lados, para ver se vejo alguém? Isso não se procura, vem ao teu encontro sempre”.

Sobre se é difícil ser a “Cristina Ferreira”, a apresentadora disse que sim, que é difícil, acrescentando que não perdoa “a alguns jornalistas” que lhe fizeram “muito mal”. “Escreveu-se muita coisa, disse-me muita mentira”.

Uma ida ao shopping, que é uma coisa quase banal, passa a ser uma coisa quase proibitiva na tua vida”, diz. E exemplifica: “Uma vez tentei fazer isso. O Tiago queria uma mochila da Disney que só havia no Colombo, e eu não andei dez metros. Parei 20 vezes porque as pessoas queriam tirar fotografias. Cada vez que tinha de tirar uma fotografia, eu afastava-me dele. E aquilo começou a criar-me uma ansiedade e fomos embora.”

A apresentadora diz que “adorava que, quando a televisão se desliga, houvesse um botãozinho que me desligasse também. Tornar-me invisível em alguns momentos. O que não quer dizer que eu não adore o carinho das pessoas. Sempre que se aproximam de mim e que manifestam esse amor por mim, fico muito envergonhada. Sem saber o que fazer. Então quando chegam ao pé de mim e me abraçam ou vêm a chorar, sem me conhecer, isso tenho alguma dificuldade”.”

Natural da Malveira, onde ainda mora, Cristina Ferreira não escondeu a Daniel Oliveira o orgulho nas suas raízes. “As minhas raízes são tudo no meu percurso. Elas são os meus pés na terra. Voltar lá todos os dias é ter a certeza de onde venho. No dia em que eu me tornar parva, chamem-me à razão, porque há momentos em que nos tornamos parvos e não temos noção disso”.”

“No dia em que me achar mais do que aquilo que realmente sou, haja alguém que me puxe, se faz favor. E eu ainda não precisei disso, porque todos os dias a terra puxa-me. E eu sei de onde é que vim e eu sei que é lá que eu existo”, concluiu.

Cristina Ferreira estreia esta segunda-feira de manhã na SIC, com O Programa da Cristina. “Estou preparada para ganhar e para perder, estou preparada para todos os cenários. É evidente que não quero perder, mas todos os dias alguém tem de perder. Quero fazer um grande programa de televisão”, prometeu.

ATV News