Flash Interview Rubricas

Flash Interview com Johnny Massaro

Johnny Massaro tem apenas 26 anos, mas já integrou várias produções televisivas, destacando-se agora pela sua participação em Deus Salve o Rei, novela que se encontra em exibição no canal Globo. O ator desempenha o papel de príncipe Rodolfo e é sobre esta sua personagem que se centra esta Flash Interview com Johnny Massaro. Leia-a em seguida.


Pode falar-nos um pouco sobre o seu personagem, o príncipe Rodolfo?

O Rodolfo é um dos príncipes de Montemor, o Reino mais poderoso de toda a Cália – a região onde a história tem lugar. Ele é um completo irresponsável, um bon vivant; acho que ele acaba por ser uma personagem de si mesmo de certa forma, porque ele não foi preparado para ser rei, apesar de repentinamente ter de assumir o trono, algo que ele nunca pensou nem nunca quis. Por isso, e acaba por vestir um pouco essa personagem do rei, com muita energia, ego e vaidade envolvida. Essa coisa do rei, apesar de ele não saber, acaba por cair que nem uma luva nele, porque assim consegue dominar tudo e apercebe-se disso. Ele acaba por ganhar o gosto e o resultado é algo hilário porque não tem a menor noção das coisas, mas ao mesmo tempo tem um enorme poder. Para o Rodolfo, por outro lado, é um pouco desesperadora a situação dele, porque – daquilo que eu percebi em filmes, séries, etc. –, as pessoas eram de facto preparadas para assumirem o trono desde pequenas e isso nunca lhe passou pela cabeça. Mas não tem como negar pois há uma tradição e linha de sucessão que tem de ser respeitada.

Qual a relação do Rodolfo com as mulheres?

O Rodolfo é alguém que não pode ver um rabo de saia que fica completamente maluco, é esse o foco da vida dele. Acaba por ser engraçado porque cada novo affair do Rodolfo é uma nova pessoa que chega para interagir e interferir com a história, pois a seguir ao affair vem uma nova série de confusões, e tudo isso é algo muito bom, muito divertido. Quanto mais eu lido com este personagem, mais percebo que ele não é nada vilão, nada má pessoa, ele é vítima do próprio destino e ele tenta lidar com isso o melhor possível. Além disso e, apesar de estarmos no começo, já consegui perceber que ele tem vários lados e pode ser absolutamente cómico, como tirano, como carinhoso – como toda a gente pode, no final das contas.

Como foi a preparação para o papel?

Foi tudo muito bem cuidado: tivemos um mês de preparação, e todo o grupo, mesmo as personagens de apoio, interagimos muito. Cada pormenor foi pensado e isso facilita imenso para se entrar na história. Tudo vai somando, o brinco, a “monocelha”, o cabelo, para ajudar na construção. Tivemos ainda aulas variadas, desde culinária, a equitação, luta, dança medieval, etc. O mais engraçado de tudo isto é que o Rodolfo não sabe fazer nenhuma destas coisas, pois nunca precisou saber nem quis saber, então eu próprio a certo momento parei as aulas.

Fale-nos agora sobre a relação de Rodolfo com Lucrécia?

A relação entre o Rodolfo e a Lucrécia, princesa de Alcaluz, é muito específica. Primeiro porque o Rodolfo é tudo aquilo que eu já disse, e a Lucrécia é uma quadripolar maluca, que oscila de humor de um momento para o outro, da fofura para a completa agressividade, então esse diálogo e interação entre os dois acaba por ser muito engraçado, intenso e louco, especialmente tratando-se da Tatá Werneck, que interpreta a princesa. Podemos esperar de tudo desses dois.


Leia a Flash Interview com Ricardo Pereira aqui.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close