Estrelas na Terra

Paulo Pires




Paulo Pires

 

 

 

Apesar de Paulo
Pires não ser novo nestas andanças,
neste último ano e meio tem vindo a ganhar mais visibilidade na televisão
portuguesa, sendo protagonista em duas produções da TVI, esta última em dose
dupla, daí a razão desta crónica.

 

Nascido a 26 de
Fevereiro de 1967, Paulo Pires iniciou a sua actividade profissional na moda.
Contudo, este início não foi precoce, já que apenas se dedicou à moda na década
de 90, chegando mesmo a frequentar algumas das cidades mais importantes desta área,
tais como Tóquio, Viena, Londres, Milão, entre outras.

 

Paralelamente
participou em algumas películas cinematográficas, nomeadamente Zéfiro
(1993) de José Álvaro Morais, co-protagonizando de seguida Cinco Dias, Cinco
Noites
(1996) de José Fonseca e Costa.

 

Só no fim desta década é que começou a ser
presença assídua na televisão portuguesa, participando em várias séries e
novelas, mas também apresentando vários programas.

 

Na representação destacam-se as suas
participações
em Jornalistas (1999), Ganância (2001), Ana
e os Sete
(2003), Maré Alta (2004), Segredo (2005) e Até Amanhã Camaradas. Quanto à
apresentação, destacou-se no programa Mundo
Vip
da SIC (1998) ao lado de Filipa Garnel. Só recentemente regressou aos
nossos ecrãs para protagonizar Deixa-me
Amar
(2007) e, seguidamente Olhos nos
Olhos
. Este último projecto representa um desafio a dobrar, já que
desempenha o papel de dois gémeos.

 

Tendo em conta
as datas das produções televisivas em que o actor marcou presença, vemos que
houve um interregno entre 2005 e 2007. Desenganem-se aqueles que pensam que
Paulo Pires não trabalhou na sua carreira. Nestes anos o actor apostou na
internacionalização do seu trabalho, participando em três projectos televisivos
em Espanha, nomeadamente nas séries Los Serranos (2004/05), Fuera de
Control
(2006) e Ellas y el sexo débil (2006).

 

De facto, o seu
trabalho não é apenas reconhecido no nosso país, mas também em Espanha. Isto é
fruto, sobretudo, do seu empenho e dedicação à sua profissão. Contrariamente
àqueles que têm talento e não o sabem explorar, há quem aposte na exploração e
no trabalho das suas capacidades. Nem sempre o talento é tudo, mais que isso é
importante conseguir aplicar aquilo que de melhor se tem e que pode ser
praticado e/ou aprendido.

 

Daqui a 10 dias
voltarei, mas haverá uma crónica
especial
. Fiquem atentos.

 

Aproveito para
desejar um Feliz Natal a
todos.

Diana Casanova

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of