fbpx
De Olho nos Segredos

A Entrevista – Inês, ex-concorrente da «Casa dos Segredos 5»

Ines A Entrevista - Inês, Ex-Concorrente Da «Casa Dos Segredos 5»

Destaque2 In%25C3%25Aas A Entrevista - Inês, Ex-Concorrente Da «Casa Dos Segredos 5»

Entrou na aventura da Casa dos Segredos 5 como um dos elementos do quarteto amoroso, mas depressa descobriu um novo amor. Inês acabou por ser castigada quando, para esclarecer tudo com Hugo, revelou mais do que devia sobre Bruno, Flávia e Sofiya. Foi nomeada pela Voz e abandonou o jogo ao fim de 28 dias. Não se arrepende de nada, voltaria a fazer tudo, mas se fosse agora «tinha ido com mais calma».

1 A Entrevista - Inês, Ex-Concorrente Da «Casa Dos Segredos 5»

Quais eram os teus objetivos quando entraste na Casa dos Segredos?

A finalidade da minha participação era sentir que o meu pai tinha um certo orgulho de mim (a minha família também, mas o meu objetivo era mais o meu pai). E o facto de passar na rua e gostar que as pessoas me conheçam. Eram os objetivos, não pensei em nada mais.

Os teus pais nunca falaram em «desilusão», mas achas que os desiludiste?

Não acho que os tenha desiludido, mas sim que tenha tomado uma atitude, como todos sabem, com o Hugo… Enfim, podia ter ido com mais calma e ia se fosse agora mas não me arrependo. Já conversei com o meu pai; de resto, acho que ele gostou.

Quais foram as primeiras palavras dos teus pais?

A minha mãe abraçou-me. Disse-me que estava triste (e é normal, eu compreendo). O meu pai não falou muito. Disse que estava tudo bem, falámos o que tínhamos para falar. Foi só isso, não tivemos muito tempo para falar.

Mas vamos lá aos primórdios da tua participação. Que história é que tu tinhas com o Bruno?

Era uma relação de «vamos estando». Foi o «deixa andar». Não havia uma relação assumida, não queríamos ter uma relação assumida. Sabia que ele podia ter outras pessoas, outros compromissos, mas só tive a certeza na gala. Foi uma coisa física, só. Foi o deixar andar: eu sentia-me bem com ele, ele sentia-se bem comigo…

Foi uma vantagem teres entrado com o trio (Bruno, Sofiya e Flávia) ou preferias ter entrado sozinha?

Não, não achei uma vantagem, até porque eu não sabia que ia ser esse o objetivo de eu entrar. Fui apanhada de surpresa. Desconfiava que poderia ser alguma coisa assim, mas não que fosse dessa dimensão…

Não achas que deitaste tudo a perder quando falaste do teu segredo? Não o revelaste, mas de certa forma foste explícita…

Dei dicas. Eu disse ao Hugo, mas disse sempre que não tinha nada a ver com o meu segredo. Eu tenho a noção que eles acreditaram nisso e tenho a noção de que eles nunca chegariam ao meu segredo. Foi espontâneo, foi a questão de o Hugo ter sido muito direto fazendo uma pergunta que eu tive de responder e respondi. Não me arrependo de o ter feito.

O Bruno e a Flávia acharam muito injusto. Tentaram esconder o segredo e tu revelaste os detalhes…

Não é que tenha deitado tudo a perder, porque eu não sabia o segredo do Bruno. Não sabia, não fazia ideia – muito menos o da Flávia, muito menos o da Sofiya. Eu não ouvi nomes, mas acho que não os prejudiquei. Eu sei que no lugar deles tinha a mesma atitude que eles. Óbvio que eu não tinha que falar nisto, mas foi para tentar justificar tudo o que passou e tentar explicar as coisas ao Hugo.

Porque é que achas que foste expulsa pelos portugueses?

Porque as pessoas acharam que já viram tudo comigo e com o Hugo, daí agora quererem ver o que é que poderá dar ou não com a Vânia.

E que opinião é que tu tens da Vânia? No Extra, com a Isabel Silva, disseste que a Vânia esta semana tem dado muito em cima do Hugo.

Sim, daquilo que tenho visto, sim. A Vânia tem feito muita pressão. É jogo. Não acho que a Vânia seja má pessoa (nunca disse isso), acho que ela está a jogar. Tudo o que ela é, é uma questão de jogo, acho que ela está a jogar muito bem – é uma ótima jogadora, ao contrário de nós (eu e dos meus amigos lá dentro, que estávamos a jogar com o coração). Ela é jogo, jogo, jogo.

Isso tem alguma vantagem?

Acho que poderá ter alguma vantagem por um lado, coisas negativas por outro… Mas é a prestação dela, ela está a jogar muito bem.

E o que dizes da aproximação entre o Daniel e a Liliana? Achas que a relação dos dois é jogo?

Não acho que seja jogo. Acho que cá fora poderá dar mais do que lá dentro. Acho que lá dentro não vai passar daquilo: do anda cá, vai lá… Lá dentro não irá passar, mas acho que era giro (respeitando os namorados deles cá fora, claro). Mas não sei.

O que é que sentiste quando foste considerada, pelos ex-concorrentes, a «mentirosa da casa?

Logo assim que me disseram, eu fiquei muito mal. Mas depois fui percebendo, no confessionário, e com a Teresa, que foi pelas conversas (que eu contei muito mais ao Paulo do que contei ao Hugo). Acho que tem a ver com esse episódio.

Quando contaste a história do teu segredo ao Hugo, achas que isso abalou a vossa relação?

Não, não. No dia em que eu contei isso ao Hugo senti que ele vacilou um bocadinho, ficou de pé atrás. Ele, com mais medo dele próprio, de não saber lidar com o facto de ter o meu ex-namorado dentro da casa, e estar próximo dele… Mas acho que com o passar dos dias ele reagiu super bem.

Na penúltima gala, algumas pessoas constataram que a Teresa Guilherme terá sido dura contigo. Apercebeste-te dessa nuvem negra?

Não, não me apercebi de nada, até porque quando a Teresa entrou dentro da casa e foi passar aquela noite connosco, ela disse: «Opá, as pessoas têm uma ideia de que eu não gosto de ti». Mas eu não senti isso lá dentro, depois ela falou comigo e tentou puxar-me para a realidade, comentar aquilo que eu tinha feito. Tenho estado com ela, falado imenso com ela e adoro-a. Acho que não. Daquilo que senti lá dentro, acho que não.

No confessionário notou-se alguma tensão…

Eu não senti, não. Nunca senti que a Teresa foi verdadeiramente má. Nunca houve assim tanta pressão como as pessoas dizem cá fora. Se calhar interpretaram de maneira diferente.

Olha, algumas pessoas diziam que tu querias ser uma «Sofia II» [vice-campeã da Casa dos Segredos 4].

Ai, não, nem pensar. Não.

O que é facto é que tu pedias aviões, por exemplo.

Ai, isso sim. Às vezes pedia um avião, dizia isso tantas vezes. «Opá, mandem-me um avião».

Mas não te inspiravas na Sofia?

Não… Às vezes a Cristiana dizia que «Ai a vossa história… O Hugo é o Diogo e tu és a Sofia, e a Vânia é a Maria Joana». E eu: «Cristiana, por favor, não digas isso. Não é para criticar, mas eu não quero uma situação dessas para mim, é claro». Não, nem pensar, nunca foi essa a minha intenção.

Sentias que eras uma das preferidas?

Não. Eu sentia que as pessoas gostavam de mim, pelos aviões, pelo facto de terem gritado pelo Hugo e por mim lá fora. Mas nunca tive a noção que havia gente.

A verdade é que, de acordo com as sondagens, eras uma das preferidas. O que é que correu mal?

Pois, não sei mesmo. Não sei…

Achas que aqueles momentos do edredoning com o Hugo possam ter influenciado?

Sim, também, também… Acredito que sim, acredito que isso possa ter acontecido. As pessoas não gostam disso, mas não me arrependo. Fazia tudo, mas com mais calma. Eu acho que não foi tanto aquilo que nós fizemos, mas sim aquilo que nós dissemos.

Já deves ter visto o vídeo na internet.

Não, ainda não vi. Não quero ver, para já! Quando eu vir acho que vou… Bem, eu entendo o facto de haver muita polémica à volta disso. Entendo perfeitamente, mas eu reagi bem. Nós somos duas pessoas jovens, apaixonadas. Tudo aconteceu naturalmente. Não há volta a dar, aconteceu… está feito!

E como é que foi receber a notícia de que tinhas sido expulsa, pela boca do Hugo?

Foi muito mau, foi horrível. Mas quando ele entrou na antecâmara, percebi que era eu que tinha saído, porque ele olhou para mim. Ele não olhou para a Vânia, olhou para mim, e eu percebi que era eu que ia sair.

O Hugo agora está nomeado. Quais são as probabilidades de ele permanecer na casa?

Eu simplesmente tenho aquele «bichinho» que acho que ele vai sair. Não queria que ele saísse, porque acho que as pessoas… Por exemplo, esta semana ele não deu o feedback que se calhar a Vânia queria que ele desse, e as pessoas podem pensar que ele já não está a fazer nada. Mas até pelo contrário, eu acho que ele agora podia perfeitamente mostrar o Hugo que ele é – já não tem o pai, já não tem a nossa relação. Mesmo comigo lá dentro, acho que ele agora podia ter mostrado aquilo que ele é.

Não tens receio de uma aproximação entre o Hugo e a Vânia pela mão da produção?

Eu tenho receio, sim, mas não acredito que ele vá cair nisso. Não acredito que ele vá ceder, mas tenho receio, claro.

No domingo os ex-concorrentes nomearam o Ódin e o Bruno como os líderes da casa. Sentias que havia grupos?

Não. Eu nunca vi a nossa casa a ter grupos. E não havia grupos porquê? Tudo bem que eu tinha mais afinidades com uns do que com outros… Mas se eu tivesse que falar com o Bruno ou com a Agnes, por exemplo, eu falava. Havia pessoas neutras, havia pessoas que se davam mais umas com as outras, mas não havia sequer pessoas que não se falam.

Agora não tanto, mas no início do programa assistimos a comentários racistas, homofóbicos e xenofónicos. Isso não dá uma imagem má ao programa?

Sim, talvez sim, mas nós lá dentro não tínhamos muito a noção daquilo que estávamos a dizer. E a cena do Hugo foi um comentário que eu nem sequer me tinha apercebido. O Hugo não tem nada contra negros, o Hugo foi criado com negros, convive todos os dias com amigos negros… Não tem nada a ver, foi apenas uma saída infeliz. Só me apercebi disso quando cheguei cá fora. Mas acho que isso já acabou.

Achas que esse comentário do Hugo pode ter influenciado a tua saída e a do Paulo?

Não, as nossas não, mas acho que pode influenciar a dele. Infelizmente, acredito que seja ele a sair…

Já vês algum potencial vencedor?

Sim, o Pedro. Mas tenho cinco pessoas que acho que vão chegar à final: o Pedro, o Hugo, a Vânia, o Daniel e o Didi.

No início vocês viraram-se todos contra a Agnes. Isso não fez com que a sua popularidade aumentasse?

Sim, é verdade… Ela acabou muitas vezes por nos fazer a vida negra. Eu não digo que não gosto dela. Tem dias. Tem dias que tu consegues ter uma conversa com ela. E é muito bom falar com a Agnes, porque ela sabe muito da vida, tem conselhos fantásticos, porque ela realmente sabe falar.

Achas que ela pode ser uma potencial vencedora?

Não…

Na tua opinião, quais são os concorrentes que desestabilizam o jogo?

A Vânia, a Cristiana (ela é um furacão, desestabiliza tudo o que lhe apetece), a Agnes…

Achas que há concorrentes que são protegidos pela produção para chegarem à final?

Sim… Mas também acredito que não.

No sentido em que dão canal à casa…

Sim, é suposto isso lá dentro. Mas acho que eles não precisam de dar canal… Se tiverem que falar, falam. Não querem saber se estão imunes.

Já estás cá fora há quatro dias. Que feedback é que tens recebido do público?

Bom. Ainda não tive nenhuma crítica má diretamente a mim. Ainda ninguém se dirigiu a mim para falar mal. Mas espero que haja comentários negativos. Mais quando eu chegar ao Norte. Quando eu chegar ao Porto, espero muito mais haver comentários piores do que daqui.

Como é que vais lidar com isso?

Bem. Estou preparada, quer dizer… Estou-me a mentalizar. Se calhar quando ouvir, não vou gostar de ouvir, mas é normal. Estou preparada para isso.

O Bruno é agora um dos favoritos. Esperavas?

Sim, esperava… Ele também é jogador, joga. Explode porque sabe que vai mexer com as outras pessoas… Dá o canal todo à casa, se tiver que armar discussão, vai armar…Mas o Bruno que conheci não tem nada a ver com o Bruno de agora. Eu conheci o Bruno e era «eu e o Bruno», não é? Somos pessoas diferentes, mas eu não digo que ele seja má pessoa.

Pergunta de praxe: O que esperas retirar da tua participação?

Ainda não pensei nisso. Agora quero tirar o meu curso de enfermagem… Vou continuar a minha vida, sei que isto não dura para sempre. Vou aproveitar o bocadinho que vai durar.

2 A Entrevista - Inês, Ex-Concorrente Da «Casa Dos Segredos 5»

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

3 Comentários

Clique aqui para comentar

  • LOL @ “queria participar para que o meu pai sentisse orgulho em mim e por gostar que as pessoas me conheçam na rua”

    Pois, quando se quer que o pai tenha orgulho, vai-se para uma casa vigiada envolvida com o namorado e várias ex-namoradas dele, para terminar com sexo ao vivo com outro gajo… grandes ambições de vida

ATV News