De Olho nos Segredos

A Entrevista – Daniela, ex-concorrente da «Casa dos Segredos 5»

Juntamente com Ricardo, Daniela abandonou a Casa dos Segredos 5 no passado domingo. Apesar de não responsabilizar Ódin, a jovem de 23 anos acredita que se manteria no reality show se tivesse afastado do concorrente mais cedo. Acusou a produção de favorecer certos concorrentes dentro do jogo, mas agora estando cá fora vê as coisas de maneira diferente.

Entraste na Casa dos Segredos 5 com o segredo «Somos um falso casal lésbico». O que correu mal para não o defenderes? 

Foi os nossos feitios e personalidades muito diferentes. Também o facto de estarmos forçadas a dar-nos bem acabou por prejudicar por haver situações que ambas não gostávamos. Senti que também foi mais da minha parte para com ela, não encaixei muito bem com a personalidade dela, depois foi sempre a descambar. Logo desde a segunda, terceira semana, eu percebi que não nos íamos dar muito bem e depois a situação de guardar para mim por não poder dizer que as coisas estavam assim, o não querer dizer para não ter missões e não poder dizer aos meus colegas por causa do meu segredo, complicou tudo. Fui guardando, guardando e depois quando explodi foi o descambar. Eu não queria mesmo ter aquele segredo.

Falemos da tua relação com o Ódin. Dito ele que confundiste os sentimentos, o que realmente se passou?

Hum, está bem. Passou-se um jogo. Simples. Eu tenho um sentimento por ele mas não um sentimento de amor e paixão. Somos amigos. Inicialmente a carência levou a algumas situações que podiam ter sido evitadas para não haverem tantas discussões entre nós.

Já tiveste oportunidade de estar com ele depois da tua saída do reality show?

É assim ainda não falámos. É uma pessoa que eu gosto muito, se tivermos de ser amigos cá fora vamos ser. Mais que isso não, de maneira alguma. Ele fez o jogo dele, eu fiz o meu. Se o dele era demasiado de caras isso era com ele. o meu era meu.

Foram passadas imagens do jantar entre o Ódin e Elisabete. Ficaste magoada? 

Foi uma situação que nós estávamos carregadíssimos de álcool. Nós lá bebemos muito pouco e naquele dia com a cachaça, estava toda a gente bêbeda. Não foi uma situação de raiva, foi “ah foi isto que disseste? Então toma!” tanto que não fiquei com raiva dele. No dia a seguir não falei logo bem com ele mas trocámos algumas palavras, tudo bem.

Não continuaste a falar bem porque depois ele saiu…

Sim, isso aconteceu 2 ou 3 dias antes dele sair. Nunca conversámos acerca disso, não sei se iremos conversar, não faço questão disso.

Descartas uma amizade com ele?

Não, não descarto. Quero ser amiga dele, agora o que eu fiz lá dentro, o que ele fez lá dentro, cada um sabe de si.

O Ódin alega que a última semana dele foi carregada de missões não reveladas cá fora.

Eu também vi um vídeo lá dentro, até posso acreditar nisso, mas a partir do momento que te dão uma missão tu tens o direito de recusar se não quiseres. Ou de demonstrares à outra pesssoa que é missão. Ele era um jogador muito agressivo no jogo dele e acho que foi isso que o prejudicou.

Foi difícil estar 24 sobre 24 horas com as mesmas pessoas?

Foi! Tu tens uma discussão com uma pessoa e não dás meia volta e amanhã falamos. Vais estar sempre a encontrar e a encontrar. É isso que faz com que hajam ainda mais discussões. Nunca dá para tu ficares bem com uma pessoa de um momento para o outro porque vai sempre haver aquela picardia. É complicado, porque também há muitos espaços mortos. Um dia lá parece uma semana! Estás ali um dia inteiro que é um sufoco.

Consideraste uma boa jogadora?

Não me considero uma boa jogadora porque estive demasiado enrolada sempre na mesma situação com o Ódin. Sai da casa a partir do momento que o Ódin saiu. Apenas mostrei mais de mim depois e foi disso que tive pena. Se não tivesse aproximado do Ódin de início se calhar tinha tudo diferente.

Então consideras que ele ditou a tua saída? 

Não vou culpá-lo, mas já muita gente me disse que em certos aspectos me prejudicou. Lá dentro já tinha essa noção mas lá dentro é difícil tu saíres daquilo.

Recebeste uma nomeação automática. «Uns são filhos, outros enteados», estas palavras foram ditas por ti na casa.

Naquela situação (a cuspidela e mandar o cinzeiro), eu tinha que ser nomeada, ponto. O que achei mal foi em relação ao ano passado a situação da Joana com o Luís e nem sequer foi retirado o passe para a final, nem uma nomeação, nem nada, deixaram andar.

Não precisas de ir buscar exemplos da edição passada, tens nesta edição.

De todos os que estão lá dentro, o meu exemplo foi o mais grave porque cuspi. Aquilo foi um grande alarido pela discussão, porque lá dentro há cuspidelas a torto e a direito.

Arrependes-te?

Não, não me arrependo. Vá, por um lado sim, podia estar lá dentro ainda. Por outro lado, queria mesmo vir cá para fora. Mas se calhar se não tivesse feito isso estava lá dentro. Se calhar aquela semana em que o Ódin sai, eu senti isso das pessoas, gostaram muito da minha prestação nessa semana, podia ter continuado.

Quem é que achas que vai sair?

Sem dúvida, a Liliana. Não tinha a noção de que cá fora não gostavam muito do Fernando, mas acho que gostam ainda menos da Liliana.

Achas que há jogo entre a Liliana e o Daniel?

De certeza que sim. Já vi que vocês têm uma ideia cá fora diferente da minha, eu acho que o Daniel está muito mais apaixonado que a Liliana. Ele foi-se muito abaixo com a situação da Liliana, de ela não lhe falar, que ele não sabia que era missão. Acho que é mais o Daniel que gosta dela.

Acreditas que eles juntaram-se só para agradar o público? Há aquela ideia que os casais chegam sempre à final. 

Eu quero acreditar que não porque a Liliana com um namorado há 3 anos e meio, não é uma boa imagem que se passa. Nada boa! A parte do Daniel, ele sempre disse que tinha namorada. Embora não fosse bem namorada, nunca o devia era ter dito. Se não era bem namorada, não dizia. Eu acho que os portugueses vão cair muito em cima da Liliana.

Eles têm estrutura que se aguente cá fora? 

Não. Eu disse-lhes dentro da casa, vocês não vão aguentar nem um mês. Nem eles dois, nem a Flávia e o Bruno. Acho muito sinceramente que o Bruno quando chegar cá fora dá um chuto no rabo à Flávia.

Estavas à espera que ele fosse um dos preferidos dos portugueses?

Estava. O Bruno é muito frontal, irónico, é porreiro, a mim nunca me atacou e não tenho nada a dizer mal.

Surpreende-te a lista dos concorrentes com maior popularidade junto do público? 

Eu estava à espera do caso da Agnes. As pessoas quando falam do ambiente de casa, percebe-se, nós temos mais ou menos uma ideia. Acho que o Bruno e Agnes dá primeiro e segundo lugar. Achei muito estranho o pessoal não achar o Fernando, não percebo porquê.

Tiveste algumas picardias com a Agnes. A popularidade dela foi ganha à custa de vocês todos?

Acho que a popularidade da Agnes foi muito à pala do Ódin. Por ele picar tanto com ela, ele atacar uma mulher e, ainda por cima, a Agnes que mete tudo cá para fora, ela não tem nada a perder com isso. E acho que ela agora vai-se completamente abaixo porque não há ninguém agora que a puxe para cima. As únicas pessoas que ainda picavam era o Ódin e o Daniel que agora está mais próximo do Bruno por isso não vai pegar pela Agnes de certeza absoluta.

Quando o Ódin saiu, o Daniel virou-se mais para o Bruno. Será que se apercebeu que ele era um potencial finalista?

A partir do momento que eles tinham conversas para pôr o Bruno cá fora e depois de repente acontece isso e o Daniel era um braço direito. No meu ponto de vista não achei bonito. Lá dentro nós percebemos que o Bruno é popular cá fora, ali mais para o fim deu para perceber, e o Daniel também se apercebeu. Acho que também foi ali muito pelo Fernando, as picardias do Fernando com o Bruno. Ele também me disse que o Ódin era um falso.

Que feedback tens recebido das pessoas?

Apesar de tudo o que passou nas revistas tenho tido um feedback muito positivo. As pessoas mandam mensagens de apoio, ainda não recebi mensagens negativas no Facebook. Há sempre aquelas pessoas que gostam menos, eu estive a responder aos fãs no Facebook e era tudo muito positivo. Houve um, dois, que não gostaram mas de resto as pessoas disseram que gostaram e que devia ter deixado o Ódin há mais tempo.

O que esperas retirar agora da tua participação?

Quero juntar algum dinheiro. Depois quero juntar as minhas duas áreas, que são a Gestão e a Dança, e abrir uma escola de dança. Eu já dou aulas mas é num pavilhão alugado, agora quero desenvolver mais nessa área. Fazer mais workshops e tudo mais. Se se proporcionar, em termos de televisão, gostava muito de fazer coreografias para os programas.

Assista agora ao Quinto Extra com Teresa Guilherme, uma iniciativa do site A Televisão em parceria com a TVI e Endemol:

ATV News


Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close