RTP

The Voice Portugal: Conheça os candidatos da 3ª Prova Cega. Veja as atuações

A nova edição do The Voice Portugal já arrancou na RTP1. No terceiro programa de Provas Cegas foram conhecidos mais candidatos.

Esta semana, o The Voice Portugal promete continuar a ser o palco de todas as emoções. As Provas Cegas continuam! Alice Fernandes, diretamente da Madeira, vem provar que quem sonha ser cantor, nunca desiste. Pedro Camões, que com apenas uma guitarra e uma voz singular, dá a volta aos mentores.

Neste palco há lugar para todos os estilos musicais. A Inês Ribeiro traz o canto lírico e a Maria Caetano, o Fado, provando que o sonho de cantar não tem idade.

João Pereira viu no The Voice Portugal a oportunidade para mostrar a sua voz, o seu talento e a vontade de ser cantor.

Mas há coisas que este palco nunca viu! O Ivo Arantes vem mostrar a sua voz e aproveita o momento para pedir a namorada em casamento!

E ainda uma concorrente que, incentivada pelo filho, vem dos Açores para conquistar o seu lugar na música. Com a sua voz poderosíssima, arrebatou os mentores e fez com que o jogo e a estratégia, mas também as emoções, viessem ao de cima.

João Branco, 19 anos, Carcavelos, SIM | Anselmo Ralph
“Orgulho-me todos os dias de conquistar o sorriso de quem me rodeia”

Cresceu em Sintra, Mem Martins. Há 5 anos foi para Carcavelos e há 1 ano que vive com um amigo. O pai emigrou há cerca de um ano para Inglaterra, o que foi muito complicado para o João porque o pai é o seu melhor amigo.
Foi com o pai que nasceu o gosto do João pela música. O pai desde sempre que toca guitarra e canta e sempre teve bandas de garagem. O João sempre foi muito inserido neste ambiente e daí nasceu o gosto.
O filho da madrasta já tocava alguma coisa e ele via o pai a tocar com ele e aquilo chateava-o. Um dia, sozinho, roubou as pautas e a guitarra e aprendeu logo duas músicas. Isto foi o inicio de tudo. Tinha 8 ou 9 anos. Por volta dos 11 anos foi ter aulas de guitarra elétrica.
Teve uma banda quando tinha 10 anos com 3 amigos onde tocava guitarra. Ele é que liderava aquilo. (pedir vídeos)
Por volta dos 14 anos atuou pela primeira vez na escola onde cantou e tocou viola. Depois foi tocando para os amigos e família.

Pedro Camões, 28 anos, Valongo, SIM | Mentor: Aurea
“Quero partilhar a minha música com mais pessoas. O que mais quero é vencer no mundo da música”

Não tem formação musical. Começou a cantar e a tocar guitarra há 13 anos. Tinha 15 anos e aprendeu tudo de forma autodidata. Já deu muitos concertos.
Adora compor e formou uma banda de originais “Pedro Camões”. Vão atuando em bares no Porto. Canta covers, mas também originais seus dentro do estilo Blues, Groove, R&B e Grunge. Adora blues e old school. Admira muito o Jim Morrison e a música dos anos 60. Gostava de viver da música e ter algo ligado ao turismo para ter também uma vida dita normal e com responsabilidades.
Quis vir ao The Voice Portugal porque gosta da banda e porque quer ganhar visibilidade. Viveu e cresceu em Valongo. Atualmente vive no centro do Porto com um amigo. Trabalha como rececionista numa empresa de alojamento local e ao mesmo tempo mantém a profissão de músico.

Sara Dominguez, 26 anos, Lisboa, SIM | Mentor: Marisa Liz

A Sara é de origem espanhola e portuguesa. O seu pai é espanhol e a mãe portuguesa, vivem em Elvas; ele é cabeleireiro, ela administrativa. A Sara já está em Lisboa há 5 anos, onde tirou uma licenciatura em medicina osteopática e agora está a tirar uma em enfermagem.

A música só entrou na sua vida aos 15 anos, quando ganhou o Vozes de Elvas. Entretanto foi cantando e agora, já com 26 anos, a Sara diz que a música está, sem dúvida, por cima da enfermagem.
O seu irmão Daniel, que quer entrar para a marinha, é louco pelo The Voice Portugal e vê as edições todas de todos os países e vive muito a participação da Sara.

O seu irmão é o seu maior fã.
Pratica kick-boxing numa box em Marvila – Arena Fight Club. Sente que pode descarregar ali as energias todas. Também dança kizombas e salsas no Bairro Lation que neste momento está fechado.

Inês Ribeiro, 20 anos, Lisboa, SIM | Mentor: Anselmo Ralph

A Inês está a tirar Línguas, Literaturas e Culturas na Universidade Nova. Vive com colegas de casa. A par deste curso também está no Conservatório. A mãe, que é professora de português e história, vive em Leiria.
Quer viver da música, mas acha que o curso que está a tirar é muito importante, porque lhe dá a sensibilidade e maturidade para interpretar aquilo que lhe é proposto; dá o exemplo da música E Depois do Adeus – se ela conseguir saber o que está por detrás da música, ela vai soar de forma diferente de certeza. “A música não é só cantar certinho, é muito mais que isso.” Desde pequena que estuda música, no Conservatório de Leiria.

Maria Caetano, 61 anos, Setúbal, NÃO

O pai era pescador, a mãe era doméstica. Foi sempre muito protegida pela mãe. Foi sempre proibida de cantar porque vivia num bairro de pescadores e os pais achavam que socialmente, não ficava bem uma rapariga cantar.
O seu primeiro palco foi o estrado da escola, quando a professora descobriu que ela cantava. A professora, todos os dias, terminava a aula 5 minutos mais cedo, para a Maria cantar.

Cantava tudo, sabia tudo do Roberto Carlos. Casou e aos 19 anos teve o primeiro filho. O canto estava no seu destino, e tinha de ser cumprido. Está na alma e fica contente porque as pessoas notam isso. Só canta temas que sente.

Ivo Arantes, 26 anos, Vila Nova de Famalicão, SIM | Mentor: Aurea

O Ivo é professor de Educação Musical, desde o jardim de infância até ao 2o ciclo. Vive com os pais e com as duas irmãs, mas namora há 5 anos com a Juliana que é educadora social. Conheceram-se na universidade.
Diz que a música já está na sua vida, mas quer mais. É católico praticante, dirige e canta em coros, chega a ter quatro eucarísticas por semana. Alguns destes coros são em Vale de S. Martinho – Famalicão. Além disso, também canta em bares.

Não faz nada de desporto, porque diz que não tem tempo, apesar de o ter feito a vida toda. Nem o tempo para passear o cão é como ele desejava.
Identifica-se com a Aurea pelo estilo de música e porque é fascinado pela sua voz.
Na Prova Cega quer trazer a namorada e a sua família.

No final da sua audição pede a namorada em casamento.

Maria de Deus Pinheiro, 21 anos, Lisboa, NÃO

De momento estuda Psicologia, mas esteve durante 1 ano e meio a trabalhar no grupo Avillez como Relações Públicas. Recebia as pessoas no Bairro do Avillez. Para ela faz todo o sentido, porque ela é uma people person.
Foi estudar psicologia porque quis compreender o seu irmão que tem Asperger. Ele adora ouvi-la cantar e já canta também. É inteligentíssimo, apenas difícil em multidões.

Acha que o The Voice Portugal agora faz sentido porque como tem 20 anos, está no auge. Quer descobertas e experiências. Quer superar-se a si própria e perceber até que ponto as pessoas gostam da sua música.
Adorava cantar com a Marisa Liz e é neta do João de Deus Pinheiro que diz ser extremamente culto e interessado. “Ele tem muita coisa para contar.”

A música começou quando lhe ofereceram um piano. Descobriu uma caixinha com teclas e começou a acompanhar-se a si própria. Depois, a irmã comprou um estúdio para casa e isso levou-a a fazer mais coisas. Costuma cantar em casamentos e outras coisas, tudo a título individual.

Gonçalo Santos, 22 anos, Amarante, SIM | Mentor: Marisa

O Gonçalo é estudante de som e imagem. Neste momento congelou a matrícula. Deixou os estudos em pausa para arriscar na música.
Vive sozinho no Porto desde os 18 anos (foi para lá viver quando entrou para a Universidade). Antes morava com os pais (os pais têm um colégio), irmãos (um mais velho e outro mais novo) e com avó materna. Fala muito na avó (Felisbela). Foi ela que o criou e é a maior inspiração. Compôs uma música para ela e sempre que canta ela chora.

Começou a cantar aos 14. Era um bocado reservado e divertia-se sozinho. Depois começou mais a sério na música. Deu muitos concertos e começou a gravar o primeiro álbum de originais. Até agora só tem uma música lançada. Sempre achou que ainda não era o momento certo.

“Estive parado a encontrar-me. Acho que me encontrei e quero mostrar aquilo que gosto de fazer.”
Toca guitarra e piano. Autodidata nos dois. Tem canal no youtube.

Alice Fernandes, 18 anos, Madeira, NÃO

Desde pequena que sempre cantou. Aos 10 anos soube que cantar era o que queria fazer na vida e espera que o futuro assim o dite.
Na escola começaram a organizar concursos, ela começou a participar e foi quando percebeu que era mais sério.

Já andou em escolas de música no Funchal. Aprendeu guitarra no conservatório durante 6 anos, depois parou para ir para o canto e agora está a recomeçar. Tem aulas de piano há 2 anos. Participou em concursos na Madeira. Ficou em 1o lugar em 4 deles.
Em 2016 participou no festival de Moinho de Ouro em Corroios, onde representou a região da Madeira e venceu na categoria Juvenil de Originais e ganhou a Melhor Música.

Carolina Leite, 16 anos, Lisboa, SIM | Mentor: Marisa

Carolina foi a finalista de Anselmo Ralph no The Voice Kids. Passaram 4 anos. Desde então acha que amadureceu, a voz mudou, e a forma como encara o mundo da música também evoluiu. Sabe que é preciso mesmo muito trabalho para se ter sucesso.
A música, começou um pouco antes do The Voice Kids. Mas depois do The Voice Kids, ganhou outra importância. Desde então, já fez musicais e continua a apostar no mundo da música.

Toca guitarra há dois anos, mas toca pouco. Teve algumas aulas. Toca ukulele há 1 ano. Costuma cantar em teatros musicais (“Cronicas de Campo”, obras da Matilde Trocado), eventos de solidariedade, festas, batizados e casamentos.
Há pouco tempo cantou num festival que se chama IFLC – International Festival of Languages and Culture onde representou Portugal em Sidney. Esteve agora 1 ano no Hot Club no curso completo. Agora, cada vez que canta, sente que faz um pouco a sua versão e acha que a música sai naturalmente.

José Almeida, 29 anos, Grijó, NÃO

José é RP e cantor. Fez 12o ano na área de animação sociocultural.
Canta desde os 15 anos em eventos (casamentos, festas de aniversário, restaurantes, etc). É ele que leva o material todo para fazer a festa. Leva a música num computador, liga os cabos todos, canta, dança e faz de DJ. “Faço tudo o que for preciso!”
Vive com os pais e com a irmã mais nova. “Tenho de agradecer ao meu pai que investiu muito na minha carreira!”. O pai também faz karaoke. Quando ele fez 18 anos, comprou uma carrinha para levar aparelhagem para eventos.
A sua vinda ao The Voice Portugal é muito curiosa. Veio acompanhar uns amigos ao casting sem estar inscrito. Quando estava na sala de espera, resolveu preencher os papéis e mentiu à produção, dizendo que já tinha feito inscrição. Acabaram por inscrevê- lo na hora e fez o casting de fato de treino (pediu desculpa por vir assim vestido, mas só vinha acompanhar os amigos).

João Pereira, 29 anos, Moita, SIM | Mentor: Anselmo Ralph

O João Pereira tem 29 anos e vive na Moita. É ceramista e tem 8 lojas em Lisboa. Vive com a namorada (arquiteta paisagista) que conheceu no infantário e com quem casou “espiritualmente” em Bali e tem uma filha.
Canta desde sempre. “Tenho poucas recordações da infância que não sejam a cantar”.Trabalha em música há 9 anos. Tem feito trabalhos em estúdio como backvocal. Compõe há 12/13 anos. Nunca cantou para muita gente. Canta, normalmente em casa e em festas com amigos (para além dos trabalhos de estúdio).

Sonha com uma carreira no mundo da música e a esposa é quem mais o apoia. Diz que o maior obstáculo foi, a determinada altura, o seu peso. Neste momento tem sido a falta de oportunidade.
A pessoa mais importante da sua vida é a filha. Costumava cantar-lhe todas as noites para adormecer o “Stand by me” (a música da sua vida).

Vânia Dilac, 27 anos, Açores, SIM| Mentor: Anselmo Ralph

A Vânia vive sozinha com o filho em São Miguel, Açores. O facto de viver numa ilha é um obstáculo para atingir o seu sonho. O filho é quem lhe dá mais força para lutar por este sonho e o seu melhor fã.
Tem duas bandas: a “Vânia Dilac and the Soulmakers” e os “Magma Gospel”.

Está no mundo da música há 23 anos. Começou a cantar Gospel numa igreja evangélica o que a fez apaixonar-se pelo género Blues. Não tem formação musical, a sua experiência passa por coro de igraja clássico; cantar em casamentos, restaurantes, bares e festas; integração em projetos de renome e a formação das bandas.

De há 10 anos para cá começou a compor temas seus de Rythm and Blues, Gospel e Soul. Já cantou perante diversas plateias como o Coliseu Micaelense, o Teatro Micaelense, Santiago Alquimista, na ESMAE do Porto, na ilha Graciosa e nos EUA. Participou em concertos de Paulo de Carvalho, Héber Marques e teve participações em cinema com Jorge Palma e Zeca Medeiros.

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close