RTP

Salvador Sobral acredita na vitória de Conan Osíris mas não “compraria um disco”

Em entrevista à RTP, Salvador Sobral assumiu que Conan Osíris tem “tudo para ganhar” o Festival da Eurovisão este ano. No entanto, o vencedor do festival, em 2017, revelou que a música do artista não é o seu estilo.

Apesar de não se identificar com o tema ‘Telemóveis’ interpretado por Conan, Salvador Sobral foi otimista: “Tem todos os fatores [para ganhar]. É o que eles querem: [alguém que tenha] impacto, que seja muito diferente e que se distinga. Tem tudo: a música, a maneira como ele está vestido, tem tudo para ganhar aquilo.”

No programa ‘Grande Entrevista’, o cantor português reforçou a sua certeza sobre a vitória de Portugal na Eurovisão. “Na Suécia, estavam a ver o Festival da Canção sueco. Escolheram o representante deles. Depois mostrei: olhem aqui o que Portugal vai mostrar. Já sabia [a reação]: wow, é isso que eles precisam na Eurovisão, é o wow”, confessou.

O “fator diferença” e o facto de ser uma canção “muito diferente” são os motivos apontados por Salvador para a vitória de Conan. “Não é a música que interessa, é a diferença. Isto não é sobre a música, é sobre o impacto. É entretenimento, é um programa de televisão, que mostra as novas tecnologias musicais…”, revelou o cantor.

Apesar disso, Salvador Sobral foi direto e preciso: “Não compraria um disco dele. Pronto. Se calhar ele também não iria comprar o meu disco, não é a cena dele. Não é uma coisa que eu ouviria ao chegar a casa. Não é o meu estilo”.

O cantor português prepara-se para lançar um novo álbum intitulado ‘Paris, Lisboa’ desde que venceu a Eurovisão.

Também o pianista que tocou com Salvador Sobral no final da última edição do Festival da Eurovisão, Júlio Resende, comentou a prestação de Conan Osíris. Através das suas redes sociais, o pianista deixou algumas palavras relativamente à atuação do artista: “Conan Osíris, como Salvador Sobral, não é um rapaz apenas com futuro, mais que isso, é um rapaz que já tinha um passado antes de aparecer para a opinião pública. E desta vez, ao contrário daquilo que se passou com Salvador — que NUNCA ganhou o 1º prémio do público no Festival da Canção, não nos esqueçamos –, este mesmo público parece ter aprendido com os seus erros e, desta vez, não está a julgar Osíris pelas suas roupas e atitudes.”

Para Júlio Resende, Conan Osíris é “um cantor frágil, mas um artista forte”. “A sua fragilidade fê-lo construir um estilo muito singular, que mistura o fado, o cigano, o arabesco. Porque cantar é uma pequenina parte de se ser intérprete. Mas se há uma canção que todos os artistas conhecem é a canção de que no peito de um desafinado também bate um coração, e esse é o mais importante em cada artista. O coração de Osíris dança. Fantasia. Critica. Ri! Ter um artista com um coração que ri não é fácil. É até uma benção de vez em quando”, acrescentou Júlio.

View this post on Instagram

CONAN, o artista com o coração que ri! Conan Osíris, como Salvador Sobral, não é um rapaz apenas com futuro, mais que isso, é um rapaz que já tinha um passado antes de aparecer para a opinião pública. E desta vez, ao contrário daquilo que se passou com Salvador – que NUNCA ganhou o 1o prémio do público no Festival da Canção, não nos esqueçamos -, este mesmo público parece ter aprendido com os seus erros e, desta vez, não está a julgar Osíris pelas suas roupas e atitudes. Parabéns público! Aprender é uma arte também. O público desta vez está a julgá-lo pelo que sente, pelo que Osíris faz sentir: seja um incómodo grande no cérebro, como um nó de marinheiro que queremos aprender a desatar para sair do porto de abrigo à descoberta, seja uma aflição grande nos pés, como uma vontade de dançar como o incrível e excepcional bailarino (João Moreira) que faz parte da banda do artista, e que o acompanha desde sempre, e que Osíris chamou de propósito para a sua “banda.” Osíris é um cantor frágil, mas um artista forte! A sua fragilidade fê-lo construir um estilo muito singular, que mistura o fado, o cigano, o arabesco. Porque cantar é uma pequenina parte de se ser intérprete. Mas se há uma canção que todos os artistas conhecem é a canção de que no peito de um desafinado também bate um coração, e esse é o mais importante em cada artista. O coração de Osíris é original, bondoso, popular, despreconceituoso, acutilante, humilde. O coração de Osíris dança. Fantasia. Critica. Ri! Ter um artista com um coração que ri não é fácil. É até uma benção de vez em quando. Um antigo filósofo grego afirmava que é possível fazer arte com a brincadeira e arte com a seriedade, mas que a última estava já muito gasta. E este era um assunto sério para o filósofo. O grande desafio de Conan não passa pelo consenso público ou pela Eurovisão. Mais tarde, quando tudo isso ficar para trás, o grande desafio de Conan será o mesmo de todos os artistas, a dificuldade de fazer sempre algo original e diferente a cada gesto. E para ele ainda será mais difícil, porque o que ele faz agora é já muito vincado, fechado, e não sei até que ponto ele conseguirá se ultrapassar ainda mais. Mas tenta Osíris, tenta!!

A post shared by Júlio Resende (@julioresende.piano) on

ATV News