fbpx
RTP

RTP vai emitir quatro novas séries portuguesas

In Treatment Rtp Vai Emitir Quatro Novas Séries Portuguesas
A versão norte americana foi emitida na HBO
A Versão Norte Americana Foi Emitida Na Hbo
In Treatment – A versão norte americana de BeTipul foi emitida na HBO

Em entrevista à revista Sexta, Virgílio Castelo, consultor de ficção da RTP, revelou pormenores sobre as novas apostas do canal 1 na ficção. O ator recusa apostar em telenovelas, como os canais privados, e pretende marcar a diferença. As privadas «fazem novelas, porque é o mais barato que há. Seria um absurdo que o dinheiro dos contribuintes estivesse a servir para fazer a mesma coisa que as privadas fazem», justifica.

Uma das apostas da RTP1 será uma série que contará histórias de famílias portugueses nos tempos de hoje. A produção estará a cargo da SP Televisão – produtora de Bem Vindos a Beirais e Coração d’Ouro. A trama é escrita por Filipe Homem Fonseca, um dos criadores de Contra Informação e argumentista de vários programas de Herman José.

O canal público vai apostar na adaptação de um produto estrangeiro, à semelhança de Dancin’ Days [SIC] e Santa Bárbara [TVI]. Também produzida pela SP Televisão, Terapias é baseada na série israelita BeTipul, já adaptada em dezenas de países, «na qual um psicanalista analisa, a cada dia da semana um paciente. À sexta, vai ele próprio fazer psicanálise.»

Uma terceira série é escrita por Lara Morgado, autora do romance Sete Minutos do Clube do Livro SIC. A história produzida pela produtora dos filmes Balas & Bolinhos – Light Box – retrata o «universo prisional feminino em Portugal».

Por último, o canal recupera um homem da casa, Mário Botequilha, autor de vários programas de humor como Agora Escolha e Estado de Graça. A série da mesma produtora de Odisseia – Take It Easy – «será uma comédia sobre os bastidores da politica».

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

7 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Vamos ver em que medida é que uma produção de ficção nacional diversificada na RTP será consistente e continuada. Lembro-me que quando Hugo Andrade assumiu a RTP, também vinha cheio de boas intenções no que diz respeito à produção nacional em horário nobre, apostando numa grelha vertical que, depois, foi abandonada.

  • “In Treatment”, a série que há uns anos foi dito que ia ser adaptada pela SIC. Pelos vistos o Virgílio Castelo deve ter uma tara com esta série; tentou levá-la para a SIC, não conseguiu e agora “enfiou-a” na RTP!!!

  • Oxalá que o que Virgílio Castelo quer o consiga fazer. Quanto às privadas, teria uma questão fazer: Seria caro fazer uma indústria de telefilmes como Emídio Rangel tentou fazer no inicio da década passada na SIC???, como por exemplo o “Amo-te Teresa”. É que com José Eduardo Muniz e as suas telenovelas, ISSO foi completamente abandonado, infelizmente. O que Emídio Rangel pensava estava certo, o tempo confirma isso totalmente. Depois de mais uma década do formato telenovela não vejo a hora do formato ser erradicado progressivamente do panorama. Estou a ser lírico?. Não acho. Também se dizia na década de 90 que era impossível fazer telenovelas em português de Portugal, que a GLOBO era imbatível. Pois isso, provou-se que estava errado. Agora o que a SIC devia fazer era acabar com o exclusivo que tem da Globo, pois as novelas brasileiras NÃO FAZEM FALTA MAIS.

  • “Seria um absurdo que o dinheiro dos contribuintes estivesse a servir para fazer a mesma coisa que as privadas fazem”
    Aí você vê a grelha da RTP1 e, SURPRISE…!

    • Nisso tenho de concordar consigo.
      A RTP só não passa novelas em horário nobre, de resto é igualzinha ás privadas.
      Eu não me afecta, é canal que simplesmente não vejo.
      Tudo nele me desagrada.
      É o grafismo antiquado, os pivos e apresentadores, na sua maioria detesto..
      Quando vão buscar aquele enfadonho do Júlio Isidro ou o Mário Augusto ,fujo a sete pes. Detesto o Jorge Gabriel ou o Hélder Reis.
      A informação é mais que cinzenta..
      Enfim, por mim era canal que se fecha se não me afectava nadinha. Só me incomoda todos os meses ver sair dos meus impostos, uma verba para manter o dito serviço público, que de serviço público não tem nada.

ATV News

<>