fbpx
RTP

Luís Osório surpreendido após elogiar o The Voice: “Lamentável, ofensivo e escandaloso”

Luís Osório
@Redes Sociais

Luís Osório elogiou o ‘The Voice’, da RTP1, e revelou que o programa o faz recordar a infância. Mal imaginava um comentário que lhe seria dirigido nessa mesma publicação.

Depois de elogiar o programa ‘The Voice’, através de um texto que partilhou na rede social Facebook, um seguidor de Luís Osório utilizou a caixa de comentários para criticar a forma como Aurea e Marisa Liz surgem vestidas.

Lamentável, ofensivo e escandaloso a forma como, sobretudo as do júri, se vestem e se despem. É a libertação da mulher? Mostrar as mamas, pernas e cuecas? Vestirem à rica num país com tanta miséria? Numa televisão pública?“, atirou.

Sou conservador? Não! Acho que as mulheres, despindo-se cada vez mais em público, é contra a sua libertação! Os homens perdem todo o interesse. Só os frustrados e tarados podem concordar! Vão lá muitos valores de concorrentes, mas as tolecas me enervam“, acrescentou.

Luís Osório respondeu desta forma: “Caro Rui, o que posso dizer? O senhor é um ser humano como eu, mas depois há qualquer coisa que falha. Talvez um dia possamos compreender. Eu e o senhor“.

Leia aqui o texto de Luís Osório:

«The Voice:

  1. Aos domingos faço por não perder um The Voice. Um programa de televisão que é bastante mais do que isso. É passado pois traz o melhor dos programas de que me recordo quando era criança – o elogio do talento, a competição que não humilha quem perde, o ambiente dos velhos festivais da canção, um entretenimento que nos inclui.

    É presente pois oferece o melhor que um programa do género pode ter. Excelentes enquadramentos, uma inteligente produção, bons pivots, uma banda com bons músicos.

    É futuro pois aposta em jovens talentos e promove um culto de não desistência num país em que tanto se desiste. Ver o The Voice é também um ato de inclusão, vemos gente que foi refugiada, que passou mal, que não fala a língua e está tudo bem, está tudo certo.

  2. Aos domingos faço por ver o The Voice porque as “estrelas” não me agridem com a sua distância afetada – elas estão dentro da minha televisão, mas também na sala connosco. Gosto da força de Marisa. Gosto da sensibilidade de Aurea. Gosto do sentido de humor do Diogo. Gosto do genial Zambujo. O Zambas. Já o comecei a chamar Zambas como se também lhes pertencesse. Ah, e gosto da Catarina e da sua capacidade de se reinventar. E do Palmeirim que respira televisão e profissionalismo.
  3. Parecemos formatados para não dizer bem. É muito bom, mas. Gosto de ver, mas. Tem talento, mas. Uma merda. O The Voice obriga-me a recordar os anos em que era criança e tinha a certeza de que era eterno. Aos domingos, sempre que posso, sento-me no lugar onde descanso e não penso em mais nada. Sorrio. Emociono-me. Canto. Indigno-me com algumas escolhas. Tomo partido. Aplaudo. Neste tempo de “mas” quero dizer que aos domingos à noite, em certos momentos, me voltei a sentir eterno. E isso não tem preço. Obrigado.

Leia também: Luís Osório arrasa Quintino Aires: “Não merece senão um profundo desprezo”

POSTAL DO DIA The Voice1.Aos domingos faço por não perder um The Voice. Um programa de televisão que é bastante…

Posted by Luís Osório on Friday, November 19, 2021

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

ATV News