fbpx
RTP

Catarina Furtado transtornada “ao ponto de vomitar” com vídeo sobre Moçambique

Catarina Furtado

Catarina Furtado mostrou-se indignada com a situação que se passa atualmente em Moçambique.  A apresentadora revelou que viu um vídeo que a fez vomitar.

Catarina Furtado escreveu um texto no Instagram onde lamenta o que se passa em Moçambique. A apresentadora apelou  aos internautas para se fazerem  ouvir e exigirem a paz.

“Recebi um vídeo (…) que me deixou profundamente transtornada. Ao ponto de vomitar”, começou por escrever Catarina Furtado. 

“Centenas de mulheres e crianças decapitadas. Filhos a assistirem ao assassinato das suas mães, algumas com bebés às costas. Homens mortos sem pestanejar. Infraestruturas totalmente destruídas”, acrescentou.

“A comunidade internacional tem de se impor. Cada um de nós tem de se fazer ouvir! Façamos o que temos de fazer! Exigir a paz. Desde 2017 já morreram mais de 2000 pessoas e cerca de 700 foram obrigadas a deslocar-se“, rematou.

Texto na íntegra publicado pela Catarina Furtado: 

Recebi um vídeo, enviado por whatsapp , que me deixou profundamente transtornada.
Ao ponto de vomitar.

Foi há dois dias e conto-vos hoje, não sei bem porquê.

Não tive ainda tempo (ando a gravar um novo projeto que me tem inspirado muito) de me concentrar em fazer algo por não ser capaz de nada fazer.

O que se passa em Cabo Delgado, Moçambique, pode parecer que nada tem a ver connosco, mas tem. Enquanto humanidade partilhada é absolutamente obrigatório querermos saber e ficarmos indignados, chocados, comovidos. Recolhermos as informações necessárias para que possamos agir.

Centenas de mulheres e crianças decapitadas. Filhos a assistirem ao assassinato das suas mães, algumas com bebés às costas. Homens mortos sem pestanejar. Infra-estruturas totalmente destruídas.

A religião está a ser mais uma vez instrumentalizada. A comunidade islâmica moçambicana já veio afirmar que não tem nenhuma responsabilidade em relação a estes violentíssimos ataques. As armas utilizadas vêm de fora do país.
Interesses económicos, manifestações de poder, insurgência.
Estão a ser utilizados fatores sociais e políticos, económicos e religiosos para o recrutamento de jovens.
A comunidade internacional tem de se impor.
Cada um de nós tem de se fazer ouvir!

Nunca conseguiria mostrar-vos o vídeo que recebi mas precisava que todos o vissem…

Façamos o que temos de fazer! Exigir a paz.

Desde 2017 já morreram mais de 2.000 pessoas e cerca de 700 mil foram obrigadas a deslocar-se.

Leia também: Luísa Castel-Branco: “Estava super ansiosa para que este dia chegasse”

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

ATV News