fbpx
RTP

Catarina Furtado revoltada com atos de vandalismo racistas e lança apelo

Catarina-Furtado

Catarina Furtado não ficou indiferente aos recentes atos de vandalismo. A apresentadora partilhou uma fotografia de um bebé refugiado, que foi tirada durante uma visita ao campo de refugiados de Moria, na ilha de Lesbos, na Grécia.

Catarina aproveitou este registo fotográfico para fazer um apelo anti-racista.

Estou a expor a criança deliberadamente. Os pais deixaram. As fotografias seguintes são de actos praticados esta madrugada em lugares como Sacavém, Odivelas, Loures. O meu golpe é baixo! Usar este bebé refugiado para combater a maldade, a violência, a ignorância de quem escreve frases como estas e fica com um séquito de ratos enfeitiçados pela flauta dos movimentos de extrema direita que querem hipnotizar o povo para depois derrubar a democracia”, começou por escrever na legenda da publicação.

De seguida, a apresentadora criticou também os que afirmam que, em Portugal, não existe racismo.

“E os cobardes que ainda dizem, a boca cheia, que o racismo não existe? Pois não, tudo pertence ao mundo onde eu de vez em quando mergulho, o da ficção!! O pior é que estes últimos tempos da minha vida foram dedicados a ouvir pessoas, reais, que fugiram à guerra, à opressão, à violência, à fome e só querem trabalhar, estudar, viver em paz”, concluiu.

Ora veja:

View this post on Instagram

Esta fotografia foi tirada na Grécia, Europa, campo de refugiados de Moria, na ilha de Lesbos. Estou a expor a criança deliberadamente. Os pais deixaram. As fotografias seguintes são de actos praticados esta madrugada em lugares como Sacavem, Odivelas, Loures. O meu golpe é baixo! Usar este bebé refugiado para combater a maldade, a violência, a ignorância de quem escreve frases como estas e fica com um séquito de ratos enfeitiçados pela flauta dos movimentos de extrema direita que querem hipnotizar o povo para depois derrubar a democracia. E os cobardes que ainda dizem, a boca cheia, que o racismo e a xenofobia não existem? Pois não, tudo pertence ao mundo onde eu de vez em quando mergulho, o da ficção!! O pior é que estes últimos tempos da minha vida foram dedicados a OUVIR pessoas, reais, que fugiram à guerra, à opressão, à violência, à fome e só querem trabalhar, estudar, viver em PAZ. Palavra que esta gente que consegue escrever estas palavras de ÓDIO não conhece. Mas também não conhece o que é viver na discriminação, no esquecimento, no sofrimento. Os refugiados e migrantes que entrevistei para o meu programa @principesdonada dão as respostas que precisamos para que possamos estar tod@s do mesmo lado da barricada! Quem está deste lado? #refugees #racism #racismo #refugiados #minhamissaodevida @unfpa #naodeixarninguemparatras # primeira 📷: Ricardo Freitas

A post shared by Catarina Furtado (@catarinafurtadooficial) on

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

ATV News