Resumos

Terra Brava: Resumo de 4 a 8 de novembro

Resumo de 4 a 8 de novembro da novela Terra Brava da SIC.

EPISÓDIO 6

 

Destaque:

Eduarda recebe uma carta a ameaça-la e imediatamente desconfia que foi Vítor o culpado.

Diogo e Beatriz muito próximos, quase se beijam no Castelo.

Diogo coloca a bomba falsa na sala da Herdade. Eduarda e Francisco encontram a bomba, ficam em choque e pede ajuda ao ex-militar que, fingindo nervosismo, consegue desmantelar a bomba. Voltam a desconfiar de Vítor.

Durante uma discussão, Tiago ameaça Beatriz dizendo que, se ela se divorciar, Afonso Maria vai parar à prisão, por ter matado o Rui, filho da Arminda e Norberto.

 

Sem que Beatriz consiga ouvir, Tiago ameaça Diogo e sai. Beatriz diz que se sabe defender e pede para não se voltar a meter nas discussões entre ela e o marido.

Na prisão, Jorge liga a Eduarda.

Enquanto o telefone toca, Eduarda é surpreendida por um envelope na sua mesa. Lá dentro está uma carta escrita com letras recortadas onde se lê “Vais pagar pelo que fizeste. Chegou a tua hora”. Assustada, não atende o telefone e chama pelo marido. Tem a certeza que a ameaça vem de Vítor e diz que vai fazer queixa dele.

Na cozinha da Herdade, Diogo aproveita para fazer perguntas a Arminda sobre o passado da Herdade. Arminda conta-lhe a história dos antigos patrões e do rapto. Conta-lhe que Eduarda ganhou uma lotaria e conseguiu comprar a herdade a uns estrangeiros que a tinham comprado à morte dos antigos proprietários e, assim, conseguiu salvar todos os empregos.

Henrique interroga Vítor e mostra-lhe a carta que Eduarda recebeu. O rapaz nega ter enviado aquilo. O GNR não acredita e diz-lhe que vai ser ouvido pelo Procurador.

Tiago convence Eduarda a colocarem câmaras de vigilância na Herdade e pede-lhe que fale com a filha e interceda a favor dele.

Diogo e Beatriz encontram-se no castelo. Beatriz começa por ser bruta, mas logo se desculpa. Falam sobre Tiago e a relação deles. O lenço dela cai e ele apanha-o e volta a pô-lo à volta do pescoço, ficando muito próximos um do outro. Nota-se uma grande tensão, mas Beatriz acaba por se afastar e pede desculpa por ter sido mal-educada, mas que está a ser tudo muito duro para ela. Diogo diz que não a volta a incomodar, mas para que ela o procure sempre que precisar.

No Carrossel, Rosete diz às raparigas que as contas não andam a bater certo. Diana fica comprometida, mas Tina não acredita que alguém dali ande a roubar.

A jantar na Taberna, Afonso beija Xana. Ela tenta resistir, mas logo acede e saem os dois para casa dele.

Beatriz e Tiago voltam a discutir e ela diz que o quer fora de casa. Eduarda entra e defende o genro, diz para a filha pensar em Martim e em como esta mudança seria má para ele. Beatriz não gosta da intromissão da mãe no seu casamento e vai-se embora.

Diogo sai do hotel com a bomba falsa reconstruída e envolta num embrulho. Já na Herdade, deixa-a na sala de estar, em cima de uma mesa, sem que ninguém o veja.

Francisco pergunta a Beatriz pela marca que tem no braço e ela acaba por contar que Tiago a agarrou com mais força. Francisco fica furioso, mas Beatriz pede-lhe para não fazer nada e que só precisa de um bom advogado e que o padrasto fale com Eduarda, que continua a defender Tiago.

Aproveitando um momento a sós com Martim, Tiago manipula o filho e conta-lhe que Beatriz se quer separar, pedindo-lhe para falar com a mãe e dizer-lhe que não quer que os pais se separem. Martim, rejeitando a ideia de que o pai se vá embora, assente.

Na sala de estar da Herdade, Francisco conta a Eduarda que Tiago bateu em Beatriz. Ela não acredita, mas o marido, furioso, diz-lhe que viu as marcas. Durante a conversa, Eduarda abre um embrulho que está em cima da mesa, veem a bomba e correm para pedir ajuda.

Beatriz e Diogo conversam no celeiro, quando são interrompidos por Francisco que, aflito, pede ajuda ao ex-militar porque têm uma bomba em casa. Diogo manda evacuar a casa e corre para dentro de casa.

Diogo finge nervosismo, pega num canivete e corta um fio, fazendo parar o relógio digital. Aliviados, voltam a entrar todos dentro de casa. Diogo aconselha-os a chamarem a GNR, ainda que a bomba não tivesse explosivos e fosse só para assustar. Todos elogiam a coragem do ex-militar, exceto Tiago, que fica desconfiado.

No Posto da GNR, Henrique pergunta se o Vítor era homem para ter colocado a bomba falsa. Marco Paulo acha que não e que há muita gente que não gosta de Eduarda na Vila Brava.

Martim chora e pede a Beatriz que prometa que não separa do pai. Ela fica furiosa e pergunta-lhe se foi Tiago que lhe pediu que dissesse aquilo. Beatriz disfarça o assunto e vai-se embora.

A trabalhar no celeiro, Diogo esconde-se quando ouve Francisco e Norberto entrar. Os dois traçam um plano para fazer Vítor confessar o que fez, pedindo ajuda a Rosete, no Carrossel.

Arminda vai ao Posto da GNR e pede a Henrique que volte a investigar a morte do filho, um mistério que continua por resolver. Marco Paulo conta a Henrique que Rui foi encontrado morto, depois de uma noite de copos, sufocado no próprio vómito, mas com marcas de ter andado à pancada.

Tiago e Beatriz voltam a discutir. Ela está furiosa por o marido ter usado o filho para a obrigar a manter o casamento e mostra-se irredutível em relação ao divórcio. Furioso, Tiago diz-lhe que, se ela o deixar, Afonso Maria vai apodrecer na prisão por ter morto o Rui, filho da Arminda e do Norberto. Beatriz fica em choque.

(CONCLUSÃO)

 

 

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

ATV News