fbpx
Resumos

«Onde Está Elisa?»: resumo de 24 a 30 de setembro

Na sala de interrogatório da PJ, Carlos senta-se à frente de Gonçalo. Este diz-lhe que Gonçalo não está detido e que só está ali conversarem em privado, pede-lhe que seja totalmente honesto. Gonçalo pergunta-lhe que se não está detido porquê que o foram buscar à escola e tiraram-no da aula. Ao que Carlos lhe responde, que a alternativa seria dizer em frente de todos o que encontraram.

Na Fundação, Francisca liga a Constança e conta-lhe algo que faz com que ela fique transfigurada, dizendo que vai já ligar para à sua advogada.

No interrogatório a Gonçalo, Carlos pergunta-lhe o que ele fez depois de ter gravado o vídeo entre Elisa e Sebastião. Ao que diz que voltou para a festa e foi beber. Perguntam-lhe como é que ele foi ter à praia se Elisa enviou a mensagem ao Sebastião e não a ele e, porquê que tinha sangue da prima no casaco. Gonçalo está assustado e sente-se encurralado.  No corredor estão os pais de Gonçalo, Constança fala com a advogada que está presa no trânsito. Na sala, Carlos diz a Gonçalo que quando levaram o primo dele para a esquadra devido à droga, este contou-lhes tudo, dizendo que ele devia saber pois Sebastião viu-o. Gonçalo afirma que empurrou a prima.

Gonçalo tem um flashback em que segue Elisa até à praia, ela sentou-se nas rochas. Ao ouvir um barulho, vê Gonçalo. Ele diz-lhe que gravou o envolvimento com Sebastião e que vai publicar na internet. Elisa pede-lhe o telemóvel, atira-se a ele e Gonçalo reage e empurra-a. Ela tropeça e cai nas rochas. Ela mete a mão à cara, vê os dedos ensanguentados, está a sangrar do nariz.

Gonçalo diz ao inspetor que não a queria empurrar, que já tinha bebido. Carlos pergunta se Sebastião estava com eles, Gonçalo diz que só estava ele e a prima. Carlos pergunta o que se passou a seguir. Ao que Gonçalo responde que ela fugiu e nunca mais a viu.

Bruno e Constança esperam furiosos. Quando os inspetores Carlos e Raquel chegam, os pais de Gonçalo dizem que estão a fazer abuso de poder, que o seu filho não pode estar a ser interrogado sem a presença de uma advogada.

Já com a presença dos pais e da advogada, Gonçalo afirma que contou tudo o que sabia ao inspetor. Constança diz que já sabia que se tinham aproveitado para fazer um interrogatório ilegal. Gonçalo afirma que falou porque quis. Bruno diz que é inteligente, porque Gonçalo mostrou que não tem nada a esconder, ele não fez nada de mal. Os pais dizem que acreditam nele, que sabem que nunca faria mal à prima. Gonçalo diz que depois do empurrão Elisa saiu dali a correr.

Francisca está a beber um chá com Sofia na cozinha, vê que quem passou o atestado médico foi o Doutor Marco Zimmerman, liga-lhe, mas este está fora. Francisca pergunta a Sofia se notou algum comportamento estranho, ela diz que Elisa andava preocupada. Que uma vez veio das compras e Elisa estava à porta a chorar, abraço-a e perguntou-lhe porque estava assim. Elisa disse que era por causa da mãe, mas Sofia não quis insistir mais no assunto. Franscisca recebe uma chamada de Carlos e atende.

No bar de strip Elena está a ler uma notícia no jornal sobre o desaparecimento de Elisa, Yuri fica desconfiado.

Na sala dos Menezes, Francisca diz a Rui que foi encontrado sangue de Elisa na roupa de Gonçalo. Rui fica indignado e começa a dizer que viu a própria família a crescer e que a devem ter matado, como é que foram capazes de fazer uma coisa dessas. Francisca tenta dissuadi-lo dessas ideias. Francisca abraça Rui, permanecem assim. Do outro lado da porta, sem Rui e Francisca se aperceberem, Patrícia e Carolina assistiram a tudo e, estão com os olhos chorosos.

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

ATV News