Geral

Nuno Santos prevê um 2016 «sombrio» no entretenimento da TV portuguesa

Imagem: Lusa
Nuno Santos abandonou Portugal em 2013 para assumir direção de conteúdos da operadora sul-africana Multichoice para o mercado de língua portuguesa
Nuno Santos abandonou Portugal em 2013 para assumir direção de conteúdos da operadora sul-africana Multichoice para o mercado de língua portuguesa

O antigo responsável da RTP e da SIC fez um balanço dos momentos que mais marcaram o ano de 2015  na área do entretenimento da televisão portuguesa na sua coluna de opinião no Diário de Notícias.

O ex-diretor de Informação da RTP acredita que o «acontecimento do ano»  foi a derrota d’A Quinta, exibido na TVI, face à aposta da estação pública com a terceira edição do The Voice Portugal. Segundo Nuno Santos, a escolha do casting e o ritmo das galas foram os «erros» cometido pela estação de Queluz de Baixo face a talent show «invulgarmente bem concebido e produzido» da RTP. O jornalista elogia, ainda, o regresso de Fátima Lopes ao horário nobre televisivo.

Sobre a estação de Carnaxide, o ex-diretor de programas da SIC desaprova a «repetição de formatos que hoje não funcionam». Para Nuno Santos «parte do problema» está nos rostos da estação e considera ser necessário «rever a estratégia de alto a baixo». Ainda assim, destaca a «surpresa interessante» no desempenho da atriz Diana Chaves ao apresentar o formato Achas Que Sabes Dançar.

Se por um lado elogia o «bom desempenho» do The Voice e Got Talent Portugal, por outro considera o regresso da Praça da Alegria – agora intitulado A Praça – um «erro».Para o diretor de conteúdos da Multichoice, o retorno da dupla Jorge Gabriel e Sónia Araújo foi uma «decisão acertada», mas condena o contexto em que os apresentadores regressaram à antena. «Era necessário que eles [Jorge Gabriel e Sónia Araújo] se reinventassem e noutro horário, não que fizessem mais do mesmo como se o tempo não tivesse passado», ajuíza.

Nuno Santos considera que 2015 foi um ano «pobre» em aparecimento de novos conteúdo televisivos, motivado pela «pressão orçamental» dos canais. Dado os elevados custos de produção de formatos de entretenimento em Portugal, o content manager da operadora sul-africana antevê o próximo ano como um período «sombrio» para a televisão portuguesa.

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

5
Deixe um comentário

avatar
3 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
Jokafertolero derminoseteMiguelJose Alberto FR Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Jose Alberto FR
Visitante
Jose Alberto FR

Sejamos claros, os nossos canais temáticos da terceira idade caminham para a sua auto-destruição. Já nem os 760s conseguem manter o barco quanto mais o calcitrin. E é bem feita, porque ao apostar na mediocridade mandaram embora muita gente, eu incluído, que há longos meses que não vejo televisão nacional.

Miguel
Visitante
Miguel

É um ciclo vicioso.
Supostamente, há menos dinheiro para fazer televisão em Portugal. Então, os canais investem no que é seguro: telenovelas atrás de telenovelas, talk-shows com overdose de 760 e a mesma programação repetitiva praticamente todos os dias, não há variedade nenhuma. O que não percebem é que quanto mais insistirem nisto, mais afastam o público para os canais de cabo e outros meios, porque as pessoas ficam sem pachorra para tamanha falta de variedade e falta de criatividade.

Joka
Visitante
Joka

O 760 e os calcitrins ainda dão muito dinheiro… Enganar papalvos é fácil!…E já não bastava atazanarem-nos a toda a hora com essas intrujices, vem agora a “dona” Simone, com ar decidido e doutoral, a impingir também a porcaria do Calcitrin. O dinheiro que lhe meteram nas unhas para fazer aquilo foi de tal monta que não se importa de perder o crédito que alguns portugueses ainda lhe dão…

fertolero derminosete
Visitante
fertolero derminosete

O Praça nunca deveria ter voltado e eu disse-o muitas vezes antes mesmo de ir para o ar! Discordo do Nuno Santos ao dizer que os apresentadores Sónia E Jorge são boa dupla. Já deviam ter sido dispensados e também um tal de Hélder. São esses 3 apresentadores que fazem aquele falhanço de audiências que é “A Praça”. Aquilo , enterra a RTP todos os dias. A audiẽncia é mediocre . Os espectadores não querem ver a Praça definitivamente-

Joka
Visitante
Joka

Deixa lá, que os apresentadores da concorrência (SIC e TVI), àquelas horas. também são umas boas prendas… Quem só pode ver a TDT está bem servido… Isto só num paíszeco a que chamam Portugal!

ATV News