fbpx
Geral

Arrepiante! Mãe de Beatriz Lebre pronuncia-se sobre morte do homicida da filha

beatriz-lebre-ruben-couto
Reprodução Redes Sociais

Rúben Couto, o homem de 25 anos que assassinou Beatriz Lebre, de 23, foi encontrado morto no Estabelecimento Prisional de Lisboa, onde se encontrava em prisão preventiva.

A morte, de acordo com a notícia avançada pela SIC Notícias, terá ocorrido entre as 22:00 e as 23:00 horas deste domingo, 5 de julho. O jovem era vigiado de hora em hora e foi encontrado na ronda efetuada às 23:00 horas.

De recordar que Rúben Couto já tinha tentado por um termo à vida quando foi detido. Na altura, foi transportado para o hospital, mas conseguiu sobreviver.

A mãe da jovem estudante já se pronunciou nas redes sociais sobre a morte do homicida da filha e fez um relato arrepiante.

“Tenho dito! Nunca fui de acordo e continuo ainda a não concordar com a pena de morte (em qualquer circunstância). Não só porque desejo viver numa sociedade com elevado nível civilizacional, mas também porque não havendo sistemas infalíveis prefiro um culpado livre do que um inocente no corredor da morte”, começou por afirmar.

“Por outro lado! Numa sociedade que não mata quem matou, deveria haver, no mínimo, mais respeito pelas vítimas. Uma sociedade que não mata quem matou nunca deveria preocupar-se em vasculhar imperfeições nas vítimas com intenção de encontrar justificação para a crueldade de um assassino”, complementou.

A mãe de Beatriz Lebre deu as condolências à família de Ruben Couto. “Numa sociedade que não mata quem matou devia de imediato e incondicionalmente proteger as vítimas. Sirva esta história para corrigir e melhorar os nossos valores. Por isso, as minhas condolências à família de Rúben Couto”, escreveu ainda.

Não é possível medir sofrimentos, mas uma morte é uma morte. Quando morre uma criança ou um jovem é sempre uma perda para as famílias como para a sociedade. É perda de património Humano. O valor da vida deve sempre ser o SUPREMO de uma sociedade que se diz de direito e de humanos.  Até sempre”, concluiu.

Recorde-se que a morte de Beatriz deu-se a 22 de maio. Foi Rúben Couto, autor confesso do crime, que lhe tirou a vida à facada. Depois, livrou-se do corpo no rio Tejo, junto à estação de Santa Apolónia. O cadáver foi recuperado dias depois, depois de o próprio homicida revelar o local onde o tinha colocado.

O motivo que levou Rúben Couto a assassinar Beatriz Lebre poderá estar relacionado com o facto de esta ter iniciado uma relação com um outro rapaz.

Veja aqui a publicação:

Tenho dito!Nunca fui de acordo e continuo ainda a não concordar com a pena de morte (em qualquer circunstancia). Não…

Publicado por Paula Bochecha Lebre em Segunda-feira, 6 de julho de 2020

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

ATV News