fbpx
Famosos A Entrevista Rubricas

Roberto Bomtempo e Miriam Freeland: “Sempre nos sentimos em casa em Portugal”

Miriam Freeland Roberto Bomtempo

Roberto Bomtempo e Miriam Freeland, atores consagrados de inúmeras novelas brasileiras, estão a viver em Portugal. Em entrevista exclusiva ‘A Televisão’, o casal mostrou-se entusiasmado por estar cá a viver e prepara-se agora para novos desafios profissionais.

Roberto Bomtempo e Miriam Freeland, antes de mais, muito bem-vindos! Mudaram-se para cá em novembro deste ano. Porquê Portugal?

Roberto Bomtempo: Obrigado. HÁ muito tempo que planeamos morar em Portugal. Frequento o país desde 1992. Já vim muito para passear e também com projetos de teatro. Aprendi a gostar dos hábitos e costumes portugueses. E principalmente, a forma como sempre fui recebido aqui. Sempre me senti em casa em Portugal.

Miriam Freeland: Este é um desejo nosso antigo! Depois de viver 7 meses em Londres em 2013, passamos cá 1 mês e desde aí, estamos a organizar esta vinda. Um desejo de trocar, explorar um pouco mais a relação histórica entre Brasil e Portugal. Acreditamos muito que esse intercambio pode ser muito produtivo, além de prazeroso, claro!

Antes de se mudarem para cá em definitivo, vinham muito a Portugal de férias?

Miriam Freeland: Sim. Já há algum tempo que Portugal é um destino. E já com esse olhar de um dia, passar um tempo mais longo!

Roberto Bomtempo 2

Vieram para cá com os vossos dois filhos. Como é que está a ser a experiência? O que é que eles estão a achar do país?

Roberto Bomtempo: Poder dar oportunidade aos filhos de viver num país mais calmo e seguro do que o Brasil é um alento para qualquer pai e mãe. Apresentar-lhes a rica cultura é com certeza um ganho incrível nas suas formações.

Miriam Freeland: Estão se a adaptar muito bem. Melhor e mais rapidamente, do que esperava! Acreditamos muito ser um privilégio mostrar o mundo e a riqueza de cada lugar que passamos. Enriquecer culturalmente com uma experiência destas é uma oportunidade de contribuir com a formação deles como seres humanos!

Como foi passar o Natal em Portugal, ainda por cima em plena pandemia? Já se habituaram ao frio destes últimos dias?

Roberto Bomtempo: O Natal passamos acompanhados por uma família amiga, com crianças, o que é sempre muito bom. Um pouco difícil estar longe da nossa grande família, no Brasil. Mas já tínhamos preparado os corações para isso.

A passagem de ano passamos só com o Miguel, o nosso filho de 9 anos. A Maria Helena de 21, estava com a família do namorado, que são alemães, em Stutgard. Foi uma passagem de ano muito amorosa e reflexiva. E em casa, como indicava o decreto do governo.

Miriam Freeland: Como Roberto disse. Passamos um Natal amoroso, com um casal de amigos e com a alegria das crianças! O Ano, foi a três! Agradecendo ter chegado ao fim de 2020 com saúde e vivendo essa experiência tão sonhada, apesar de todas os desafios planetários!

Miriam Freeland 2

Miriam Freeland começou a sua carreira muito cedo tanto no teatro, como em novelas e chegou a ganhar diversos prémios durante o seu percurso enquanto atriz. O que é que gostava de fazer em Portugal? Já tem algum projeto em vista?

Estamos a chegar devagarinho. Vim fazer uma Pós-Graduação em Comunicação de Cultura na UNL. Estou a gostar muito e tenho o privilégio de conhecer pessoas incríveis. Queremos fazer os nossos espetáculos teatrais. Mostrar um pouco do que fazemos, produzimos e atuamos.

E queremos muito, trocar experiências. Quem sabe sermos dirigidos por um encenador português…. estar em cena com atores daqui!

Estamos a iniciar algumas conversas com uma produtora para agendarmos algo ainda para o primeiro semestre. Mas sabemos que o ano será de desafios ainda, não só na área da cultura! Mas queremos muito. E o intercâmbio é algo que está no nosso radar!

Roberto Bomtempo

Roberto Bomtempo celebrou 30 anos de carreira, é ator e realizador, e foi premiado muitas vezes em festivais internacionais. Quais são as memórias mais marcantes?

São realmente muitas. Tenho muita alegria e orgulho pela profissão que escolhi e como consegui, através dela, realizar todos os meus sonhos. O fato de trabalhar como ator, realizador, professor e produtor faz-me sentir um profundo envolvimento com todos os segmentos da minha profissão. O que acho muito importante.

Ter construído a minha família, criado os meus três filhos dentro da ética que acredito, tudo a partir da minha profissão, causa-me um orgulho muito grande.

Tem algum projeto em vista? Que projetos gostava de ter em Portugal?

Tenho sempre muitos projetos…teatro, cinema, TV.. Queremos muito trabalhar aqui. Principalmente trocar experiências com os profissionais portugueses. Queremos muito mostrar o repertório da nossa companhia teatral, que agora está sediada aqui.

Miriam Freeland

Quando estavam no Brasil acompanhavam o teatro, o cinema e as novelas portuguesas? Que opinião têm da produção feita em Portugal?

Roberto Bomtempo: Particularmente acompanho há muito tempo. Gosto muito. Acho que a TV deu um salto de qualidade incrível nos últimos vinte anos. Em todos os segmentos. Produção, Realização, Atuação, Técnica… tudo.

O teatro português demostra cada vez ser mais renovável. Agregando a sua história teatral com os novos artistas e as suas pesquisas de linguagem. As séries em televisão têm me atraído bastante. Tento ver de tudo que se faz em Portugal em relação à arte.

Miriam Freeland: Como vimos para cá há anos, vamos sempre assistindo a espetáculos, filmes.. sempre estivemos atentos. O Roberto, em 2013 por exemplo, levou toda a coleção de livros que tinha disponível na ocasião dos Artistas Unidos.

Sempre procuramos conhecer o que se faz culturalmente aqui. Por isso, queremos tanto trocar experiências. No Brasil recebemos pouco do cinema português, por exemplo! Da música, recebemos o Fado da Mariza, Carminho…. E estamos sempre na plateia. Somos admiradores da poesia…

Já foram abordados na rua pelos fãs? Que diferenças encontram na forma como são abordados no Brasil e agora cá?

Roberto Bomtempo: Sempre acontece. E é sempre muito respeitoso. Com muita demonstração de carinho e admiração. Lógico que ficamos felizes.

Miriam Freeland: Sim!!! E o público tem muito carinho. Pois Portugal sempre recebeu nossa música, as nossas telenovelas, a nossa literatura.. Ficamos felizes quando somos abordados e percebemos que o que o que fazemos mexe de alguma forma com o público!

Roberto Bomtempo Miriam Freeland Familia

Curiosidades sobre Roberto Bomtempo e Miriam Freeland

– A novela que mais gostaram de gravar?

Roberto Bomtempo: A História de Ana Raio e Zé Trovão, na extinta TV Manchete. E a série Conselho Tutelar, na TV Record.

Miriam Freeland: O Cravo e a Rosa – a minha primeira novela na TV Globo. Série de TV – Um só Coração, onde vivi a personagem Pagu. Foi um marco!

– A novela que menos gostaram de gravar?

Roberto Bomtempo: Essa é melhor deixar segredo…

Miriam Freeland: Segredo…

– Qual é o seu talento escondido?

Roberto Bomtempo: Matemática

Miriam Freeland: Matemática

Miriam Freeland: Qual é a maior qualidade e o maior defeito do Roberto Bomtempo?

As maiores qualidades dele são a sua delicadeza e caráter! Defeito… hum… não sei bem se é exatamente defeito…. mas fica muito zangado quando se sente injustiçado…

Roberto Bomtempo: Qual é a maior qualidade e o maior defeito da Miriam Freeland?

A maior qualidade da Miriam, entre tantas outras, é o seu carácter. O defeito eu ainda estou à procura!

– Que sonho está por concretizar?

Roberto Bomtempo: Que esta experiência de morar em Portugal seja longa e rica de experiências. Que a façamos bons amigos aqui e que possamos também, mostrar a força do nosso trabalho. E acima de tudo ver os nossos filhos felizes aqui.

Miriam Freeland: Estar aqui já é um sonho!! Ainda mais neste momento tão delicado que o mundo está a viver!
Estar aqui, ter a família com saúde, estar a estudar… é tudo lindo! Queremos conquistar amigos, trocar experiências, trazer os nossos espetáculos e viver esse encontro com os profissionais e público daqui. Será uma alegria imensa!

– Como se imaginam daqui a 10 anos?

Roberto Bomtempo: Em família. Com muita saúde. A viver entre o Brasil e Portugal, com um trânsito entre cá e lá, fluente e enriquecedor para todos nós.

Miriam Freeland: Uma mãe, talvez avó, feliz com o meu marido, filhos, “netos” … A trabalhar e a produzir! E como o Roberto disse, se der, a viver entre Brasil e Portugal!

Leia também: Há bomba na SIC! Canal anuncia a chegada de um novo programa

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

ATV News