Cabo Famosos Globo Música

Leaving Neverland: O documentário polémico sobre as vítimas de Michael Jackson

A HBO estreou o documentário Leaving Neverland no passado dia 4 de março, mas só no passado dia 8 foi disponibilizado o documentário em Portugal.

São mais de quatro horas – divididas em duas partes – que contam a história de duas alegadas vítimas de abusos sexuais por parte de Michael Jackson.

A história não traz consigo grandes novidades no que toca às acusações, o cantor foi acusado de pedofilia duas vezes na década de 90 e no início do século XXI. A novidade que o documentário traz é o nível de pormenor e detalhe que é fornecedido sobre as histórias de James Safechuck e Wade Robson, os protagonistas deste documentário que viveram durante vários anos com Michael Jackson no seu rancho quase inacessível – Neverland (ilha imaginária do conto de Peter Pan onde as crianças não crescem e não se transformam em adultos), que se apresentava como uma verdadeira Disneylândia.

Ao longo do documentário um deles chega a dizer sobre o rancho que “Todas as noites foram um conto de fadas” (tradução livre de: It was a fairy tale every night), tendo cada um acompanhado do Rei da Pop nas suas digressões. Ambos garantem que não foram os únicos meninos com quem Michael Jackson se envolveu.

O documentário conta a história do australiado Wade Robson, com quem alegadamente Michael Jackson se envolveu durante sete anos (desde 1987), tendo começado o relacionamento sexual quando Wade tinha apenas 7 anos de idade.

Jimmy Safechuck é também outra das vítimas visadas no documentário, sendo que o norte-americano afirma que se relacionou com o cantor quando tinha entre 10 e 14 anos de idade.

Os protagonistas do documentário Leaving Neverland eram já conhecidos e defenderam, inclusivamente, o cantor num processo que chegou às barras do tribunal norte-americano em 2005 sobre casos de pedofilia a que Michael Jackson tinha sido associado. As declarações feitas pelos mesmos em sede de tribunal, a julgar pelo agora revelado, foram uma mentira combinada com Michael Jackson e a equipa de advogados que o defendia.

O documentário realizado por Dan Reed conta a história de um músico pedófilo que se aproveita do facto de ser mundialmente conhecido para abusar repitadamente de menores que procuravam os seus 5 minutos de fama.

Intitulado Leaving Neverland (sair de Nerverland), o filme é contestado pela família do músico que garante que a obra se baseia em mentiras que visam manchar a imagem consolidada do Rei da Pop. A família, através dos seus assessores condena a exibição do documentário e a forma como o mesmo está a ser explorado pelos órgãos de comunicação social. “As pessoas sempre gostaram de perseguir Michael. Ele era um alvo fácil, era único. Mas Michael foi sujeito a uma investigação aprofundada, que incluiu uma incursão supresa à Neverland e outras propriedades com o júri em tribunal a considerar o Michael completamente inocente. Nunca houve prova de nada. Mesmo assim, os media adoram acreditar nessas mentiras”, pode ler-se na nota da família sobre o documentário.

A família acrescenta também que “Não podemos ficar parados enquanto esse linchamento público continua e os abutres do Twitter e outros, que nunca o conheceram, vão atrás dele. O Michael não está aqui para se defender, senão essas alegações não teriam sido feitas”.

O realizador do documentário, Dan Reed, disse em janeiro – durante a apresentação do mesmo -, que o documentário “Não é sobre Michael Jackson, mas sobre abusos sexuais e sobre a forma como acontecem e que consequências podem ter passados alguns anos”.

Certo é que as reações ao documentário não se fizeram esperar e por todo mundo já foi suspensa a reprodução, em algumas rádios, dos temas de Michael Jackson, a estátua de Michael Jackson no Museu Nacional do Futebol (Manchester) também já foi retirada e muitas figuras públicas vieram reprovar o comportamento do malogrado cantor.

Em Portugal, Jessica Athayde, por exemplo, foi das primeiras figuras públicas a assistir ao documentário e a repudiar o comportamento do músico, sublinhando – através de uma Instastory – que nunca mais conseguirá ouvir músicas de Michael Jackson.

 

ATV News


Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close