fbpx

Judite Sousa: “Destruíram-me profissionalmente e emocionalmente”

Duarte Costa
2 min leitura
Instagram

Judite Sousa esteve no programa Júlia desta quarta-feira, na SIC, e explicou o motivo pelo qual deixou de trabalhar na CNN Portugal.

Anunciei que não voltava mais a trabalhar por duas razões. Em primeiro lugar, porque depois daquela confusão que aconteceu há seis meses acho que nenhum empregador deste país me dava trabalho. A razão, e talvez a mais importante, é para deixarem o meu filho em paz, onde ele estiver. Não quero ser mais vítima de cyberbullying utilizando o meu filho“, revelou.

Judite Sousa pronunciou-se também sobre os ataques de que foi alvo quando, em 2017, fez uma reportagem junto a uma das vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande.

Fui cruelmente atacada pelos meus colegas por causa da história de Pedrógão. A crueldade que me fizeram foi obscena. Destruíram-me profissionalmente e emocionalmente. Em 2017 fui assassinada profissionalmente“, confessou, embora admita que está de “consciência tranquila“.

Não mostrei um corpo destapado, mostrei um corpo tapado com um lençol. Não disse se era homem, mulher, se tinha 20 anos, se tinha 70, não disse quem era a família… Não dei referências nenhumas que pudessem ser questionadas do ponto de vista ético“, justificou, acrescentando também que as imagens foram exibidas com conhecimento dos seus superiores.

De referir que Judite Sousa mantém a Carteira Profissional de Jornalista, conforme é possível verificar na página da Comissão da Carteira Profissional de Jornalista.

Leia também: Judite Sousa surpreendida por criança: “Talvez sejam outros braços que a estão a abraçar”

Relacionado: