daniel monteiro, fabio guerra psp

Daniel Monteiro chora morte de Fábio Guerra, colega da PSP agredido em discoteca: "Que a justiça seja feita"

21 Março 2022
Adicionar comentário

Fábio Guerra, um dos agentes da PSP que foi agredido à porta da discoteca MOME em Lisboa, faleceu esta segunda-feira (21).

Fábio Guerra, agente da PSP que foi agredido à porta de uma discoteca em Lisboa, não resistiu às graves lesões e faleceu na manhã desta segunda-feira, 21 de março.

A Polícia de Segurança Pública emitiu um comunicado a dar conta da morte do agente da PSP. “Na sequência dos factos referidos no comunicado de 19 do corrente mês, do Comando Metropolitano de Lisboa, a Polícia de Segurança Pública (PSP) informa, com pesar e dor, que, na sequência das agressões de que foi vítima em 19 de março de 2022, em ação policial, o agente Fábio Guerra da PSP, faleceu hoje pelas 09h58, vítima das graves lesões cerebrais que sofreu”, pode ler-se.

“O agente Fábio Guerra honrou, até às últimas consequências, a sua condição policial e o seu juramento de “dar a vida, se preciso for”, num gesto extremo de generosidade e sentido de missão. Disso nunca nos esqueceremos”, acrescenta ainda. Os outros três agentes que também foram agredidos tiveram alta hospitalar no dia de ontem.

Daniel Monteiro, ex-concorrente do Big Brother, está atualmente ao serviço da PSP e através das redes sociais, reagiu à morte do colega. “Descansa em paz colega. Que a justiça seja feita”, começa por escrever nas Instastories.

O nome “dele” era Fábio guerra, um homem com princípios e valores que não virava a cara ao perigo e a qualquer missão que lhe fosse incutida. Alguém lhe tirou a vida naquela noite que apenas era de diversão com os camaradas/colegas. O Fábio mesmo a civil deparou-se com uns desacatos na via pública e com o seu espírito de guerreiro e polícia tentou intervir com os camaradas para bem dos cidadãos que se encontravam nessa mesma situação“, acrescenta.

Acabou por ser brutalmente espancado em praça pública e acabou por falecer. Hoje foi ele amanhã pode ser qualquer um que está a ler este texto. Respeitem a polícia, respeitem o próximo, nada mas nada justifica a perda de uma vida

Artigo seguinte
Adicionar comentário