Famosos

Covid-19. Judite Sousa não tem dúvidas: “Vem aí um período muito negro”

Instagram

Este sábado, dia 21, Judite Sousa recorreu às redes sociais para comentar o impacto que a pandemia do novo coronavírus vai ter na economia do país.

“O país parou. Literalmente tudo. Só os supermercados estão a funcionar. Uma saída de carro por Lisboa permite descobrir uma cidade fantasma. António Costa fala em três meses. E deixa antever que o estado de emergência vai ser renovado. A minha pergunta é: como será possível aguentar mais três meses num país que está dependente dos serviços, do turismo e que tem crescido muito em razão do consumo interno?”, começa por destacar.

“Tenho para mim que vem aí um período muito negro”, acrescentou, mostrando preocupação pelo pequeno comércio e as micro empresas.

“O pequeno comércio não vai ter dinheiro para resistir. Ou muito me engano, ou metade das lojas vão despedir e outras nem reabrem em Junho. O que vai acontecer a estas micro empresas? Entre as ajudas que levarão o seu tempo a chegar à economia real, muitos pequenos negócios ficarão pelo caminho. E as profissões que estão dependentes de eventos? O que vai suceder? Como vão viver? Três meses significa uma recessão económica. É difícil encontrar uma saída perante este inimigo invisível mas há que encontrar uma forma de calibrar as medidas passado o pico da infecção. Se não morrermos da doença, iremos morrer da cura. Tudo o resto é conversa de quem não está a ver com os seus próprios olhos o fantasma em que o país se tornou”, rematou.

View this post on Instagram

Tenho ouvido muitas perguntas e respostas como se as pessoas não fizessem a mínima ideia do que se está a passar na economia real. O país parou. Literalmente tudo. Só os supermercados estão a funcionar. Uma saída de carro por Lisboa permite descobrir uma cidade fantasma. António Costa fala em três meses. E deixa antever que o estado de emergência vai ser renovado. A minha pergunta é: como será possível aguentar mais três meses num país que está dependente dos serviços, do turismo e que tem crescido muito em razão do consumo interno? Tenho para mim que vem aí um período muito negro. O pequeno comércio não vai ter dinheiro para resistir. Ou muito me engano, ou metade das lojas vão despedir e outras nem reabrem em Junho. O que vai acontecer a estas micro empresas? Entre as ajudas que levarão o seu tempo a chegar à economia real, muitos pequenos negócios ficarão pelo caminho. E as profissões que estão dependentes de eventos? O que vai suceder? Como vão viver? Três meses significa uma recessão económica. É difícil encontrar uma saída perante este inimigo invisível mas há que encontrar uma forma de calibrar as medidas passado o pico da infecção. Se não morrermos da doença, iremos morrer da cura. Tudo o resto é conversa de quem não está a ver com os seus próprios olhos o fantasma em que o país se tornou.

A post shared by @ juditesousaoficial on

Receba todas as informações no seu smartphone.
Descarregue a App gratuita. Apple Store Download Google Play Download

ATV News