TVI

Teresa Guilherme desmente André Cerqueira

Parece que a “telenovela” que se criou em torno do novo reality-show que a TVI está a preparar para Setembro ainda não tem fim à vista. Depois de a eterna “senhora televisão” ter voltado a estar entre os possíveis candidatos ao lugar de apresentador, eis que a própria dá uma entrevista à revista Nova Gente, em que desmente tudo isso. Quem estará agora a fazer bluff?

O tema vem à baila quando Teresa Guilherme é questionada sobre o seu regresso ao pequeno ecrã: “Não vejo o meu regresso à televisão para breve. No momento em que não sou eu a apresentar o Big Brother está tudo dito”, referiu, negando de seguida ter recebido um convite do director de programas, bem como de qualquer outra estação de televisão.

altAinda assim, a apresentadora foi directa no que a um possível regresso à televisão diz respeito: “Dependia do projecto. Não quero apresentar qualquer coisa. Percebo que a TVI tem a Júlia e agora a Fátima e qualquer uma das duas dá conta do recado. Em relação ao Big Brother era uma questão sentimental… nem é uma coisa muito minha, porque o caminho não se faz para trás… agora estou numa fase em que só faço o que me apetece”. Todavia, a um convite para apresentar a versão portuguesa de Secret Story, Teresa Guilherme “não era capaz de dizer que não”, dado que “diverti-me tanto que tinha que ir ajudar a que funcionasse”, explicou.

TVI à parte, a também produtora falou ainda sobre outros assuntos ligados à televisão. Um desses assuntos foi o alegado arrependimento que revelou em tempos por ter aceite a condução de O Momento da Verdade: “As condições que me deram para apresentar o programa não eram as melhores. A onda do formato não é a minha, ou seja, tinha que fazer de conta que não está a acontecer nada, quando está… e os familiares ali presentes era uma coisa muito pesada. Mas fizeram-se muitas asneiras à volta do programa, não eu. Aquilo tornou-se um pesadelo que consegui resolver”, confidenciou, referindo ainda que o polémico formato “foi um milagre”, dado que fez “13 programas com oito concorrentes quando devia ter tido três por programa”.

Na referida entrevista, Teresa Guilherme falou ainda sobre as criticas que fez a Rita Ferro Rodrigues, nomeadamente a acusação de que a cara SIC deixa Francisco Menezes apresentar Companhia das Manhãs “a custo”: “Ligue o televisor e veja-o agora com a Vanessa. O Francisco até parece outro, mais desanuviado”, começou por dizer, acrescentando: “Acho que é uma característica do tipo de apresentação dela. Não tenho nada contra a Rita. Só acho que ela faz muito mal este programa da manhã. No da tarde ela não estava mal, por que é que a trocaram? Nem todos conseguem fazer vários registos.”, disse.

Para terminar, um recado para Gabriela Sobral, que se mudou recentemente para Carnaxide: “A Gabi vai responder perante o Luís Marques, coitada, porque não quer trabalhar sobre as ordens do Nuno. Vai estar ao mesmo nível dele. Então é uma directora de produção e outro de Programas… Ainda há alguma coisa aqui que vai acontecer”, concluiu.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close