TVI

“A Terceira Vez” estreia em 2011, na TVI

altA novela “Sedução” estreou na semana passada e já se sabe que, no início de 2011, entrará em produção a novela “Anjo Mau” (nome provisório), de Maria João Mira, a primeira novela de época da TVI (que retratará os anos 80). Ainda esta novela não arrancou e já a TVI está a preparar outra novela que virá depois dessa. Trata-se de “A Terceira Vez” (nome provisório), de Tozé Martinho (autor de “Sentimentos”).

“A Terceira Vez” começa a ser gravada em Março e deverá estrear entre Abril e Maio, substituindo “Espírito Indomável” (partindo do princípio que “Anjo Mau” virá primeiro e substituirá “Mar de Paixão”). O autor, o mesmo d’ “A Outra” e “Olhos d’ Água”, quer ter Sofia Alves como protagonista, a actriz com quem já trabalhou anteriormente (precisamente na última novela referida anteriormente). “Gosto muito da Sofia. Ela chegou a pedir para escrever uma segunda parte de Olhos de Água.”, disse Tozé Martinho ao “Diário de Notícias”. Mas o elenco ainda está por decidir, pois “O projecto está ainda no início. Não sei quais os actores que vão estar disponíveis quando se começar a escolher o elenco.”, diz.

E como o projecto ainda está no início “Escrevi a sinopse e terminei o primeiro episódio”, conta à mesma publicação. Esta semana, esteve reunido com a administração, direcção de programas e produção nacional da TVI para alguns acertos em relação à história: “Foi uma conversa para o acerto final do primeiro episódio. Deram-me alguns conselhos e vou fazer algumas alterações.”, confessa.

Segundo Tozé Martinho, a novela conta uma “história urbana que se desenrola nos dias de hoje”. A crise económica em que se encontra o País poderá passar pela novela e o autor promete voltar a trazer a discussão para a praça pública. “As minhas novelas causam sempre polémica e esta não vai fugir à regra. Será uma novela importante e interessante.”. Esta nova produção irá ser gravada em Sintra e em outras localidades.

O autor e actor ainda confessou que, para trás, na gaveta, deixou outra trama: “Trata-se de uma novela de época, que remonta ao início do século XX. Não avançou devido aos custos de produção serem elevados. Estamos em época de crise”, concluiu.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close