TVI

“A Face do Mal” já tem mais de 40 capítulos

Rui Vilhena é o autor e guionista desta nova novela da TVI, para a qual já escreveu “Ninguém como Tu” e “Tempo de Viver”, que tem estreia marcada para Outubro. As gravações já começaram e mais de 40 capítulos já foram escritos. Paulo Pires será duplamente o mau da fita e terá, a seu cargo, o papel principal.

Todos os dias, por volta das 7 da manhã, Rui Vilhena já está num ginásio de Cascais. É, nesta altura do dia, que o guionista tem tempo “para si”, já que o resto do tempo é ocupado com a escrita d’ “A Face do Mal”; a novela irá substituir “Fascínios”, já tem mais de 40 capítulos escritos e as gravações começaram este mês. “Quando se escreve uma novela, a vida muda completamente. É preciso ter muita disciplina, pois temos de fazer um episódio por dia, aproximadamente 70 páginas. Passamos a viver a vida dessas personagens. É impossível desligar, mesmo quando vamos jantar fora com os amigos.”, diz o guionista à revista “TV Mais”.

“A Face do Mal” é um dos projectos mais ambiciosos do autor. A novela começou a ser delineada na recta final de “Tempo de Viver” e a ideia esteve a amadurecer até agora. “Opto sempre por fazer uma coisa nova. ‘Ninguém como Tu’ era uma novela mais clássica, ‘Tempo de Viver’ era mais cáustica, amarga. Esta é um meio-termo entre as duas. Tem muitas surpresas. É uma novela com um tsunami de mistérios.”, conta.

A história principal centra-se numa grande família judia, os “Viana Levi” e nos gémeos “Vítor” e “Vasco”. “Não há um bom e outro mau. Há um gémeo mau e outro terrível e isso é muito difícil de fazer.”, esclarece o autor. Esses dois papéis serão desempenhados por Paulo Pires que já trabalhou com este autor em “Terra Mãe”, novela da RTP1. Irá caber ao autor a transmissão das poucas diferenças que existem entre ambos; “Um é mais simpático, sedutor, carismático e utiliza o charme para manipular as pessoas. O outro é inteligente, frio, calculista. Para o Paulo, é um trabalho fascinante.”, esclarece Rui Vilhena.

Os gémeos vão estar relacionados com a morte de várias pessoas à saída de um concerto de música clássica, o que sucede logo no primeiro episódio para criar suspense. “Para quem gosta de desvendar mistérios, esta novela é uma caixa de bombons, pois cada núcleo guarda um segredo. Até as pessoas que perdem a vida e, aparentemente não têm nada a ver umas com as outras, podem estar relacionadas sem ninguém saber.”, adianta o escritor.

As mensagens sociais ou a actualidade irão marcar presença na novela. Haverá famílias endividadas, um homem que sofre de xerodermia (Marco Delgado), união entre homossexuais e uma mulhaer que vai dar à luz depois de ser declarada morta cerebralmente. “É importante que quem vê a novela possa reflectir”, diz Rui Vilhena.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close