Resumos TVI

«Mundo ao Contrário»: resumo de 15 a 21 de abril

Mundo_ao_Contrario-resumo

Mundo_ao_Contrario-resumo

Episódio 2

Depois que Catarina abandonar a tenda onde deu a trágica notícia da morte do pai, instala-se a confusão. João atira-se a Pedro, tentando agredi-lo, Constança chora desesperada no chão, abraçada pelo filho, Rodrigo e os convidados observam tudo chocados.

Fora da tenda, há fogo-de-artifício. Perturbada com tudo o que aconteceu, Catarina choca o carro contra o fogo-de-artifício fazendo com que ele dispare e o céu se encha de ruídos e cores. Micael assiste a tudo e entra dentro do carro de Catarina obrigando-a a sair dali antes que tudo exploda.

Apenas o grito dolorido de Constança trava Pedro e João de se continuarem a agredir. Os dois homens param de lutar e Pedro pede a Marisa que mande os convidados todos embora. O choque é geral e aquela festa não é nada do que ninguém estava à espera.

Catarina guia o carro para longe, sem destino nem concentração. Micael faz um esforço para que ela pare o carro, mas a rapariga está completamente alheada de tudo. Micael consegue, finamente travar o carro e é só então que percebe que Catarina é filha de Aníbal e o motivo para ele não estar na festa. Micael cede ao pedido de Catarina e conduz para longe, sem fazer perguntas. Os convidados já foram embora. Só restam Valentino e Gilberto, Simão, Saul e Amélia que cuida dos ferimentos de Pedro. No entanto, Pedro tem mais em que pensar do que nas ambições de Amélia e manda-a embora também. Fica só a família. Lara, Rodrigo, Pedro e Constança que está no quarto. Pedro tenta abordar o filho, mas a raiva é notória e este recusa-se a falar com o pai. Mas Lara, bem diferente do irmão, deixa-se cair nos braços do pai, com as lágrimas a escorrerem-lhe pela face.

Micael leva Catarina para um lugar familiar, o Bairro da Pedra. Aí, leva-lhe um café para a tentar acalmar. A energia entre os dois é inegável e ele mostra-se prestável. No entanto, quando o telemóvel toca e o nome de Lara surge no ecrã, Micael atende a chamada e Catarina vai embora sem que ele dê por isso.

Don Pellegrino é o restaurante do momento. Pessoas fazem fila à porta para entrar e os clientes são pessoas bem na vida, exclusivas. À porta estaciona o carro de Valentino e Gilberto, que diz ao pai que precisam de falar sobre o futuro do negócio. Gilberto confronta o pai com as fotografias que lhe tiraram em situações comprometedoras com uma menor. Embora Valentino se tente defender afirmando que não aconteceu nada com a rapariga, o filho diz-lhe que o problema é o que as pessoas querem ver e que se a história vier a público, a fama do restaurante pode ficar maculada. Valentino rejeita essa ideia, afirmando fazer todos os possíveis para manter as portas abertas e de boa saúde. Gilberto não consegue evitar sorrir nesse momento de desespero do pai.

Micael passa de carro perto de casa de Catarina. Nesse momento surge a polícia que o manda parar e algema, declarando que aquela viatura, de Aníbal, foi dada como roubada.

Maria faz o curativo nas mãos magoadas do pai. O ambiente está tenso. Salomé acusa o marido de, mais uma vez, ter agido de cabeça quente e ter deixado a família com uma mão à frente e outra atrás. No fundo, João sabe que a mulher tem razão. Neste momento está sem emprego, nem casa. Mas a dor da perda do pai fala mais alto.

Na sala do Don Pellegrino, Paula faz o seu trabalho de forma competente, deixando os clientes satisfeitos. Principalmente, os clientes que gostam de pagar garrafas de vinho caras a raparigas de vestidos curtos. Valentino e Gilberto entram. Gilberto pede a Paula que, depois de os clientes saírem, reúna todos os funcionários. Valentino tem uma informação a dar.

No final da noite, um cliente importante, Faria, sai com as duas raparigas com quem jantou. O clima é de animação entre os três. Na rua, as raparigas beijam-no e riem alto. Momento esse, que fica registado pela objetiva de um fotógrafo.
Valentino declara que, a partir daquele momento, a gerência do restaurante está nas mãos do filho e espera que isso não afete a vida dos funcionários. Mas Gilberto tem outros planos para o restaurante e a primeira mudança que faz é despedir duas funcionárias.

Na manhã seguinte, a família de Micael vai até à esquadra tentar perceber por que é que o rapaz foi preso. O chefe acaba por lhes dizer o motivo e Saúl liga a Lara a contar o que se passou. Sem hesitar, Lara pede ajuda a Pedro, que se mostra surpreendido por ser Micael quem estava com o carro e não Catarina. Pedro acaba por retirar a queixa e Micael sai em liberdade sem qualquer problema.

Patrícia chega ao Salão Mise de rastos. A dona do salão pergunta a Ivone se ela sabia que o marido era traficante e amiga não mente, afirmando que toda a gente sabia e que ela achava que Patrícia também sabia o que o marido fazia. Triste, Patrícia penaliza-se por ter de educar a filha sem o pai estar presente e por tudo o que Marco fazia lá em casa.

Rodrigo vai para o palacete da tia, muito cedo pela manhã. O sobrinho leva comida e uma mochila com roupa para ficar a apoiar a tia até ao funeral de Aníbal.

Passados dois dias dá-se um funeral tenso. Catarina tenta ser simpática com Constança, mas a irmã não cede. Os olhos de Catarina batem em Micael que vem de mão dada com Lara. Lara percebe o olhar entre os dois e questiona o namorado. Micael conta-lhe por alto a história, deixando Lara muito ciumenta. Micael aborda Catarina que lhe dá para trás.

César já tomou o lugar de Viana e assumiu os negócios. César explica a Maneca que se meteu em coisas diferentes e os dois veem as fotografias de Mena e Tina a saírem no restaurante com Faria. César envia uma sms a Gilberto confirmando que o trabalho ficou bem feito.

Amélia liga a Pedro para lhe contar como foi o funeral, ignorando que, do outro lado, Marisa beija Pedro, provocando-o. Pedro dispensa a empregada quando sabe que Constança está prestes a chegar a casa. Pedro tenta falar com a mulher, que se recusa, chamando-o de porco e pedindo-lhe para sair de

casa e da sua vida. No entanto, Pedro relembra-a de que aquela casa é dele e não dela e Constança só poderá ficar se lhe pedir desculpa. Constança acusa Pedro de nunca ter pertencido àquela família e ele sente-se vexado. Constança informa os filhos que vai sair de casa e Lara pede-lhe, entre lágrimas que fique. Mas a mãe precisa de manter a sua dignidade e não o fará ficando ali. Ao sair de casa, Rodrigo surge com uma mochila dizendo que não vai deixar a mãe ir embora sozinha e vai com ela.

João está a tentar comer alguma coisa pressionado pela filha. Tocam à campainha e Salomé abre para descobrir o advogado do outro lado. O advogado diz-lhes que veio cumprir a ordem de despejo, dando- lhes meia hora para saírem. A família conversa sobre o que fazer a seguir, visto que Pedro não os vai ajudar e eles não têm dinheiro.

Clara diz a Pedro que não concorda com nada do que ele está a fazer e, cinicamente, o patrão diz-lhe que não gosta de ter funcionários insatisfeitos. Sendo assim, Clara está despedida. Os dois trocam insultos e acusações e Pedro perde a cabeça levantando a mão para bater em Clara. Apenas a entrada de Lara no escritório impede esse gesto do pai.

Constança e Rodrigo vão para um hotel. Mas, quando Constança está a fazer o check-in, o funcionário do hotel diz-lhe que o seu cartão de crédito foi rejeitado. 

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close